EDUCAÇÃO E PLANEJAMENTO URBANO PARTICIPATIVO

Flamissiano Izidio Batista

Resumo


O presente artigo defende a ideia de que o professor de geografia tem, através de sua ação em sala de aula, possibilidades de contribuir no processo de reforma urbana, dentro da ideia defendida pelo Movimento Nacional da Reforma Urbana. Dentro de um processo tão amplo como a reforma pretendida, o professor de geografia pode atuar mais especificamente no sentido de contribuir com a criação de uma tradição participativa na sociedade, a longo prazo, fomentando o planejamento urbano participativo, processo fundamental para a realização da reforma urbana.  Para tanto, foi feita uma revisão bibliográfica com o objetivo de analisar a importância da reforma urbana e a importância dos processos participativos em planejamento urbano como um parte fundamental desse processo de reforma. Além disso, no sentido de apontar quais os limites e possibilidades do professor de geografia em contribuir no processo, foi analisada a Proposta Curricular de Santa Catarina (2014) como um documento norteador de possibilidades de trabalho do professor.


Palavras-chave


Reforma urbana; Ensino de geografia; Planejamento urbano participativo.

Texto completo:

PDF/A

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 PESQUISAR – Revista de Estudos e Pesquisas em Ensino de Geografia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Pesquisar - Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe 2359-1870

v. 6, n. 10, setembro 2019.