A flexibilidade funcional em idosos sedentários institucionalizados

Autores

Palavras-chave:

Flexibilidade, Idosos, Comportamento sedentário

Resumo

O envelhecimento implica uma deterioração das funções fisiológicas, podendo diminuir a capacidade funcional. O exercício físico poderia minimizar esses efeitos deletérios, por isso é necessário conhecer a condição física dos idosos. O objetivo deste estudo é verificar a evolução da amplitude de movimento em idosos institucionalizados e sedentários. A amostra foi composta por 19 voluntários, com idades entre 65 e 95 anos, que concluíram os testes Chair Sit and Reach (CSR) e Back Scratch (BS) para medir a flexibilidade dos membros inferiores e superiores, respectivamente; antes e depois de um período de 12 semanas sem intervenção. Os resultados mostraram uma diminuição significativa durante o período de controle (BS, p=0.004; RSE, p=0.001). Esses achados confirmam que a inatividade física pode implicar uma perda significativa de flexibilidade dos idosos institucionalizados, indicando uma diminuição nas propriedades elásticas do tecido musculoesquelético e dos tecidos conjuntivos nas articulações. Portanto, a participação de idosos institucionalizados no exercício físico orientado e adequadamente prescrito deve ser contínua e regular.

Biografia do Autor

Michelle Matos Duarte, Universidad Francisco de Vitoria

Doctora en Ciencias de la Actividad Física y el Deporte. Profesora en CAFyD, Facultad de Salud.

Referências

Cadore E, Pinto R, Bottaro M, Izquierdo M. Strength and endurance training prescription in healthy and frail elderly. Aging Dis 2014; 5(3):183-195.

Correa-Bautista JE, Sandoval-Cuellar C, Alfonso-Mora ML, Rodríguez-Daza KD. Cambios en la aptitud física en un grupo de mujeres adultas mayores bajo el modelo de envejecimiento activo. Rev Fac Med 2012; 60(1):21-30.

Rikli RE, Jones CJ. Senior Fitness Test Manual. Champaign: Human Kinetics; 2001.

Dogra S, Stathokostas L. Sedentary behavior and physical activity are independent predictors of successful aging in middle-aged and older adults. J Aging Res 2012; 2012:1-8.

Pinillos-Patiño Y, Prieto-Suárez E. Funcionalidad física de personas mayores institucionalizadas y no institucionalizadas en Barranquilla, Colombia. Rev Salud Publica (Bogota) 2012; 14(3):438-447.

Karlsson MK, Vonschewelov T, Karlsson C, Cöster M, Rosengen BE. Prevention of falls in the elderly: a review. Scand J Public Health 2013; 41(5):442-454.

Ribeiro LH, Neri A. Exercícios físicos, força muscular e atividades de vida diária em mulheres idosas. Cien Saude Colet 2012; 17(8):2169-2180.

Schenatto P, Milano D, Berlezi EM, Bonamigo E. Relação entre aptidão muscular e amplitude articular, por faixa etária, na marcha do idoso. Rev Bras Geriatr Gerontol 2009; 12(3):377-389.

Sławińska T, Posłuszny P, Rożek K. The relationship between physical fitness and quality of life in adults and the elderly. Hum Mov 2013; 14(3):200-204.

Vale R, Novaes JS, Dantas EHM. Efeitos do treinamento de força e de flexibilidade sobre a autonomia de mulheres senescentes. R Bras Ci e Mov 2005; 13(2):33-40.

Stanziano DC, Roos BA, Perry AC, Lai S, Signorile JF. The effects of an active-assisted stretching program on functional performance in elderly persons: a pilot study. Clin Interv Aging 2009; 4:115-120.

Marques EA, Baptista F, Santos R, Vale S, Santos DA, Silva AM, et al. Normative functional fitness standards and trends of portuguese older adults: cross-cultural comparisons. J Aging Phys Act 2014; 22(1):126-137.

Vagetti GC, Barbosa Filho V, Oliveira V, Mazzardo O, Moreira N, Gomes AC, et al. Functional fitness in older women from southern Brazil: normative scores and comparison with different countries. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum 2015; 17(4):472-484.

American College of Sports Medicine. ACSM Position stand: exercise and physical activity for older adults. Med Sci Sports Exerc 2009; 41(7):1510-1530.

Santos DA, Silva AM, Baptista F, Santos R, Vale S, Mota J, et al. Sedentary behavior and physical activity are independently related to functional fitness in older adults. Exp Gerontol 2012; 47(2012):908-912.

Silva MR, Ferretti F, Lutinski JA. Dor lombar, flexibilidade muscular e relação com o nível de atividade física de trabalhadores rurais. Saúde Debate 2017; 41(112):183-194.

Martínez-López E, Hita-Contreras F, Jiménez-Lara P, Latorre-Román P, Martínez-Amat A. The association of flexibility, balance, and lumbar strength with balance ability: risk of falls in older adults. J Sports Sci Med 2014; 13(2):349-357.

Downloads

Publicado

2021-03-10

Edição

Seção

Artigos Originais