O discurso de formandos do curso de Letras: “Falta coesão, falta coerência no texto de uma menina de 10 anos!”

Autores

  • Orlando de Paula Universidade de Taubaté

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2014v11n4p444

Palavras-chave:

Coesão e coerência textuais, Heterogeneidade enunciativa, Dialogismo

Resumo

Nosso intuito neste artigo é discutir as formas de manifestação dos conceitos de coesão e coerência textuais em textos produzidos por formandos do curso de Letras de universidades brasileiras. Trata-se de uma pesquisa cuja abordagem apoia-se no conceito de dialogismo e no conceito de heterogeneidade(s) enunciativa(s). Partimos do pressuposto de que o discurso dos formandos é constitutivamente heterogêneo, fato que pode ser captado na superfície textual por meio de marcas relacionadas com o conceito de heterogeneidade mostrada marcada. Como resultado, constatamos que os posicionamentos discursivos dos formandos revelam formações discursivas ligadas ao discurso didático e pedagógico, marcado, em geral, por uma atitude prescritivo-normativa, e que as referências à coesão e à coerência textuais indiciam noções diversas, ancoradas numa concepção tradicional de linguagem. 

Biografia do Autor

Orlando de Paula, Universidade de Taubaté

Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo, Mestre em Linguistica Aplicada pela Univerisdade de Taubaté, Professor efetivo de Língua Portuguesa da Universidade de Taubaté. Desenvolve pesquisa na área de leitura e escrita no ensino de lingua portuguesa.

Downloads

Publicado

2014-12-06

Edição

Seção

Artigo