TRABALHO FEMININO EM DOSE DUPLA: onde está o lazer?

Alessandro Barreta Garcia

Resumo


  O objetivo deste ensaio é apresentar o quadro teórico da inserção da cultura corporal de lazer entre trabalhadoras de baixa renda e baixo nível educacional, evidenciando os possíveis malefícios em função da dupla jornada de trabalho (trabalho formal e trabalho doméstico). Buscando, portanto, reproduzir a precarização do lazer a partir da falta de cultura corporal. Entendendo enfim em que medida o lazer se expressa de forma cultural e historicamente determinada.

Palavras-chave


Lazer; Trabalho Doméstico; Dupla Jornada; Cultura Corporal

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2009n32-33p375



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA