Sobre a Revista

Foco e Escopo

Os debates sobre o pluralismo de idéias e a interdisciplinaridade na produção do conhecimento na Educação Física e áreas afins fizeram este projeto editorial constituir-se num veículo para a difusão de pesquisas que tematizam questões referentes à cultura corporal na sua interface com as ciências humanas e sociais, notadamente abordagens socioculturais, filosóficas e pedagógicas.

Processo de Avaliação pelos Pares

Motrivivência adota o sistema de avaliação inter-pares (peer-to-peer) em duplo-cego, o que garante o anonimato e a impessoalidade de todo o processo. Os artigos submetidos serão avaliados inicialmente por dois pareceristas selecionados pela comissão editorial da revista.

Com base nos pareceres, a comissão editorial emitirá aos autores um dos seguintes conceitos: aprovado para publicação, correções obrigatórias, rejeitado para publicação (arquivado).

Um parecer de aprovação e um de rejeição implica que o texto será encaminhado a um terceiro revisor, para desempate. Dois pareceres de rejeição, ou ainda, um parecer de rejeição e um de correções obrigatórias, determinam a rejeição do artigo.

A condição de "aprovado" não garante que o texto seja incluído na próxima edição da revista. Os textos aprovados serão publicados seguindo a ordem cronológica de submissão na plataforma.

Obs.: como norma editorial, não publicamos no mesmo número dois ou mais textos de um mesmo autor/coautor. Nesses casos, é publicado o mais antigo, ficando o(s) outro(s) para edições seguintes.

 

Periodicidade

Anual - entre 1988 e 1997;

Semestral - entre 1998 e 2014;

Quadrimestral - a partir de 2015, com publicação de edições nos meses de maio, setembro e dezembro.

Trimestral - a partir de 2018, com publicações em março, junho, setembro e dezembro

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. É vedado o uso comercial de conteúdos disponibilizados nas edições da revista.

Solicita-se que, caso algum conteúdo da revista seja reutilizado com objetivos acadêmicos, seja citada a fonte.

Como adquirir números anteriores

É preciso realizar uma consulta prévia, pois apenas algumas edições estão disponíveis na versão impressa. Para tanto, deve-se entrar em contato com os envolvidos na organização da Revista:

LaboMídia : (48) 3721-2904 ou pelo email: giovani.pires@ufsc.br

Estatísticas da revista Motrivivência

 

Redes sociais

Curta nossa página no facebook e acompanhe os informativos da Revista Motrivivência.

Histórico da revista

Completanto em 2018 seu trigésimo aniversário (1988-2018), Motrivivência percorreu nesse período uma trajetória de lutas, dificuldades e realizações.

Sua história pode ser dividida em três fases: a) o nascimento/desenvolvimento junto ao Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe (1988-1993),  b) sua consolidação/ampliação, vinculada ao NEPEF (Núcleo de Estudos Pedagógicos da Educação Física) do Centro de Desportos da Universidade Federal de Santa Catarina, a partir de 1994, c) sua transformação em revista digital, a partir de 2007, agora sob a responsabilidade editorial do LaboMidia/Centro de Desportos/UFSC.

Nascida num momento de ebulição da sociedade nacional (que se preparava para eleger seu Presidente da República pela primeira vez em quase 28 anos) e da Educação Física (com a constituição de um pensamento crítico da área), Motrivivência agregou esses predicados ao seu projeto editorial desde a sua criação.

Nos primeiros anos, a revista publicava uma edição anual; sua vinda para a UFSC proporcionou que ela assumisse periodicidade semestral. Fato comum nesse período foram as edições em formato de dossiê, com textos por submissões espontâneas e também sob encomenda para especialistas dos temas escolhidos. Desde 2015, a revista tornou-se quadrimestral e, em uma edição a cada ano, traz uma seção temática com chamada pública.

