<b>Do GATT à OMC: Uma análise construtivista.</b> <br>doi:10.5007/2177-7055.2011v32n62p161

Autores

  • José Augusto Fontoura Costa Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-7055.2011v32n62p161

Resumo

O artigo enfoca a interpretação das mudanças do GATT e sua transformação em OMC a partir da perspectiva das Relações Interancionais, particularmente da corrente designada construtivismo. As abordagens mais tradicionais, como a realista e a neoliberal, não são suficientes para explicar as transformações das instituições internacionais ou por que elas são fundamentais para imprimir legitimidade e eficiência a estruturas organizacionais. Para corroborar tal hipótese, faz-se uma análise do sistema GATT/OMC, tomando em conta a construção de identidades de grupos de estados e da própria instituição. Assim, a necessidade de adotar instrumentos analíticos que levem em conta a construção de sentidos e identidades compartilhados demonstra ser fundamental para tornar possível uma melhor compreensão das relações internacionais, pois as matrizes de interesses pré-estabelecidas e a supostamente racional maximização do poder pelos estados, pregadas pelo realismo e o neoliberalismo, não podem explicar as mudanças profundas que estão no coração da institucionalização e jurificação interancionais.

Biografia do Autor

José Augusto Fontoura Costa, Universidade de São Paulo

Professor Titular de Direito Internacional da Faculdade de Direito da USP. Professor da Universidade Católica de Santos e da Universidade do Estado do Amazonas.

Downloads

Publicado

2011-07-30

Como Citar

COSTA, José Augusto Fontoura. <b>Do GATT à OMC: Uma análise construtivista.</b> <br>doi:10.5007/2177-7055.2011v32n62p161. Seqüência Estudos Jurídicos e Políticos, Florianópolis, v. 32, n. 62, p. 161–192, 2011. DOI: 10.5007/2177-7055.2011v32n62p161. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/view/2177-7055.2011v32n62p161. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos