“A gente fica até sem saber o que falar do nosso CREF”. Atribuições e ações do sistema CONFEF/CREFs na perspectiva de docentes de graduação de Porto Velho, Rondônia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2020e75846

Palavras-chave:

CONFEF/CREFs, Educação física, Docentes

Resumo

A regulamentação da profissão da Educação Física (EDF) deu-se pela Lei Federal nº 9.696/98, através da qual foi criado o Conselho Federal (CONFEF) e os Conselhos Regionais de Educação Física (CREFs). A presente pesquisa, caracterizada como exploratória e descritiva, teve como objetivo explorar e discutir as percepções de docentes de cursos de graduação em EDF de Porto Velho a respeito das atribuições e ações do sistema CONFEF/CREFs. Catorze docentes de cursos de graduação em EDF de duas Instituições de Ensino Superior (IES) privadas foram entrevistados. Conjuntamente, as análises revelam que os docentes são conhecedores de grande parte das atribuições e competências do sistema CONFEF/CREFs. Todavia, no que diz respeito ao cumprimento dessas, todos os docentes consideram que o sistema revela-se falho, especialmente na fiscalização dos profissionais, na divulgação de suas ações, bem como na valorização, representação e defesa da profissão perante a sociedade.

Biografia do Autor

Gigliane Pereira da Silva Marques Cordeiro, Universidade Federal de Rondônia

Acadêmica do curso de Educação Física da Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Daniela Cândido Oliveira, Universidade Federal de Rondônia

Graduada em Educação Física pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Especialista em Psicomotricidade pela Faculdade Santo André de Ji-Paraná/RO.

Daniel Delani, Universidade Federal de Rondônia

Professor Doutor do Departamento de Educação Física (DEF), Núcleo de Saúde (NUSAU), Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Membro do Grupo de Pesquisa e Estudo em Educação Física e Saúde (UNIR) e do Grupo de Pesquisa em Espaço e Saúde (UFPR).

Silvia Teixeira de Pinho, Universidade Federal de Rondônia

Professora Doutora do Departamento de Educação Física (DEF), Núcleo de Saúde (NUSAU), Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Física e Saúde (UNIR).

Tatiane Gomes Teixeira, Universidade Federal de Rondônia

Professora Doutora do Departamento de Educação Física (DEF), Núcleo de Saúde (NUSAU), Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Física e Saúde (UNIR).

Referências

ALMEIDA, Marco Bettine, MONTAGNER, Paulo César; GUTIERREZ, Gustavo Luis. A inserção da regulamentação da profissão na área de educação física, dez anos depois: embates, debates e perspectivas. Revista Movimento, Porto Alegre, v. 15, n. 03, p. 275-292, jul./set., 2009, DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.3051.

BRASIL. lei nº 9.696, de 1 de setembro de 1998. Dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Educação Física e cria os respectivos Conselho Federal e Conselhos Regionais de Educação Física. Diário Oficial da União, Brasília, 02 set. 1998.

BRASIL. Ministério da Educação/Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior. Parecer n.138, de 3 de abril de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Educação Física. Diário Oficial da União, Brasília, 26 abr. 2002.

BRASIL. Ministério da Educação/Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica. Resolução n.07, de 14 de dezembro de 2010. Fixa Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos. Diário Oficial da União, Brasília, 15 de dezembro de 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde/Conselho Nacional de Saúde. Resolução n.218, de 6 de março de 1997. Reconhece profissões da área da saúde. Diário Oficial da União, Brasília, 06 mar. 1997.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. Diário Oficial da União, Brasília, 24 jan. 2008.

CONFEF, Conselho Federal de Educação Física. Estatuto do Conselho Federal de Educação Física. Diário Oficial da União, Brasília, 13 dez. 2010.

COUTO, Josiene de Oliveira et al. What is the contribution of each physical activity domain to total physical activity in adolescents?. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 22, e70170, 2020, DOI: https://doi.org/10.1590/1980-0037.2020v22e70170.

CREF8, Conselho Regional de Educação Física da 8ª Região. Estatuto do CREF8/AM-AC-RO-RR. Disponível em: https://www.cref8.org.br/estatuto-do-conselho-regional-de-educacao-fisica-da-8a-regiao/. Acesso em 21 jul. 2020.

CREF8, Conselho Regional de Educação Física da 8ª Região. História. Disponível em: https://www.cref8.org.br/galeria/. Acesso em 21 jul. 2020.

CREF8, Conselho Regional de Educação Física da 8ª Região. Parcerias. Disponível em: https://www.cref8.org.br/parcerias/. Acesso em 21 jul. 2020.

DE PAULA, Alisson Slider do Nascimento; SILVA, André Luis Façanha da. Contribuição à crítica à formação profissional e a divisão do trabalho na educação física: um estudo à luz da ontologia marxista. Boletim Gepep, São Paulo, v. 03, n. 05, p. 03-26, dez., 2014.

FALCI, Denise Mourão; BELISARIO, Soraya Almeida. A inserção do profissional de educação física na atenção primária à saúde e os desafios em sua formação. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 17, n. 47, p. 885-899, Dez., 2013, DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832013005000027.

