Professora alfabetizadora: um ofício e muitos fazeres

Liane Castro de Araujo, Mary de Andrade Arapiraca, Dinéa Maria Sobral Muniz

Resumo


Neste artigo discute-se o ofício da professora alfabetizadora de crianças – assumindo o gênero feminino nele predominante – como aquele que envolve um saber-fazer relacionado a saberes diversos, vinculados às diferentes facetas do objeto de conhecimento: a língua escrita. Nesse ofício, importa considerar tanto as concepções de linguagem, de ensino e aprendizagem, quanto a dimensão sociocultural mais ampla do trânsito no universo da literatura, da tradição oral, da cultura lúdica infantil e dos diversos gêneros discursivos envolvidos nas práticas de leitura e escrita – aspectos fundamentais no âmbito de uma concepção de alfabetização em contexto de letramento, de múltiplos letramentos. Finalmente, articula-se esse ofício de muitos fazeres e saberes a uma formação docente crítica e reflexiva, que assegure às alfabetizadoras a autonomia e a autoria no seu saber e saber-fazer.


Palavras-chave


Alfabetização; Letramento; Formação docente

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v33n1p179

Direitos autorais 2016 Liane Castro de Araujo, Mary de Andrade Arapiraca, Dinéa Maria Sobral Muniz

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.