Indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão: um princípio necessário

Autores

  • Nadia Gaiofatto Gonçalves UFPR

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2015v33n3p1229

Palavras-chave:

extensão universitária, integração ensino-pesquisa-extensão, educação superior.

Resumo

O objetivo deste trabalho é discutir, de forma contextualizada, o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, no âmbito universitário, no Brasil. Para tanto, aborda-se sua discussão e inserção em normativas brasileiras, bem como seu processo de apropriação e implementação, a partir da perspectiva teórica de Pierre Bourdieu. Considera-se o campo universitário e acadêmico e os habitus formativos, acadêmicos, institucionais e administrativos, que perpassam esse espaço social, a fim de discutir os caminhos desse processo. Destaca-se em especial o contexto posterior à Constituição brasileira de 1988, quando este princípio é estabelecido formalmente, como uma exigência para as universidades, e também, quando a reabertura democrática no país contribuía para a discussão da função do ensino superior e das universidades públicas perante a sociedade, estabelecendo-se para estas instituições novas demandas, dentre as quais, o maior diálogo com distintos setores da sociedade, a produção de conhecimentos socialmente relevantes, e a formação acadêmica articulada com demandas sociais e pesquisa. Como principal resultado deste processo, percebe-se que o modelo consolidado no Brasil ao longo do tempo, foi o do tripé ensino, pesquisa e extensão como missão da Universidade, o que não necessariamente constitui a implementação do princípio da indissociabilidade na formação acadêmica e nas ações docentes e institucionais.  

Biografia do Autor

Nadia Gaiofatto Gonçalves, UFPR

Licenciada e Mestre em História (UNESP), Doutora em Educação (USP), Pós-Doutoranda em Educação (UFRJ). Docente do Departamento de Teoria e Prática de Ensino e do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPR.

Downloads

Publicado

2016-04-01

Edição

Seção

Artigos de Demanda Contínua