O higienismo no campo da Educação Física: estudos históricos

Pedro Milagres, Carolina Fernandes da Silva, Marizabel Kowalski

Resumo


Com intuito de contribuir para o conhecimento e a produção científica sobre o higienismo e as teorias de assepsia nas áreas da saúde e das ciências humanas, o presente artigo tem como objetivo verificar como estão configurados os estudos históricos sobre o movimento higiênico no campo da Educação Física. Os textos foram localizados e coletados nos sites eletrônicos da CAPES e SciELO, os quais têm contribuído para a divulgação do conhecimento científico em diversas áreas de pesquisa. Foi revelado um total de 141 artigos, dos quais 104 (74%) eram pesquisas históricas e os demais 37 (26%) são gerais. Do total, apenas 30 (21,27%) possuíam ligação como campo da Educação Física, 21 (70%) pertencem à temática histórica e os restante 9 (30%) generalizam temáticas com o campo em questão. Conclui-se que, apesar dos discursos higiênicos estarem historicamente presentes na legitimação da Educação Física, este é ainda pouco explorado na área.


Palavras-chave


Estado da arte; Educação física; Higienismo

Texto completo:

PDF/A

Referências


BARBOSA, Claudio Luiz de Alvarenga. Educação Física e Filosofia: A relação necessária. 2. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2011.

CANTARINO FILHO, Mário R. A Educação Física no Estado Novo: história e doutrina. Brasília: Universidade de Brasília, 1982. 217 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, 1982.

CARVALHO, Yara Maria de. O “mito” da atividade física e saúde. São Paulo: HUCITEC, 2004.

CASTRO, Celso. In corpore sano: os militares e a introdução da educação física no Brasil. Antropolítica. Niterói, nº 2, p.61-78, 1º sem. 1997.

CORBIN, A. COURTINE, J. J. VIGARELLO, G. (Orgs.). História do corpo: as mutações do olhar. O século XX. Petrópolis: Editora Vozes, 2008. v. 3.

DALLARI, Sueli Gandolfi. A saúde do brasileiro. São Paulo: Moderna, 1987.

DALLARI, Sueli Gandolfi. Municipalização dos serviços de saúde. 3. ed. São Paulo: Brasiliense S. A., 1985.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 22. ed. São Paulo: Editora Paz e Terra S/A, 2006.

GOELLNER, Silvana Vilodre. O Método Francês e a Educação Física no Brasil: Da Caserna a Escola. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1992. 223 f. Dissertação (Mestrado em Ciência do Movimento) – Escola Superior de Ciência do Movimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegra, 1992.

GÓIS JUNIOR, Edivaldo. Alberto Torres e os higienistas: intervenção do Estado na educação do corpo (1910-1930). Saúde e sociedade. São Paulo, v. 23, n. 4, p. 1445-1457, dez. 2014.

GÓIS JUNIOR, Edivaldo. Ginástica, higiene e eugenia no projeto de nação brasileira: Rio de Janeiro, século XIX e início do século XX. Revista Movimento. Porto Alegre, v.19, n.1, p.139- 159, jan/mar. 2013.

GÓIS JUNIOR, Edvaldo. Higienismo e Positivismo no Brasil: unidos e separados nas campanhas sanitárias (1900 – 1930). Dialogia. São Paulo, v.2, p. 21-32, out. 2003.

GÓIS JUNIOR, E. LOVISOLO, H. R. A Educação Física e concepções higienistas sobre raça: uma reinterpretação histórica da Educação Física brasileira dos anos de 1930. Revista Portuguesa de Ciência e Desporto. Porto, v. 5, n. 3, p. 322-328, set. 2005.

GÓIS JUNIOR, E. LOVISOLO, H. R. Descontinuidades e continuidades do movimento higienista no Brasil do século XX. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Curitiba, v.25, n.1, p.41- 54, set. 2003.

GÓIS JUNIOR, Edivaldo. O Século da Higiene: Uma História de Intelectuais da Saúde (Brasil, Século XX). Rio de Janeiro: Universidade Gama Filho, 2003. 303 f. Tese (Doutorado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física - Universidade Gama Filho. Rio de Janeiro, 2003.

GÓIS JUNIOR, Edivaldo. Os Higienistas e a Educação Física: as histórias dos seus ideais. Rio de Janeiro: Universidade Gama Filho, 2000. 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física). Programa de Pós-Graduação em Educação Física - Universidade Gama Filho. Rio de Janeiro, 2000.

LE BOULCH, Jean. O corpo na escola do século XXI: práticas corporais. São Paulo: Phort, 2008.

LOVISOLO, Hugo Rodolfo. Sociologia do Esporte: temas e problemas. Cadernos de Formação RBCE. Porto Alegre, p. 80-91, jul. 2011.

MATOS, J.M.C. et.al. A produção acadêmica sobre conteúdos de ensino na Educação Física Escolar. Movimento. Porto Alegre, v. 19, n. 2, p. 123 – 148, abr/jun. 2013.

MELO, Victor Andrade de. O Ensino da História nos Cursos de Graduação em Educação Física. História Ensino. Londrina, v. 6, p. 91-101, out. 2000.

MENEGHINI, R. Publicação de periódicos nacionais de ciência em países emergentes. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 28, n. 2, p. 435 - 442, jun. 2012.

MORENO, Andrea. A propósito de Ling, da ginástica sueca e da circulação de impressos em língua portuguesa. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Curitiba, v. 37, n. 2, p. 128 – 135, mar. 2015.

MOULIN, A. M., O corpo diante da Medicina. In. CORBIN, A. COURTINE, J. VIGARELLO, G. (Orgs.). História do corpo: As mutações do olhar. O século XX. Petrópolis: Vozes, 2008. Páginas. v. 3, p. 15-154.

PADILHA, M. I. C. de S. BORENSTEIN, M. S. O método de pesquisa histórica na enfermagem. Enferm. Florianópolis, v. 14, n. 4, p. 575 - 584, out/dez. 2005.

PERDOMO, Aloisio Vianei Paiva. A Ginástica no Brasil: percurso histórico no currículo escolar. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2011. 42 f. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Departamento de Estudos do Movimento Humano – Universidade Estadual de Londrina. Londrina, PR, 2011.

RIBEIRO, Maria Alice Rosa. História sem fim... Inventário da saúde pública - São Paulo 1880 – 1930. São Paulo: Unesp, 1993.

ROMANOWSKI, J. ENS, R. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educacional. Curitiba, v. 6, n. 19, p. 37 50, set/dez. 2006.

SCHWARCZ, Lilia Mortiz. Nem Preto nem Branco, muito pelo Contrário: Cor e raça na sociedade brasileira. São Paulo: Claro Enigma, 2012.

SILVA, Maria Cecília do. Do corpo objeto ao sujeito histórico: perspectivas do corpo na história da Educação física brasileira. Salvador: EDUFBA, 2009.

SOARES, Carmen Lúcia. Educação Física: raízes europeias e Brasil. Campinas: Editora Autores Associados, 1994.

SOUZA, J. MARCHI JÚNIOR, W. Por uma sociologia da produção científica no campo acadêmico da Educação Física no Brasil. Motriz. Rio Claro, SP, v. 17, n. 2, p. 349 - 360, abr/jun. 2011.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2018v30n54p160



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA