A psicologia social sociológica: percursos, rumos e contemporaneidade de uma tradição teórico-metodológica

Autores

  • Rita de Cássia Fazzi Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG
  • Jair Araujo de Lima Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2016v13n3p101

Palavras-chave:

Psicologia Social Sociológica, História da Sociologia, História da Psicologia Social, Interacionismo Simbólico

Resumo

O artigo pretende realizar a tarefa de revisitar a história de uma tradição sociológica que nasceu e se desenvolveu enquanto psicologia social direcionada ao estudo dos indivíduos em interação e que postula uma concepção do “sujeito” como agente capaz e reflexivo, que em todo tempo inventa e reinventa a si mesmo, povoando os cenários sociais, formando e transformando a realidade social. A tradição da psicologia social sociológica inicia-se na França com Tarde e Le Bon e foi institucionalizada nos Estados Unidos, consistindo no efetivo modelo de sociologia praticada em seus primeiros anos naquele país. Dessa tradição fazem parte a Escola de Chicago e o Interacionismo Simbólico.

Biografia do Autor

Rita de Cássia Fazzi, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG

Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG

 

Jair Araujo de Lima, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG

Mestrando em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte,MG, Brasil

Referências

Referências

ABARCA, Amalio Blanco. Cinco tradiciones en la psicologia social. (2.ed.). Madrid: Ediciones Morata, 1995.

ABIB, José Antônio Damásio. Epistemologia pluralizada e história da psicologia. In: Scientiae Studia. São Paulo, v.07, n.02, 2009.

ADORNO, Theodor. W. et all.. The authoritarian personality. Studies on prejudice. New York: Harper & Brothers, 1950.

_____. De la relación entre sociología y psicología. (1955). In: _____. Actualidad de la filosofia. Barcelona: Paidós, 1991, pp. 135-204

_____. As estrelas descem à Terra. A coluna de astrologia do Los Angeles Times: um estudo sobre superstição secundária. São Paulo: Editora UNESP, 2008 [1970].

_____. Regente e orquestra: aspectos sociopsicológicos. (1962). In: _____. Introdução à sociologia da música. Doze preleções teóricas. São Paulo: Editora UNESP, 2011, p.217-238.

ALEXANDER, Jeffrey C. O novo movimento teórico In: Revista Brasileira de Ciências Sociais. ANPOCS, n. 04, v.02, junho, 1987, p.05-28.

ALMEIDA, Angela Maria de Oliveira. Abordagem societal das representações sociais. In: Sociedade e Estado. Brasília, v. 24, n. 3, set./dez., 2009, p. 713-737.

ALVARO, José Luis; GARRIDO, Alicia. Psicologia social: perspectivas psicológicas e sociológicas. São Paulo: McGraw-Hill, 2007.

ÁLVARO-ESTRAMIANA, José Luis; GARRIDO-LUQUE, Alicia. Orígenes sociológicos de la psicología social. In: Revista Española de Investigaciones Sociológicas (REIS). Vol.118, 2007, p.11-16.

ANGERS, Maurice. Se connaître autrement grâce à la sociologie. Initiation aux rapports individu et société. (3.ed). Anjou, Québec : Fides éducation, 2013.

ARAUJO, Kathya; MARTUCCELLI, Danilo. La individuación y el trabajo de los indivíduos. In: Educação e Pesquisa. São Paulo. Vol. 36, n. especial, 2010, p. 77-91.

BAZILLI, Chirley et al.. Interacionismo simbólico e teoria dos papéis: uma aproximação para a psicologia social. São Paulo: EDUC, 1998.

BECKER, Howard. A Escola de Chicago. In: Mana. Estudos de antropologia social. Vol. 02, n.02, 1996, p.177-188.

BERNARD, Luther Lee. Psicologia social. (1.ed.). México: Fondo de Cultura Economica, 1946 [1926].

BLONDEL, Charles. Introdução à psicologia coletiva. (5.ed.). Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1960.

BLUMER, Herbert. A natureza do interacionismo simbólico. In: MORTENSEN, Christopher David. Teoria da comunicação: textos básicos. São Paulo: Mosaico, 1980. p. 119-138.

BLUMER, Herbert. Symbolic interacionism: perspective and method. Englewood Cliffs/New York: Prentice-Hall, 1969.

BOUDON, Raymond; BOURRICAUD, Françoist. Apresentação. In: ______. ; ______. Dicionário crítico de sociologia. São Paulo: Editora Ática, 1993a [1982], p.xxv-xxx.

______.; ______. Spencer. In: ______.; ______. Dicionário crítico de sociologia. São Paulo: Editora Ática, 1993b [1982], p.535-543.

