Paracanoagem e qualidade de vida: concepções de atletas com deficiência motora de Petrolina – PE.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2020e75817

Palavras-chave:

Paracanoagem, Qualidade de vida, Deficiência motora, Esporte paralímpico, Esporte adaptado

Resumo

Objetivo do presente estudo foi analisar a concepção de atletas de paracanoagem sobre as relações dessa modalidade paralímpica com a qualidade de vida. A amostra foi composta por 9 pessoas praticantes de paracanoagem com deficiência motora residentes na região de Petrolina – PE. Os sujeitos participaram de uma entrevista semiestruturada contendo questões referentes à concepção dos mesmos acerca dos efeitos da prática deste esporte na qualidade de vida. Posteriormente, as entrevistas foram transcritas e submetidas à análise de dados por meio da Análise de Conteúdo, modalidade Temática. Todos os participantes relataram que a prática da paracanoagem influenciou positivamente aspectos representados em oito categorias: sono, equilíbrio corporal, saúde, força muscular, digestão, autoestima, coordenação motora e respiração. Com isso, concluiu-se que a prática da paracanoagem teve influência positiva na qualidade de vida das pessoas com deficiência motora desse estudo.

Biografia do Autor

Débora de Souza Araújo, Graduada em Educação Física - UNIVASFGrupo de Estudo e Pesquisa em Atividade Física Adaptada - Universidade Federal do Vale do São Francisco

Graduada em Educação Física - UNIVASF
Grupo de Estudo e Pesquisa em Atividade Física Adaptada - Universidade Federal do Vale do São Francisco

Samuel da Silva Lima, UNIVASFGrupo de Estudo e Pesquisa em Atividade Física Adaptada - Universidade Federal do Vale do São Francisco

Mestrando em Educação Física - UNIVASF
Grupo de Estudo e Pesquisa em Atividade Física Adaptada - Universidade Federal do Vale do São Francisco

Renan Costa Vanali, Mestrado Profissional em Saúde da Criança e do Adolescente - (UECE)Centro Universitário Dr. Leão Sampaio - (UNILEÃO)Universidade Regional do Cariri - (URCA)

Mestrado Profissional em Saúde da Criança e do Adolescente - (UECE)
Centro Universitário Dr. Leão Sampaio - (UNILEÃO)
Universidade Regional do Cariri - (URCA)

Luiz Augusto Mazine dos Santos, Pós Graduado em Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica - UNIAMERICAInstituto Meninos do lago - IMEL Grupo de estudo e pesquisa em canoagem - GEPECAN

Pós Graduado em Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica - UNIAMERICA
Instituto Meninos do lago - IMEL
Grupo de estudo e pesquisa em canoagem - GEPECAN

Leonardo Gasques Trevisan Costa, Doutorado em Educação Física - UNICAMP

Doutorado em Educação Física - UNICAMP
Colegiado de Educação Física - Universidade Federal do Vale do São Francisco
Grupo de Estudo e Pesquisa em Atividade Física Adaptada - Universidade Federal do Vale do São Francisco

Referências

ADELMAN, Miriam. Mulheres atletas: re-significações da corporalidade feminina. Revista Estudos Feministas, [s.l.], v. 11, n. 2, p. 445-465, dez. 2003. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0104-026x2003000200006.

ALBARELLO, Rafael Antônio. Efeito do treinamento físico/técnico sobre a composição corporal e capacidades físicas específicas de atletas da modalidade de paracanoagem. 2014. 22 f. Monografia (Especialização em Educação Física), Programa de Pós-graduação em Educação Física, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2014.

ALMEIDA, Marco Antonio Bettine de; GUTIERREZ, Gustavo Luis; MARQUES, Renato Francisco Rodrigues. Qualidade de vida: definição, conceitos e interfaces com outras áreas de pesquisa. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2012.

AROL, P.; EROğLU, Kolayiş I.. The effects of 8 week balance training on the kayaking performance of the beginners. Pedagogics, Psychology, Medical-biological Problems Of Physical Training And Sports, [s.l.], v. 22, n. 4, p. 170, 30 ago. 2018. Kharkov National Pedagogical University. http://dx.doi.org/10.15561/18189172.2018.0401.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 3. ed. Lisboa: Edições 70, 2011.

