A Universidade pública em tempos de ajustes neoliberais e desmonte de direitos

Autores

  • Mailiz Garibotti Lusa Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Serviço Social, Curso de Serviço Social, Porto Alegre, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6007-1383
  • Tiago Martinelli Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Serviço Social, Curso de Serviço Social, Porto Alegre, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-3496-0873
  • Samara Ayres Moraes Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Serviço Social, Curso de Serviço Social, Porto Alegre, RS, Brasil.
  • Tiago Pacheco Almeida Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Serviço Social, Curso de Serviço Social, Porto Alegre, RS, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0917-1696

DOI:

https://doi.org/10.1590/1982-02592019v22n3p536

Resumo

Neste estudo é apresentada uma análise da educação pública brasileira, com enfoque no ensino superior, que toma por base o histórico da contínua disputa entre projetos para área, considerando suas consequências para a educação brasileira ao longo do tempo. Ao mesmo tempo, busca-se expressar a perspectiva daqueles que estão comprometidos com a luta por uma alternativa transformadora e emancipatória para a educação, diante da conjuntura de ofensiva neoliberal e retirada de direitos. Através das categorias e concepções do pensamento gramsciano, apontam-se instrumentos potencialmente transformadores e fortalecedores da estratégia de resistência à hegemonia burguesa e neoliberal, fazendo deste conjunto de instrumentos um campo de intervenção para professores, pesquisadores e alunos comprometidos com a defesa e com o fortalecimento da universidade pública. 

Biografia do Autor

Mailiz Garibotti Lusa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Departamento de Serviço Social, Curso de Serviço Social, Porto Alegre, RS, Brasil.

Professora Adjunta do Departamento de Serviço Social (DSS-SSO) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É Assistente Social graduada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mestre e doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Entre 2010 e 2014 foi Professora Adjunta da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), no Curso de Serviço Social do Campus Arapiraca. Coordena o Núcleo de Estudos e Pesquisas Terra, Trabalho e Política Social (UFRGS - DGP-CNPq). Atua principalmente nos seguintes temas: Serviço Social e espaço rural; lutas sociais e movimentos sociais camponeses; formação profissional e fundamentos do Serviço Social; gênero, divisão sócio sexual do trabalho e políticas públicas de gênero.

Referências

BARBOSA, M. de Q. A demanda social pela educação e a inserção do serviço social na educação brasileira. Campinas: Papel Social, 2015.

BRASIL. Decreto nº 2.207, de 15 de abril de 1997. Regulamenta, para o Sistema Federal de Ensino, as disposições contidas nos arts. 19, 20, 45, 46 e § 1º, 52, parágrafo único, 54 e 88 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [1997]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D2207impressao.htm Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição Da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2019a]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ConstituicaoCompilado.htm. Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Emenda Constitucional nº 93, de 8 de setembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para prorrogar a desvinculação de receitas da União e estabelecer a desvinculação de receitas dos Estados, Distrito Federal e Municípios. Brasília, DF: Presidência da República [2016a]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc93.htm Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2016b]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc95.htm. Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e as Leis nºs 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho. Brasília, DF: Presidência da República, [2017]. Disponível em: https://legis.senado.leg.br/norma/17728053. Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei nº 876/2015. Regulamenta a realização de eventos, manifestações públicas, passeatas, comícios, shows e quaisquer outras atividades que provoquem aglomeração humana mediante prévio aviso e comunicação às autoridades que menciona, e à população. Brasília, DF, 24 mar. 2015a. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=105084. Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Proposta de Emenda à Constituição nº 4/2015. Altera o art. 76 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Brasília, DF, 11 fev. 2015b. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=946734. Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Proposta de Emenda à Constituição nº 233/1995. Modifica o artigo 34 e o Capítulo III, Seção I, da Constituição Federal e o artigo 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Brasília, DF, 23 out. 1995. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=24986. Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Proposta de Emenda à Constituição PEC nº 56/1991. Altera dispositivos da Constituição Federal (desregulamentação). Brasília, DF, 10 out. 1991. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=169337. Acesso em: 17 jun. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Censo da Educação Superior 2018: notas estatísticas. Brasília, 2019. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/

document/id/6734509. Acesso em: 25 set. 2019.