BOURRICAUD, François. Contre le sociologisme: une critique et des propositions. In: Revue française de sociologie. Vol. 16, n.01, 1975, p. 583-603.

BRAMSON, Leon. Os conceitos americano e europeu de comportamento coletivo. In: ______. O conteúdo político da sociologia. Rio de Janeiro/São Paulo: Editora Fundo de Cultura, 1963, p.59-84.

CARVALHO, Virgínia Donizete de; BORGES, Livia de Oliveira; REGO, Denise Pereira do. Interacionismo simbólico: origens, pressupostos e contribuições aos estudos em Psicologia Social. In: Psicologia Ciência e Profissão. 2010, v.30, n.1, p. 146-161.

CASAS, Ferrán. Desafios atuais da psicologia na intervenção social. In: Psicologia & Sociedade. Vol.17, n. 02, mai./ago.,2005, p. 42-49.

CHAVES, Sandra Souza da Silva; BORGES, Lívia de Oliveira. Um bom caminha para adentrar a psicologia social. (Resenha). In: Estudos de Psicologia. Vol.10, n.02, 2005, p. 321-323.

CLARK, Terry. The Structure and Functions of a Research Institute: The Année Sociologique. In: Archives Européennes de sociologie. N.01, v. IX, 1968

CLARKE, Egerton. Social exchange and symbolic interaction perspectives: exploring points of convergence in research on family and aging. In: International Journal of Comparative Sociology. Vol. 38, september, 1997, p. 296-304.

COLEMAN, James S. Microfoundations of macrosocial behavior. In: ALEXANDER, Jeffrey. C.; GIESEN, Bernhard.; MÜNCH, Richard.; SMELSER, Neil J. (Ed.) The micro-macro link. Berkeley: University of California Press, 1987, p.153-173.

CONSOLIM, Márcia Cristina. Crítica da razão acadêmica: campo das ciências sociais “livres” e psicologia social francesa no fim do século XIX. (Tese de doutorado não publicada). Faculdade Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. São Paulo: USP, 2007.

______. Gabriel Tarde e as ciências sociais francesas: afinidades eletivas. In: Mana. Estudos de antropologia social. Vol.14, n.02, 2008,p.269-298.

______. Émile Durkheim e Gabriel Tarde: aspectos teóricos de um debate histórico (1893-1904). In: História: questões & debates. Curitiba, n. 53, jul./dez., 2010, p. 39-65.

CORCUFF, Philippe. As novas sociologias: construções da realidade social. São Paulo: EDUSC, 2001.

COSER, Lewis A. Tendências americanas. In: BOTTOMORE, Tom e NISBET, Robert. História da análise sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1980, p. 379-420.

COULON, Alain. A Escola de Chicago. Campinas, SP: Papirus Editora, 1995a.

______. Etnometodologia. Petrópolis-RJ: Editora Vozes, 1995b.

CUVILLIER, Armand Joseph. Introdução à sociologia. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1966.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Lisboa: Relógio d'Água, 2000.

DOISE, Willen ; MUGNY, Gabriel. Psychologie sociale & développement cognitif. Paris: Armand Colin/Masson, 1997.

DURKHEIM, Émile. Representações individuais e representações coletivas. (1898). In: ______. Sociologia e filosofia. São Paulo: Martin Claret, 2009 [1924].

ESTRAMIANA, José Luis Álvaro et al. Introducción a la psicologia social sociológica. Barcelona: Editorial UOC, 2007.

EUFRASIO, Mário A. A formação da Escola sociológica de Chicago. In: Plural: Revista de Sociologia. USP. Vol. 02, 1º semestre, 1995, p.37-60.

______. Estrutura urbana e ecologia humana: a escola sociológica de Chicago (1915-1940). São Paulo: Editora 34, 1999.

______. A Escola de Chicago de Sociologia: perfil e atualidade. Anais do 33º encontro do CERU/USP, 2008.

FARR, Roberto M. As raízes da psicologia social moderna. (9. ed.). Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

FINE, Gary Alan. Symbolic Interactionism in Pós-Bulmerian Age. In: RITZER, George. (Org.) Frontiers of social theory: the new synthesis. New York: Columbia University press, 1990, p.117-157.

______. O triste espólio, o misterioso desaparecimento e o glorioso triunfo do interacionismo simbólico. In: Revista de Administração de Empresas (RAE). Vol.45, n.4, out/dez, FGV, 2005 [1993], p..87-103.

FONTOURA, Amaral. Introdução à sociologia (v. I). Porto Alegre: Editora Globo, 1971.

