De nós para você para mim: a co-construção da identidade nas interações iniciais

Autores

  • Rod Parker-Rees Plymouth Institute of Education Plymouth University

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p901

Resumo

Desde uma perspectiva histórico-cultural, a relação entre os processos interpsíquicos de interação social “pública” e os processos intrapsíquicos de pensamento “privado” é complexa e recíproca. Embora se possa dizer que a identidade emerge a partir de um “nós” primário, também é possível argumentar que só somos capazes de desenvolver aautoconsciência porque internalizamos formas de interação que são inicialmente vividas entre as pessoas. Neste artigo, será considerada como a construção compartilhada da identidade pode ser entendida em termos de uma habilidade em desenvolvimento para participar do fluxo de informações oferecidas por interações sociais. Argumenta-se que as interações sociais fornecem oportunidades para aprender muito mais sobre outras pessoas (e sobre nós mesmos) do que é acessível à nossa percepção consciente.

Biografia do Autor

Rod Parker-Rees, Plymouth Institute of Education Plymouth University

Professor Associado em Estudos da Primeira Infância em Plymouth Institute of Education (Faculty of Arts & Humanities), Reino Unido.

Downloads

Publicado

2014-05-26

Como Citar

Parker-Rees, R. (2014). De nós para você para mim: a co-construção da identidade nas interações iniciais. erspectiva, 32(3), 901–917. https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p901

Edição

Seção

Artigos de Dossiês Temáticos