GUIATA, Nicole Roessle; SILVA, Marcelo Moraes e. A REGULAMENTAÇÃO DO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA: um diálogo com Herbert Marcuse. Motrivivência, Florianópolis, n. 30, p. 217-230, dez., 2008, DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2008n30p217.

LOPES, Gilson Junior Oliveira et al. Onde atuam, por que não atuam e o quão satisfeitos com o trabalho estão os licenciados em Educação Física?. Pensar a Prática, Goiânia, v. 23, p. 1-20, Jul., 2020, DOI: https://doi.org/10.5216/rpp.v23.56700.

LOPES, Ivone Goulart. História da educação no Brasil: desafios e perspectivas. Atena: Curitiba, 2016.

LOTTI, Alessandro Demel; NAKAMURA, Eunice. Significados da prática profissional em Educação Física na área da saúde. Pensar a Prática, Goiânia, v. 23, e54518, p.1-23, 2020. DOI: https://doi.org/10.5216/rpp.v23.54518.

MAIA, Júlio César Apolinário; SACARDO, Michele Silva. A produção científica sobre as Diretrizes Curriculares para a Educação Física (DCNEF): determinações históricas e implicações para formação e intervenção profissional. Movimento, Porto Alegre, v. 26, e26037, mai., 2020, DOI: https://doi.org/10.22456/1982-8918.97618.

MENDES, Alessandra Dias. Educação física: atuação profissional e condições de trabalho em academias. Orquestra: Porto Alegre, 2014.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11 ed. São Paulo: HUCITEC, 2008.

NEIRA, Marcos Garcia; BORGES, Clayton Cesar de Oliveira. Esquadrinhar e Governar: análise das recomendações do CONFEF para a Educação Física escolar. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 43, n. 2, p. 571-590, Jun., 2018, DOI: http://dx.doi.org/10.1590/2175-623664150.

OLIVEIRA, Edson Eduardo Rodrigues de. A Importância da Regulamentação da Profissão de Educação Física para uma Categoria Profissional: O caso de Minas Gerais. Porto, 2017, 107 f. Dissertação (Mestrado em Gestão Desportiva). Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, 2017.

PEREIRA, Aline Fraga et al. Satisfação de estudantes universitários de Educação Física com experiências acadêmicas. Motrivivência, Florianópolis, v. 30, n. 53, p. 84-100, abr., 2018, DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2018v30n53p84.

PRADO, Crisley Vanessa et al. Physical activity opportunities in public and private schools from Curitiba, Brazil. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, Florianópolis, v. 20, n. 3, p. 290-299, Mai., 2018, DOI: https://doi.org/10.5007/1980-0037.2018v20n3p290.

REPPOLD FILHO, Alberto Reinaldo. Código de ética profissional: considerações históricas e filosóficas. In: TOJAL, João Batista; COSTA, Lamartine Pereira Da; BERESFORD, Heron (org.). Ética Profissional na Educação Física. Shape: Rio de Janeiro, 2003, p.97-102.

SANTOS, Josivana Pontes dos et al. Fatores associados a não participação nas aulas de educação física escolar em adolescentes. Journal of Physical Education, Maringá, v. 30, e3028, 2019, DOI: http://dx.doi.org/10.4025/jphyseduc.v30i1.3028.

SILVA, Guilherme Gil da; FRIZZO, Giovanni Felipe Ernst. Crítica à regulamentação da profissão e à produção científica defensora do sistema CONFEF/CREFs. Motrivivência, Florianópolis, n. 36, p. 149-168, jan., 2011, DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2011v23n36p149.

SILVA, Marcelo Moraes; LANDIN, Renata Aparecida Alves. Os impactos da regulamentação da profissão de educação física na prática pedagógica. Revista do Mestrado em Educação, UFS, São Cristóvão, v. 7, p. 79-94, jul./dez., 2003.

SOBRINHO, José Pereira de Sousa et al. O sistema CONFEF/CREF e a reestruturação curricular dos cursos superiores de educação física: a formação do “profissional” (neo)liberal. In: XVII COBRACE e IV CONICE, Porto Alegre, 2011. Anais do XVII Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e IV Congresso Internacional de Ciências do Esporte. Disponível em: fhttp://congressos.cbce.org.br/index.php/conbrace2011/2011/paper/view/2978. Acesso em: 21 jul. 2020.

STEINHILBER, Jorge. Sistema CONFEF/CREFs e a responsabilidade Ética. In: TOJAL, João Batista; BARBOSA, Alberto Puga (org.). A Ética e a Bioética na preparação e na intervenção do profissional de Educação Física. Casa da Educação Física: Belo Horizonte, 2006, p.7-15.

TOJAL, João Batista Andreotti Gomes. A carta brasileira de educação física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Capinas, v. 23, n. 1, p. 79-85, set., 2001.

TSCHOEKE, Rony. A função pedagógica da comissão de ética profissional do sistema CONFEF/CREF´S. In. VARGAS, Ângelo (org.). Dimensionamento ético da intervenção profissional em educação física. 2017, 159 p. Disponível em: https://www.listasconfef.org.br/arquivos/publicacoes/dimensionamento_etico_angelo.pdf. Acesso em 26 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Edição

Seção

Artigos Originais