GAULEJAC, Vincent de. O âmago da discussão: da sociologia do indivíduo à sociologia do sujeito. In: Revista Cronos. Natal-RN, v. 05/06, n. 01/02, jan./dez., 2004/2005, p. 47-58.

GOFFMAN, Erving. Frame analysis: an essay on the organization of experience. Nova York: Harper Colophon Books, 1974.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. (8. ed.). Rio de Janeiro: Record, 2004.

GONÇALVES, Márcio Souza; CLAIR, Ericson Saint. Antes Tarde do que nunca: notas sobre as contribuições de Gabriel Tarde para a análise da articulação entre comunicação e cultura. In: Revista Galáxia. São Paulo, n. 14, dez., 2007, p. 137-148.

GONOS, George. "Situation" versus "Frame": the "Interactionist" and the "Structuralist" Analyses of Everyday Life. In: American Sociological Review. Vol. 42, n.06, december, 1977, p. 854-867.

GONZÁLEZ REY, Fernando. O social na psicologia e a psicologia social: a emergência do sujeito. (2. ed.) Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2009.

GOULART, Iris Barbosa; BREGUNCI, Maria das Graças de Castro. Interacionismo Simbólico: uma perspectiva psicossociológica. Revista em Aberto. Brasília, ano 9, n. 48, out./dez., 1990, p.51-60.

GURVITCH, Georges. Breve esboço da história da sociologia. In: ______. (Org.). Tratado de sociologia. (Vol., I). Porto: Iniciativas Editoriais, 1964, p.51-98.

HATFIELD, Gary Remaking the Science of Mind: Psychology as Natural Science. In: FOX, Christopher; PORTER, Ro; WOKLER, Robert (Org.). Inventing human science. Eighteenth-Century Domains. Berkeley and Los Angeles: University of California Press, 1995, p.185-231.

HUME, David. Investigação acerca do entendimento humano. São Paulo. Companhia Editora Nacional, 1972 [1748].

______. Tratado da natureza humana. São Paulo: UNESP, 2000 [1739].

JACÓ-VILELA, Ana. M.; FERREIRA, Arthur Arruda L.; PORTUGAL, Francisco. T. (Org.). História da psicologia: rumos e percursos. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2006.

JAMES, Willian. Apelo para que a psicologia seja uma ciência natural. In: Scientiae Studia. São Paulo, v. 7, n. 2, 2009, [1892], p. 317-24.

JOAS, Hans. Interacionalismo simbólico. In: GIDDENS, Anthony; TURNER, Jonathan. (Org.) Teoria social hoje. São Paulo: Editora UNESP, 1999, p. 127-174.

KAUFMANN, Jean-Claude. Ego, Pour une sociologie de l’individu. Paris, Nathan/VUEF, 2001.

KINOUCHI, Renato Rodrigues. Tão perto, tão distante: William James e a psicologia contemporânea. In: Scientiae Studia. São Paulo, v.0 7, n. 02, 2009, p. 309-15.

LAHIRE, Bernard. A sociologia psicológica. In: ______. Homem plural: os determinantes da ação. 2002, p.189-203.

______. Patrimônios individuais de disposições: para uma sociologia à escala individual. In: Sociologia, Problemas e Práticas. N. 49, 2005, p. 11-42.

______. A cultura dos indivíduos. Porto Alegre: Editora Artmed, 2006.

______. Esboço para um programa científico de uma sociologia psicológica. In: Educação & Pesquisa. São Paulo. Vol. 34, n.02, maio/ago., 2008, p. 373-389.

LEGROS, Patrick et al.. Sociologie de l’imaginaire. (Collection Cursus Sociologie). Paris: Armand Colin, 2006.

MAGALHÃES, Marcos Pereira. O eclipse do olhar e a invisibilidade arqueológica. In: Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas/Arqueologia, Belém, v.01, n.0 3, set-dez. 2006, p. 93-119.

MANIS, Jerome G.; MELTZER, Bernard N. Symbolic interactionism: a reader in social psychology. Boston: Allyn & Bacon, Inc. 1978.

MARTUCCELLI, Danilo. Gramáticas del individuo. Buenos Aires: Losada, 2002.

______. Cambio de rumbo. La sociedad a escala del individuo. Santiago de Chile: LOM, 2007.

______. ; SINGLY, François de. Les sociologies de l'individu. Paris: Armand Colin, 2010.

MELLO NETO, Gustavo Adolfo Ramos. A psicologia social nos tempos de S. Freud. In: Psicologia: Teoria e Pesquisa. Vol.16, n.2, 2000, p. 145-152.