Seguindo a tendência mundial dos periódicos científicos, Motrivivência é publicada exclusivamente em formato digital desde 2007, na plataforma SEER e acolhida no Portal de Periódicos da BU/UFSC, sendo que todo o acervo da revista foi digitalizado e disponibilizado em seu site em acesso livre para leitura e download.

Por ocasião do 25ª aniversário, Motrivivência publicou um artigo sobre sua trajetória histórica e perspectivas, em que mais detalhes podem ser conhecidos: http://rbceonline.org.br/pt/motrivivencia-25-registros-uma-trajetoria/articulo-resumen/S0101328914000134/

Conduta ética e procedimentos

  • Editores

A prática editorial e a relação do editor com autores e avaliadores estão amparadas no Código de conduta para editores, do Committee on Publication Ethics (COPE).

Toda decisão editorial se fundamenta na relevância, originalidade, clareza e validade do estudo para atendimento do escopo da revista.

  • Avaliadores

A avaliação se baseia no mérito do trabalho, não influenciada, positiva ou negativamente, por motivos pessoais, financeiros ou preconceitos intelectuais.

As submissões e os detalhes das revisões são mantidos sob confidencialidade.

O avaliador deve se certificar de qualquer potencial conflito de interesse na revisão da submissão. Ao se deparar com alguma irregularidade, o editor é comunicado, como por exemplo: identificação de plágio; fabricação, falsificação dos resultados; publicação redundante.

  • Autores

A indicação de autoria num trabalho científico se deve apenas àqueles que:

 a)   contribuem intelectual, direta e substancialmente na concepção da pesquisa/artigo (aquisição, análise ou interpretação dos dados do estudo);

b)   participam na construção das versões preliminares ou revisão crítica do conteúdo do artigo;

c)   aprovam a versão final do artigo a ser publicado;

d)   responsabilizam-se pela autoria a fim de garantir exatidão e integridade do artigo.

O(s) autor(es) deve(m) apresentar a declaração de existência do conflito de interesse quando for o caso.

  • Retratação e manifestação de preocupação

O editor tem o dever de agir na suspeita ou alegação de má conduta identificada. Esta investigação se estende tanto às submissões quanto aos artigos publicados.

A Revista Motrivivência tem como instrumento os fluxogramas COPE para apurar fatos e determinar as ações necessárias na resolução dos casos. Também adota os procedimentos de registro de retratação e manifestação de preocupação do Scielo, que tem como base orientações de comitês internacionais especializados na ética em pesquisa.

Fontes consultadas:

COMMITTEE ON PUBLICATION ETHICS (COPE). Code of conduct and best practice guidelines for journal editors. 2011. Disponível em: <http://publicationethics.org/files/Code%20of%20Conduct_2.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2016.

______. COPE ethical guidelines for peer reviewers. 2013. Disponível em: <http://publicationethics.org/files/Ethical_guidelines_for_peer_reviewers_0.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2016.

______. Flowcharts. 2016. Disponível em: <http://publicationethics.org/files/Full%20set%20of%20English%20flowcharts_9Nov2016.pdf>. Acesso em: 17 mar. 2017.

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO (FAPESP). Código de boas práticas científicas. São Paulo: FAPESP, 2014. 46 p. Disponível em: <http://www.fapesp.br/boaspraticas/FAPESP-Codigo_de_Boas_Praticas_Cientificas_2014.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2016.

INTERNATIONAL COMMITTEE OF MEDICAL EDITORS (ICMJE). Recomendações para elaboração, redação, edição e publicação de trabalhos acadêmicos em periódicos médicos. 2014. Tradução Eliane de Fátima Duarte e Thaís de Souza Andrade Pansani. Revisão Leila Posenato Garcia, Maurício Gomes Pereira, Tais Freire Galvão e Simônides da Silva Bacelar. Disponível em: <http://www.icmje.org/recommendations/translations/portugese2014.pdf>.  Acesso em: 16 mar. 2017.

