O letramento literário na Prova Brasil

Autores

  • Débora Sodré Ésper Universidade Estadual de Maringá
  • Mirian Hisae Yaegashi Zappone Universidade Estadual de Maringá
  • Neiva Maria Jung Universidade Estadual de Maringá - PR

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p1101

Palavras-chave:

Letramento, Leitura literária, Prova Brasil

Resumo

Este artigo apoia-se nos Novos Estudos sobre Letramento (STREET, 2003, 2010) segundo os quais letramento é compreendido como um conjunto de práticas sociais de uso da escrita Ao mesmo tempo, leva em conta o conceito de leitura literária (CÂNDIDO, 1981; AGUIAR, 2000; HANSEN, 2005), como uma dentre as muitas práticas letradas das quais os indivíduos participam. A partir de tais conceitos, este artigo tem como objetivos caracterizar a prática de letramento literário proposto na Prova Brasil e analisar como a proposta se aproxima dos conceitos de leitura literária. O corpus da investigação é constituído por exemplos de atividades da disciplina de língua portuguesa da Prova Brasil, destinadas ao 9o ano, disponibilizadas no site do Inep. Os resultados mostraram que na prova há um apagamento da literatura enquanto arte, uma vez que o gênero ficcional é utilizado, na maioria das vezes, para a análise gramatical ou como objeto para leitura na qual a especi# cidade do texto literário não é contemplada.

Biografia do Autor

Débora Sodré Ésper, Universidade Estadual de Maringá

Graduada em Letras Português e Mestranda em Letras na Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Mirian Hisae Yaegashi Zappone, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora do Departamento de Letras da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Neiva Maria Jung, Universidade Estadual de Maringá - PR

Doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora da Graduação e Pós-graduação em Letras na Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Downloads

Publicado

2014-04-22

Edição

Seção

Artigos de Demanda Contínua