BJERKEFORS, A.; THORSTENSSON, A.. Effects of Kayak Ergometer Training on Motor Performance in Paraplegics. International Journal Of Sports Medicine, [s.l.], v. 27, n. 10, p. 824-829, out. 2006. Georg Thieme Verlag KG. http://dx.doi.org/10.1055/s-2005-872970.

BRAZUNA, Melissa Rodrigues; CASTRO, Eliane Mauerberg de. A Trajetória do Atleta Portador de Deficiência Física no Esporte Adaptado de Rendimento: uma revisão de literatura. Revista Motriz, Rio Claro, v. 7, n. 2, p. 115-123, 2001.

BUFFART, Lm; WESTENDORP, T; BERG-EMONS, Rj van Den; STAM, Hj; ROEBROECK, Me. Perceived barriers to and facilitators of physical activity in young adults with childhood-onset physical disabilities. Journal Of Rehabilitation Medicine, [s.l.], v. 41, n. 11, p. 881-885, 2009. Acta Dermato-Venereologica. http://dx.doi.org/10.2340/16501977-0420.

CAMPOS, Marcelo Ferraz de; RIBEIRO, André Tosta; LISTIK, Sérgio; PEREIRA, Clemente Augusto de Brito; ANDRADE SOBRINHO, Jozias de; RAPOPORT, Abrão. Epidemiologia do traumatismo da coluna vertebral. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, [s.l.], v. 35, n. 2, p. 88-93, abr. 2008. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0100-69912008000200005.

CARMONA, Eduardo Klein; PEREIRA, Ester Liberato; MAZO, Janice Zarpellon. Tênis de mesa adaptado: pelos caminhos do esporte em uma cadeira de rodas. Revista Biomotriz, Cruz Alta, v. 9, n. 1, p. 38-53, 2015.

CASTRO, Eliane Mauerberg de. Atividade Física Adaptada. Ribeirão Preto: Tecmedd, 2005.

COMERLATO, Luciano. Os benefícios físicos, mentais e sociais da canoagem para portadores de deficiência física locomotora. Caxias do Sul: UCS, 2003. Disponível em: http://canoagem.org.br/arquivos/biblioteca/biblioteca_canoagem_deficientes_fisicos_2003_luciano_merlato.pdf. Acesso em: 24, jun. 2020.

EPHIPHANIO, Erika Hofling et al. O esporte como ferramenta de desenvolvimento para pessoas com deficiência: ações em um grupo esportivo no vale do são francisco. Revista de Extensão da Univasf, Petrolina, v. 6, n. 1, p. 97-102, 2018.

FERREIRA, Joel Saraiva; DIETTRICH, Sandra Helena Correia; PEDRO, Danielly Amado. Influência da prática de atividade física sobre a qualidade de vida de usuários do SUS. Saúde em Debate, [s.l.], v. 39, n. 106, p. 792-801, set. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0103-1104201510600030019.

FONTELLES, Mauro José et al. Metodologia da pesquisa científica: diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. Revista Paraense de Medicina, [s.l.], v. 23, n. 3, p. 1-8, 2009.

GORGATTI, Márcia Greguol; COSTA, Roberto Fernandes da. Atividade física adaptada. Barueri: Manole, 2005.

HÄFELE, César Augusto; FREITAS, Matheus Pintanel; SILVA, Marcelo Cozzensa da; ROMBALDI, Airton José. Are physical activity levels associated with better health outcomes in people with epilepsy? Epilepsy & Behavior, [s.l.], v. 72, p. 28-34, jul. 2017. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.yebeh.2017.04.038.

HALSON, Shona L.. Sleep in Elite Athletes and Nutritional Interventions to Enhance Sleep. Sports Medicine, [s.l.], v. 44, n. 1, p. 13-23, maio 2014. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1007/s40279-014-0147-0.

INTERNATIONAL CANOE FEDERATION – ICF. Classification manual and form for classifiers. 2015b. Disponível em: http://www.canoeicf.com/classification. Acesso em 12 de janeiro de 2020.