SCIENTIFIC ELECTRONIC LIBRARY ONLINE (SciELO). Guia para o registro e publicação de retratações e manifestações de preocupação. 2015. Disponível em: < http://www.scielo.org/php/level.php?lang=pt&component=56&item=53>. Acesso em: 30 ago. 2016.

Política antiplágio

Antes de serem enviados para a avaliação pelos pareceristas, os artigos submetidos à Motrivivência passam por análise prévia de normalização, sendo submetidos aleatoriamente a software específico para detecção de possíveis plágios em arquivos de texto.

Os autores devem garantir a originalidade dos manuscritos e caso utilizem artigos de outros autores ou de si mesmos, que eles sejam devidamente citados. Praticar plágio ou autoplágio em todas as suas formas é inadmissível.

Desta forma, é possível que os autores recebam eventuais questionamentos durante o processo de avaliação do trabalho submetido referente a indicações apontadas pelos sistemas digitais utilizados.

Caso um plágio seja realmente identificado, o manuscrito será sumariamente devolvido ao autor.

Ficha catalográfica


(Catalogação na fonte pela DECTI da Biblioteca da UFSC)

Motrivivência [recurso eletrônico]: Revista de Educação física, esporte e lazer / Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desporto, Laboratório e Observatório da Mídia Esportiva. --  v.0, n.1 (1988).-- Florianópolis : LaboMidia , 2007 -

Anual 1988 - 1997 ; Semestral 1998 - 2014; Quadrimestral 2015 –
Resumo em português e espanhol.
A partir de maio de 2007, disponível no portal de periódicos da UFSC em:
https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia

E-ISSN: 2175-8042

1. Educação física - periódicos I. Universidade Federal de Santa Catarina. Departamento de Educação Física. Laboratório e Observatório da Mídia Esportiva.

Sponsors

Agradecemos à Universidade Federal de Santa Catarina pelo apoio, estímulo e fornecimento do espaço.

  • UFSC

Histórico do periódico

Quando completa seu trigésimo aniversário (1988-2018), Motrivivência percorreu nesse período uma trajetória de lutas, dificuldades e realizações.  

Sua história pode ser dividida em três fases: a) o nascimento/desenvolvimento junto ao Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe (1988-1993) e b) sua consolidação/ampliação, vinculada ao NEPEF (Núcleo de Estudos Pedagógicos da Educação Física) do Centro de Desportos da Universidade Federal de Santa Catarina, a partir de 1994, em formato impresso; c) sua transição para a versão digital, em 2008, no Portal de Periódicos da UFSC, sob a responsabilidade editorial do LaboMidia/UFSC – Laboratório e Observatório da Mídia Esportiva/UFSC.   

Nascida num momento de ebulição da sociedade nacional (que se preparava para eleger seu Presidente da República pela primeira vez em quase 28 anos) e da Educação Física, com a constituição de um pensamento crítico da área, Motrivivência agregou esses predicados ao seu projeto editorial desde a sua criação.  

Nos primeiros anos, a revista publicava uma edição anual; sua vinda para a UFSC proporcionou que ela assumisse periodicidade semestral. Fato comum nesse período foram as edições em formato de dossiê, com textos por submissões espontâneas e também sob encomenda para especialistas dos temas escolhidos. Desde 2015, a revista tornou-se quadrimestral e, em uma edição a cada ano, traz uma seção temática com chamada pública.  

Seguindo a tendência mundial dos periódicos científicos, Motrivivência é publicada exclusivamente em formato digital desde 2007, na plataforma SEER e acolhida no Portal de Periódicos da BU/UFSC, sendo que todo o acervo da revista foi digitalizado e disponibilizado em seu site em acesso livre para leitura e download. 

Por ocasião do 25ª aniversário, Motrivivência publicou um artigo sobre sua trajetória histórica e perspectivas, em que mais detalhes podem ser conhecidos: https://goo.gl/oIQGEf