Sadias diretrizes para rapazes do Dr. Haroldo Shryock: uma analítica da imagem em discurso

Autores

  • Rafael de Souza Bento Fernandes Universidade Estadual de Maringá (UEM)
  • Ismara Eliane Vidal de Souza Tasso Universidade Estadual de Maringá (UEM)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2018v15n2p2962

Palavras-chave:

Verdade, Virilidade, Corpo

Resumo

Sob a perspectiva da Análise do Discurso de orientação franco-brasileira, em especial a partir da teoria foucaultiana, objetiva-se compreender como se constitui o objeto do discurso “virilidade” em manual da década de sessenta O môço e seus problemas, do Dr. Shryock (1969), estabelecendo relação com anúncios de campanha publicitária contemporânea da empresa de telefonia móvel Oi e dois posts de páginas de site de relacionamento Facebook, cujos padrões de elementos repetíveis em termos de iconografia do corpo (posturas, gestos, olhares) desvelam efeitos de verdade e de poder sobre o que é ser homem “de verdade”. Conjectura-se que a construção da virilidade, vinculada ao domínio médico, perpassa a apreciação moral (e religiosa) sobre condutas modelares de corpos em vigília, estabelecendo regimes de exclusão de toda sorte que fazem reverberar (regidos por dispositivo da tradição) efeitos de verdade segundo os quais masculinidade é sinônimo de dominância.

Biografia do Autor

Rafael de Souza Bento Fernandes, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutorando em Linguística pela Universidade Estadual de Maringá – PLE/UEM, com período “sanduíche” (CAPES-PSDE/Edital 2016) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Portugal – FLUC. Membro do GEDUEM/CNPq. 

Ismara Eliane Vidal de Souza Tasso, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Pós-doutora pelo IEL/UNICAMP. Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP/Araraquara. Professora do Departamento de Língua Portuguesa e do Programa de Pós-Graduação em Letras da UEM/PR. Líder do GEDUEM/CNPq.

Publicado

2018-07-12

Edição

Seção

Artigo