A Justiça Restaurativa: multidimensionalidade humana e seu convidado de honra

Autores

  • Joao Salm Simon Fraser (SFU Vancouver - Canadá)
  • Jackson da Silva Leal UCPel

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-7055.2012v33n64p195

Palavras-chave:

Justiça Restaurativa, Justiça Comunitária, Cidadania Como Poder, Resolução Alternativa de Conflitos, Sociabilidade Emancipatória.

Resumo

O presente trabalho traz os postulados teóricos da Justiça Restaurativa em sua matriz originária, a partir de um objetivo de alternativa de sociabilidade e incluso neste processo uma juridicidade autóctone e emancipatória. Fazendo-se como um processo complexo de construção social democrática e dialogal, voltada ao presente e ao futuro, assim como também de resgatar os laços sociais e de solidariedade, pautado pelo princípios de coprodução e do contato – inter-relacionamento e interdependência. Assim, se analisa em que contexto jurídico, fatico e epistemológico se insere a necessidade de irrupção de dinâmicas alternativas de sociabilidade e de resolução de conflitos. Partindo-se ainda do pressuposto teórico que é prescindir do Estado, que deixa de ser o órgão central da estrutura social e regulatória, para se tornar, na melhor das hipóteses, contribuinte de uma dinâmica sócio e culturalmente construída de emancipação e sociabilidade.

Biografia do Autor

Joao Salm, Simon Fraser (SFU Vancouver - Canadá)

PhD em Justiça pela Universidade do Estado do Arizona (EUA). Mestre em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do programa de grauação em Criminologia da Universidade Simon Fraser (Vancouver – Canadá).

Jackson da Silva Leal, UCPel

Mestrando em Política Social e graduado em Direito pela UCPel. Advogado.

Downloads

Publicado

2012-07-11

Edição

Seção

Artigos