Embates entre vozes na reestruturação curricular de cursos de Letras: o discurso da interdisciplinaridade em questão

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-8412.2020.e67681

Palavras-chave:

Núcleo Docente Estruturante, Diretrizes curriculares, Interdisciplinaridade, Responsividade

Resumo

Este artigo objetiva investigar como os professores do Núcleo Docente Estruturante (NDE) de Cursos de Letras de uma universidade pública respondem ao discurso da interdisciplinaridade presente nas Diretrizes Curriculares Nacionais. Os dados empíricos foram obtidos por meio de estudo documental e entrevista coletiva realizada com os professores que integram o NDE. Orientam a pesquisa, pressupostos bakhtinianos, bem como outros aportes teóricos levantados para construir inteligibilidades sobre os dados, favorecendo o debate em torno da formação inicial de professores de língua e das refrações e revalorizações dos princípios e orientações dos discursos legais relacionados à reestruturação de cursos. A análise dialógica permitiu constatar que os embates estiveram presentes no processo de reformulação dos Projetos Pedagógicos dos Cursos de Letras e que, na construção da proposta curricular, prevaleceram os valores da voz da tradição.

Biografia do Autor

Jozanes Assunção Nunes, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com estágio na Universidade Nova de Lisboa, em Portugal. Foi professora e coordenadora do Curso de Letras da Universidade de Cuiabá e professora concursada da Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso. Atualmente, é professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagem da Universidade Federal de Mato Grosso (PPGEL-UFMT) e Técnica em Assuntos Educacionais da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROEG) - UFMT, desenvolvendo atividades de orientação pedagógica.

Referências

AIRES, J. A. Integração curricular e interdisciplinaridade: sinônimos? Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 36, n.1, p. 215-230, jan./abr., 2011. Disponível em: http://www.ufrgs.br/edu_realidade. Acesso em: 20 abr. 2016.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, M.. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011a [1952-1953]. p. 261-306.

BAKHTIN, M. Apontamentos de 1970-1971. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 6.ed. Trad. Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011b [1970-1971]. p. 367-392.

BAKHTIN, M. Problemas da poética de Dostoiévski. Trad. Paulo Bezerra. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013 [1963].

BAKHTIN, M. O discurso no romance. In: BAKHTIN, M. Questões de literatura e de estética: a teoria do romance. 3. ed. Trad. Aurora Fornoni Bernardini et al. São Paulo: Unesp, 2014 [1934-1935]. p. 71-210.

BAKHTIN, M.. Para uma filosofia do ato. Tradução de Carlos Alberto Faraco e Cristóvão Tezza da edição americana Toward a philosophy of the act. Austin: University of Texas press, 1993 [1919/1921]. Tradução destinada exclusivamente para uso didático e acadêmico.

BRAIT, B. Análise e teoria do discurso. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2008. p. 9-31.

BRAIT, B.; MAGALHÃES, A. S. Uma palavra sobre dialogismo. In: BRAIT, B.; MAGALHÃES, A. S. (org.). Dialogismo: teoria e(m) prática. São Paulo: Terracota, 2014. p.13-15.

BRASIL. Parecer CNE/CES 492/2001. Conselho Nacional de Educação - Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de Filosofia, História, Geografia, Serviço Social, Comunicação Social, Ciências Sociais, Letras, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia. Brasília, 2001a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP012002.pdf. Acesso em: 04 out. 2013.

BRASIL. Parecer CNE/CP 009/2001, de 8 de maio de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: Ministério da Educação, 2001b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/009.pdf. Acesso em: 24 jun. 2014.

BRASIL. Resolução CNE 2, de 19 de fevereiro de 2002. Conselho Nacional de Educação - Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação em nível superior. Brasília, 2002b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP012002.pdf. Acesso em: 12 nov. 2014.

BRASIL. Resolução Nº 01, de 17 de junho de 2010 – Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior – CONAES. Brasília, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=15712&Itemid=1093. Acesso em: 04 out. 2013.

BRASIL. Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Brasília, 2012. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/avaliacao_cursos_graduacao/instrumentos/2012/instrumento_com_alteracoes_maio_12.pdf. Acesso em 25 nov. 2014.

BRASIL. Parecer CNE/CP 2/2015, de 9 de junho de 2015. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, 2015. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21123&Itemid=866. Acesso em: 07 jul. 2015.

DELORS, Jacques (org.). Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre a Educação para o século XXI. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: MEC, UNESCO, 1998.

FIORIN, J. L. Linguagem e interdisciplinaridade. Alea: Estudos Neolatinos, Rio de Janeiro, v.10 n.1, jan./jun. 2008. p. 29-53.

MARCUSCHI, L. A. Análise da conversação. 5. ed. São Paulo: Editora Ática, 2000.

MESQUITA, N. A. da S.; SOARES, M. H. F. B. Tendências para o ensino de química: o caso da interdisciplinaridade nos projetos pedagógicos das licenciaturas em química em Goiás. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v. 14, n. 1, jan.-abr., 2012.

MORIN E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 9. ed. São Paulo: Cortez; Brasília (DF): UNESCO, 2004.

SANTOS, S. S. C.; HAMMERSCHMIDT, K. S. de A. A complexidade e a religação de saberes interdisciplinares: contribuição do pensamento de Edgar Morin. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 65, n. 4, jul.-ago., p. 561-565, 2012.

VEIGA, I. P. A. Educação básica e educação superior: projeto político-pedagógico. São Paulo: Parirus Editora, 2012.

VOLÓCHINOV, V. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Trad. Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017 [1929].

Publicado

2020-12-30