JACOBS, Patrick L.; NASH, Mark S.; RUSINOWSKI, Joseph W.. Circuit training provides cardiorespiratory and strength benefits in persons with paraplegia. Medicine And Science In Sports And Exercise, [s.l.], p. 711-717, maio 2001. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/00005768-200105000-00005.

MANNS, Patricia J.; CHAD, Karen E.. Determining the relation between quality of life, handicap, fitness, and physical activity for persons with spinal cord injury. Archives Of Physical Medicine And Rehabilitation, [s.l.], v. 80, n. 12, p. 1566-1571, dez. 1999. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/s0003-9993(99)90331-3.

MATHERI, Joseph; FRANTZ, Jose M. Physical activity levels among young people with physical disabilities in selected high schools in Kenya and their perceived barriers and facilitators to participation. J Commun Health Sci, [s.l.], v. 4, n. 1, p. 6-21, 2009.

MILOSEVIC, Matija; GAGNON, Dany H.; GOURDOU, Philippe; NAKAZAWA, Kimitaka. Postural regulatory strategies during quiet sitting are affected in individuals with thoracic spinal cord injury. Gait & Posture, [s.l.], v. 58, p. 446-452, out. 2017. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.gaitpost.2017.08.032.

NAHAS, Markus Vinicius. Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 4. ed. Londrina: Midriograf, 2006.

NOREAU, Luc; SHEPHARD, Roy J.; SIMARD, Clermont; PARÉ, Giles; POMERLEAU, Pierre. Relationship of impairment and functional ability to habitual activity and fitness following spinal cord injury. International Journal Of Rehabilitation Research, [s.l.], v. 16, n. 4, p. 265-276, dez. 1993. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/00004356-199312000-00002.

ROPKE, Lucilene Maria; SOUZA, Amanda Gouvea; BERTOZ, André Pinheiro de Magalhães; ADRIAZOLA, Manuel Martin; ORTOLAN, Erika Verusca Paiva; MARTINS, Regina Helena; LOPES, Weder Carneiro; RODRIGUES, Cesar Diogo Benichio; BIGLIAZZI, Renato; WEBER, Silke Anna Theresa. Efeito da atividade física na qualidade do sono e qualidade de vida: revisão sistematizada. Archives Of Health Investigation, [s.l.], v. 6, n. 12, p. 561-566, 29 jan. 2018. Archives of Health Investigation. http://dx.doi.org/10.21270/archi.v6i12.2258.

SAMPIERI, Roberto Hernandes; COLLADO, Carlos Fernández; LUCIO, María del Pilar Baptista. Metodologia da Pesquisa. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

SILVA, Anselmo de Athayde Costa e; MARQUES, Renato Francisco Rodrigues; PENA, Luis Gustavo de Souza; MOLCHANSKY, Sheila; BORGES, Mariane; CAMPOS, Luis Felipe Castelli Correia de; ARAðJO, Paulo Ferreira de; BORIN, João Paulo; GORLA, José Irineu. Esporte adaptado: abordagem sobre os fatores que influenciam a prática do esporte coletivo em cadeira de rodas. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, [s.l.], v. 27, n. 4, p. 679-687, dez. 2013. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1807-55092013005000010.

TAYLOR, L. P. S.; MCGRUDER, J. E.. The Meaning of Sea Kayaking for Persons With Spinal Cord Injuries. American Journal Of Occupational Therapy, [s.l.], v. 50, n. 1, p. 39-46, 1 jan. 1996. AOTA Press. http://dx.doi.org/10.5014/ajot.50.1.39.

THE WHOQOL GROUP. The World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL): position paper from the world health organization. Social Science & Medicine, [s.l.], v. 41, n. 10, p. 1403-1409, nov. 1995. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/0277-9536(95)00112-k.

TONON, Luciane Maria Micheletti. A história de vida da nadadora Susana Schnarndorf. In: Anais do XIII Encontro Nacional de História Oral – História Oral, Práticas Educacionais e Interdisciplinaridade. 2016. p. 1-11. 15.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Edição

Seção

Artigos Originais