COLETIVO NACIONAL DE ADVOGADOS DE SERVIDORES PÚBLICOS. Orientação aos docentes: liberdade de cátedra, de ensino e de pensamento. [S. l.]: Coletivo Nacional de Advogados de Servidores Públicos, [2018]. Disponível em: https://ww2.icb.usp.br/icb/wp-content/uploads/2018/11/Cartilha_Liberdade_Catedra_Ensino_Pensamento.pdf?x89681. Acesso em: 17 jun. 2019.

FERNANDES, F. O desafio educacional. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1989.

FERNANDES, F. Universidade brasileira: reforma ou revolução? São Paulo: Alfa-Omega, 1975.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere, volume 2. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere, volume 4. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

ENCONTRO DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS, 1., 1987, Brasília, DF. Anais [...]. Brasília, DF: Universidade de Brasília, 1987. Disponível em: https://www.ufmg.br/proex/renex/images/documentos/1987-I-Encontro-Nacional-do-FORPROEX.pdf. Acesso em: 27 jan. 2019.

LIMA, D. G. de; LIMA, R. de L. de. A EC-95/2016 e a educação superior no Brasil: a materialização perversa do novo regime fiscal. Universidade e Sociedade, ano 19, n. 63, p. 46-57, jan. 2019.

LIMA, K. Contrarreforma na educação superior: de FHC a Lula. São Paulo: Xamã, 2007.

MANDEL, E. O capitalismo tardio. São Paulo: Abril Cultural, 1982. p. 3-72.

MASCARO, A. L. Crise e golpe. São Paulo: Boitempo, 2018.

NOSELLA, P. Compromisso político e competência técnica: vinte anos depois. In: ORSO, P. J. et al. (org.). Educação, sociedade de classes e reformas universitárias. Campinas: Autores Associados, 2007. p. 27-42.

OLIVEIRA, C. de; SILVA, G. O Novo Regime Fiscal: tramitação e impactos para a educação. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 34, n. 1, p. 253-269, jan./abr. 2018. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/rbpae/article/view/77586. Acesso em: 20 set. 2018.

ORSO, P. J. A criação da universidade e o projeto burguês de educação no Brasil. In: ORSO, P. J. et al. (org.). Educação, sociedade de classes e reformas universitárias. Campinas: Autores Associados, 2007. p. 43-62.

SANTOS, M. E. de M.; JIMENEZ, S.; GONÇALVES, R. M. de P. A produção e a gestão da pobreza: das relações entre capital, estado e educação. In: NOMERIANO, A. S. et al. (org.). As políticas educacionais no contexto dos limites absolutos do Estado e do capital em crise. Maceió: Coletivo Veredas, 2017. p. 55-73.

SILVA, J. M.; SANTOS, S. C. M. dos. O projeto de educação da classe trabalhadora na sociabilidade capitalista: uma análise crítica no cenário brasileiro. In: NOMERIANO, A. S. et al. (org.). As políticas educacionais no contexto dos limites absolutos do Estado e do capital em crise. Maceió: Coletivo Veredas, 2017. p. 159-178.

TONET, I. Marxismo, educação e pedagogia socialista. In: NOMERIANO, A. S.; SILVA, R. C.; GUIMARÃES, V. J. B. (org.). As políticas educacionais no contexto dos limites absolutos do Estado e do capital em crise. Maceió: Coletivo Veredas, 2017. p. 223-238.

TONET, I. Educação contra o capital. 3. ed. Maceió: Coletivo Veredas, 2016.

Downloads

Publicado

2019-11-08