MELUCCI, Alberto. Por uma sociologia reflexiva: pesquisa qualitativa e cultura. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2005.

MENDRAS, Henry. Princípios de sociologia: uma iniciação à análise sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1975.

MOSCOVICI, Serge. Social representations: explorations in social psychology. [Gerard Duveen - Ed. Nova York: Polity Press/Blackwell Publishers, 2000.

MOUNIER, Emmanuel. O personalismo. Rio de Janeiro: Edições Texto e Grafia, 2010.

MUNNÉ, Frederic. La construcción de la psicología social como ciencia teórica. PPU. Barcelona. 1993.

______. Entre el individuo y la sociedad. Marcos y teorías actuales sobre el comportamiento interpersonal. Barcelona: E.U.B., 1996.

NOGUEIRA, Luis Castro. Contra el sociologismo: observaciones naturalistas a propósito de un ensayo de Juan Manuel Iranzo. In: Revista Española de Sociología. N. 22, 2014, p. 101-114.

ORTIZ, Renato. Durkheim: arquiteto e herói fundador. In: Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol.04, n.11, outubro, 1989, p.05-22.

PORTUGAL, Francisco. T. Psicologia social em George Mead, na Escola de Chicago e em Erving Goffman. In: JACÓ-VILELA, Ana. M.; FERREIRA, Arthur A.rruda L.; PORTUGAL, Francisco. T. (Org.). História da psicologia: rumos e percursos. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2006, p.463-472.

RAMOS, Arthur. Introdução à psicologia social. São Paulo: Editora Casa do Estudante do Brasil, 1993 [1957].

RIBEIRO, Ednaldo Aparecido. O elemento voluntarista na sociologia de Talcott Parsons. In: Acta Scientiarum. Human and Social Sciences. Maringá, v. 28, n. 01, 2006, p. 93-98.

RIESMAN, David. A multidão solitária. Um estudo da mudança do caráter americano. São Paulo: Editora Perspectiva, 1995 [1950].

ROSE, Nikolas. Inventing our selves. Psychology, power, and personhood. United Cambridge/ New York: Cambridge University Press, 1998.

SCHELLENBERG, James A. Los fundadores de la psicología social: Freud, Mead, Lewin, Skinner. Madrid: Allianza Editorial, 1985.

SCHWANDT, Thomas A. Três posturas epistemológicas para a investigação qualitativa. In: DENZIN, Norman. K.; LINCOLN, Yvonna. S. (Ed.) O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Bookman e Artmed,2006, p.193-217.

SIMMEL, Georg. Questões fundamentais da sociologia. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 2006.

SINGLY, François de. Les uns avec les autres. Quand l’individualisme crée du lien. Paris: Armand Colin, 2003.

SMITH, Adam. Teoria dos sentimentos morais. São Paulo: Martins Fontes, 1999 [1759].

STRAUSS. Anselm. L. Espelhos e máscaras: a busca da identidade. São Paulo: Edusp, 1999

STRYKER, Sheldon. The vitalization of symbolic interactionism. In: Social Psychology Quarterly. Vol. 50, n.01, mar., 1987, p. 83-94.

______. From Mead to a structural symbolic interactionism and beyond. In: Annual Review of Sociology. Vol.34, 2008, p. 15-31

TIMASHEFF, Nicholas S. Teoria sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1971.

TOMASINI, Maristella Bleggi. Gabriel Tarde o jurista sociólogo (Introdução). In: TARDE, Gabriel. As transformações do direito. Estudo sociológico. São Paulo: Editora Supervirtual, 2002, p.08-61.

TOURAINE, Alain. Le retour de l'acteur. Essai de sociologie. Paris: Librairie Arthème Fayard, 1984.

TURNER, Jonathan H. The origins of human emotions. A sociological inquiry into the evolution of human emotions. California : Stanford University Press, 2000.

VALLADARES, Lícia do Prado. (Org). A Escola de Chicago: impacto de uma tradição no Brasil e na França. Rio de Janeiro/Belo Horizonte: UFMG/IUPERJ, 2005.

VAN VELSEN, Jaap. A análise situacional e o método de estudo de caso detalhado. In: FELDMAN-BIANCO, Bela. Antropologia das sociedades contemporâneas: métodos. São Paulo: Editora UNESP, 2010 [1967], p.437-468.

VARGAS, Eduardo Viana. Antes Tarde do que nunca: Gabriel Tarde e emergência das ciências sociais. Belo Horizonte: Contra Capa, 2000.

WRIGHT-MILLS, Charles. A imaginação sociológica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1980.

Downloads

Publicado

2016-09-01

Edição

Seção

Artigos - Condição Humana na Modernidade