Biopolítica e soberania na pós-modernidade: Foucault e a crise do Estado-nação como questão para um diagnóstico do presente

Autores

  • Marcos Braga Júnior PUC-Campinas

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-7055.2009v30n58p131

Resumo

http://dx.doi.org/10.5007/2177-7055.2009v30n58p131

Este texto visa a desenvolver uma reflexão sobre o presente a partir da crítica da razão política desenvolvida por Michel Foucault no encalço das formas de racionalidade da economia geral do poder na história do Ocidente. Neste sentido, discorre sobre a reflexão foucaultiana, considerando sua atualidade, os modelos de análise do poder por ela constituídos e as críticas que põem em questão tais modelos no que tange em especial a esta alegada atualidade. Referidos modelos, indicativos do biopoder, configuram uma oposição à concepção tradicional do poder moderno, juridicamente estruturada em torno da noção de soberania. Por fim, com base neste deslocamento interpretativo, aborda-se a relevância da crise do Estado-nação como um dos acontecimentos que introduz a diferença contemporânea, com seus perigos e sua potencialidade.

Biografia do Autor

Marcos Braga Júnior, PUC-Campinas

João Marcos de Araújo Braga Júnior, natural de Porto Velho/RO, é bacharel em Direito,

pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, mestre em Filosofi a, pela mesma

instituição, e doutor em Direito pela Universidade de São Paulo, com tese defendida em

abril do corrente ano. Atualmente, é professor de Metodologia Jurídica, de Introdução ao

Estudo do Direito e de Filosofi a do Direito da PUC-Campinas.

Downloads

Publicado

2010-09-13

Como Citar

Braga Júnior, M. (2010). Biopolítica e soberania na pós-modernidade: Foucault e a crise do Estado-nação como questão para um diagnóstico do presente. Seqüência studos Jurídicos Políticos, 30(58), 131–166. https://doi.org/10.5007/2177-7055.2009v30n58p131

Edição

Seção

Artigos