Novas práticas corporais no espaço doméstico: a domesticidade pop na revista Casa & Jardim durante os anos 1970

Autores

  • Marinês Ribeiro dos Santos Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • Joana Maria Pedro Universidade Federal de Santa Catarina
  • Carmen Rial

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-026X2012000100013

Palavras-chave:

Design Pop, Interiores Domésticos, Revista Casa & Jardim, Representações de Feminilidades, Relações de Gênero

Resumo

Neste artigo, destacamos as mudanças nas práticas corporais das mulheres mediante a análise dos modelos de domesticidade veiculados pela revista Casa & Jardim, sobretudo no intervalo que abarca o final dos anos 1960 e a primeira metade da década de 1970. Temos como objetivo evidenciar a incorporação da linguagem pop na decoração de interiores domésticos brasileiros como um dos aspectos da cultura jovem, forjada em escala internacional ao longo dos anos 1960. Alinhados com a revolução comportamental, com as ideias do feminismo e com a postura iconoclasta da juventude da época, os ambientes pop propunham novas formas de mediação entre as pessoas e os artefatos que contribuíram na transformação dos esquemas corporais associados às representações de feminilidades.

Biografia do Autor

Marinês Ribeiro dos Santos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

É professora do Departamento Acadêmico de Desenho Industrial da Universidade Tecnológica Federal do Paraná desde 1995. Leciona nos cursos de Bacharelado em Design e Tecnologia em Design Gráfico e no Programa de Pós-Graduação em Tecnologia. Fez doutorado em Ciências Humanas na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, 2010). Realiza pesquisas em Design, focalizando temas como história do design brasileiro, cultura material e relações de gênero.

Joana Maria Pedro, Universidade Federal de Santa Catarina

É professora do Departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 1983. Leciona no curso de graduação em História, no Programa de Pós-Graduação em História e no Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas. Fez doutorado em História Social na Universidade de São Paulo (USP, 1992) e pós-doutorado na França entre 2001 e 2002. É pesquisadora 1B do CNPq e realiza pesquisas em História focalizando questões do feminismo e do gênero. É editora de artigos da REF e uma das pesquisadoras do Instituto de Estudos de Gênero (IEGUFSC).

Carmen Rial

É jornalista e antropóloga, doutora em Antropologia e Sociologia pela Universidade de Paris V. Professora do Departamento de Antropologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), atua no Programa de Pós-Graduação em Antropologia e no Doutorado Interdisciplinar em Ciências Humanas. Pesquisadora 1C do CNPq. Coordena o Núcleo de Antropologia Audiovisual e Estudos da Imagem (NAVI) e o Grupo de Antropologia Urbana e Marítima (GAUM). É editora de entrevistas da REF e integra o Instituto de Estudos de Gênero (IEG-UFSC).

Downloads

Publicado

2012-05-24

Edição

Seção

Artigos