Corporeidades no catolicismo brasileiro

Murilo Eduardo Nazario

Resumo


Quando discutido para além dos determinismos biofisiológicos, o corpo mostra-se um objeto valioso de estudo, embora ainda sejam discretas ações a esse respeito. Com isso, indaga-se quais são as constituições corporais estabelecidadas pelo catolicismo brasileiro, uma vez que as religiões possuem em seu amálgama a busca pela organização da experiência nômica humana por meio da oferta e da difusão de estruturas de legitimação e plausibilidade, que constroem um cosmo coeso. Para tanto, foi realizada uma pesquisa de bases etnográficas com os católicos da comunidade tricentenária de Brumal (MG), buscando-se observar as diferentes constituições corporais e os diferentes usos do corpo durante as manifestações dessa comunidade de fé. Do mesmo modo, procedeu-se à seis entrevistas com moradores da localidade, maiores de 18 anos e de ambos os sexos. Nessa perspectiva, constatou-se que o corpo em movimento assume, nos diferentes momentos instituídos por tal solução sacral, maneiras de o católico viver e se situar em relação ao sagrado.


Palavras-chave


Corpo humano; Relações metafísicas mente-corpo; Catolicismo

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALBUQUERQUE, Leila Marrach Basto de. As invenções do corpo: modernidade e contramodernidade. Motriz, vol. 7, n. 1, p. 33-39, jun. 2001.

ANGLOGOLD. Estudo de Impacto Ambiental – EIA: projeto sulfetado mina Córrego do Sítio 1. Santa Bárbara – MG, vol. 1. Belo Horizonte, 2009.

BERGER, Peter Ludwig. O dossel sagrado: elementos para uma teoria sociológica da religião. São Paulo: Paulus, 1985.

BETTI, Mauro. Educação Física e Sociedade. São Paulo: Movimento, 1991.

BOURDIEU, Pierre. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Os deuses do povo: um estudo sobre a religião popular. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CAMARGO, Candido Procopio Ferreira de. Católicos, protestantes, espíritas. Petrópolis: Vozes, 1973.

CASTANEDA, Carlos. A Erva do Diabo: as experiências indígenas com plantas alucinógenas reveladas por Don Juan. 12. ed. São Paulo: Record, 1968.

SOARES, Carmen et al. Metodologia do Ensino da Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

CORBIN, Alain. A influência da Religião. In: CORBIN, Alain; COURTINE, Jean Jacques;VIGARELLO, George. (Dirs.). História do Corpo: da revolução à grande guerra, v. 2. Petrópolis: Vozes, 2008.

CURATO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS. Planejamento Pastoral 2011. Brumal, 2011.

DA MATTA, Roberto. O ofício do etnólogo, ou como ter Anthropological Blues. In: NUNES, Edson Oliveira (Org.). A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

DAOLIO, Jocimar. Da cultura do corpo. Campinas: Papirus, 2004.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

ELIAS, Norbert. A solidão dos moribundos: seguido de envelhecer e morrer. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

GÉLIS, Jacques. O corpo, a igreja e o sagrado. In: CORBIN, Alain; COURTINE, Jean Jacques. VIGARELLO, Georges. (Dirs.). História do Corpo: da Renascença às Luzes, v. 1. Petrópolis: Vozes, 2008.

HERTZ, Robert. A preeminência da mão direita: um estudo sobre a polaridade religiosa. Revista Religião e Sociedade. Rio de Janeiro: Tempo e Renascença, n. 6, p. 99-128, 1980.

JOVCHELOVITCH, Sandra; BAUER, Martin. W. Entrevista Narrativa. In: BAUER, Martin.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes, 2002, p. 90-113.

LE BRETON, David. A Sociologia do corpo. Petrópolis: Vozes, 2007. LE GOFF, J. O imaginário medieval. Portugal: Estampa, 1994.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. Algumas técnicas corporais na Renovação Carismática Católica. Ciências Sociales y Religión/Ciências Sociais e Religião, Porto Alegre, ano 2, n. s, p.119-151, 2000.

MAUSS, Marcel. As Técnicas Corporais. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: EPU/EDUSP, 1974.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de.; CARNEIRO, Henrique. A história da alimentação: balizas historiográficas. Anais do museus Paulista. São Paulo, N. Sér. v. 5, p. 9-91, 1997.

MONTES, Maria Lucia. As figuras do sagrado: entre o público e o privado. In: NOVAIS, Fernando. (Coord.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

MIGLIORI, Rogerio Costa. Corpos mortos e vivos: as cerimônias mortuárias e as representações da morte entre católicos brasileiros. Dissertação – Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião. Faculdade de Filosofia e Ciências da Religião, Universidade Metodista de São Paulo, 2009.

MILLS, Charles Wright. A imaginação sociológica. Waltensir Dutra (Trad.). Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

NUNES, Veronica Maria Meneses. Glossário de termos sobre religiosidade. Aracaju: Tribunal de Justiça/Arquivo Judiciário do Estado de Sergipe, 2008.

RODRIGUES, Claudia. A arte de bem morrer no Rio de Janeiro setecentista. VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, v. 24, n. 39, p. 255-272, 2008.

RODRIGUES, José Carlos. Tabu do corpo. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.

SANT’ANNA, Denise. Bernuzzi. È possível realizar uma história do corpo? In: SOARES. C. (org). Corpo e História Associados, 2001.. Campinas: Autores

VELHO, Gilberto. Observando o familiar. In: NUNES, Edson Oliveira. (Org.). A aventura sociológica: objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2018v30n54p225



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA