A questão controversa da cosmologia moderna: Hubble e o infinito parte 1

Marcos Cezar Danhoni Neves

Resumo


O presente artigo abordará o problema das dualidades eternoefêmero
e finito-infinito derivados de uma releitura crítica da obra
de Edwin Hubble. O artigo procurará levantar críticas ao modelo
de um Universo criado (Big Bang), finito no espaço e no tempo,
como aceito atualmente pela Cosmologia Moderna, percorrendo
histórias desconhecidas na Física e recuperando um pouco da
visão de Giordano Bruno sobre o infinito, especialmente neste ano
em que se comemoram os 400 anos de sua execução.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >