A consolidação do enfrentamento ao trabalho infantil no Brasil, Argentina e Uruguai a partir de ratificações de convenções internacionais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2177-7055.2022.e72461

Palavras-chave:

Adolescente, Infância, Criança

Resumo

O objetivo geral é analisar os pontos convergentes que demonstram a importância da consolidação do processo de erradicação ao trabalho infantil no Brasil, Argentina e Uruguai, a partir de ratificações de convenções internacionais. Utilizou-se da técnica de pesquisa bibliográfica. O método de abordagem é o dedutivo e o de procedimento o monográfico. Constatou-se que as ratificações das convenções internacionais foram marcos determinantes para o enfrentamento ao trabalho infantil no âmbito do Brasil, Argentina e Uruguai. Em consequência, estruturou-se proteções jurídicas contra o trabalho infantil que orientam a execução de ações de políticas públicas.

Biografia do Autor

André Viana Custódio, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Pós-Doutor em Direito pela Universidade de Sevilha - Espanha, Mestre e Doutor em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Coordenador Adjunto e Professor do Programa de Mestrado e Doutorado em Direito da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), Coordenador do Grupo de Estudos em Direitos Humanos de Crianças, Adolescentes e Jovens (GRUPECA/UNISC) e Pesquisador do Grupo de Pesquisa Políticas Públicas de Inclusão Social (UNISC). E-mail: andreviana.sc@gmail.com.

Rafael Bueno da Rosa Moreira, Universidade de Santa Cruz do Sul - Unisc e Centro Universitário da Região da Campanha - Urcamp

Doutor em Direito com Bolsa Prosuc Capes Modalidade II e Mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), integrante do Grupo de Estudos em Direitos Humanos de Crianças, Adolescentes e Jovens (GRUPECA/UNISC) e do Grupo de Pesquisa Políticas Públicas de Inclusão Social (UNISC). Professor do Curso de Graduação em Direito do Centro Universitário da Região da Campanha (URCAMP/Bagé/RS/Brasil) e Coordenador do Grupo de Pesquisas sobre Direitos Humanos e Políticas Públicas para Crianças e Adolescentes (GEDIHCA-URCAMP). Endereço eletrônico: rafaelbmoreira2@yahoo.com.br.

Referências

ARGENTINA. Constitución Nacional Argentina. 1853. Disponível em: http://www.presidencia.gob.ar/images/stories/constitucion-nacional-argentina.pdf. Acesso em: 20 maio 2019.

ARGENTINA. Ley de prohibición del trabajo infantil y protección del trabajo adolescente. 2008. Disponível em: http://www.mpf.gov.ar/Institucional/UnidadesFE/Ufase/trata/ElDelito/Explotacion_Laboral/LEY_26390.pdf Acesso em: 26 maio 2019.

ARGENTINA. Ley de protección integral de los derechos de las niñas, niños y adolescentes. 2005. Disponível em: http://www.notivida.com.ar/legnacional/LEY%20NACIONAL%2026061%20proteccion%20integral.html. Acesso em: 26 maio 2019.

BRAZIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constitui%C3%A7ao.htm. Acesso em: 20 abr. 2019.

BRAZIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069compilado.htm. Acesso em: 20 abr. 2019.

BUSTELO, Eduardo S. El recreo de la infancia: argumentos para otro comienzo. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores, 2011.

CUSTÓDIO, André Viana. Teoria da proteção integral: pressupostos para a compreensão do direito da criança e do adolescente. Revista do Direito: Revista do programa de pós-graduação do mestrado e doutorado, Santa Cruz do Sul, n. 29, p. 22-43, jan./jun. 2008.

CUSTÓDIO, André Viana. As atribuições dos Conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente para Controle e Efetivação de Políticas Públicas. In: COSTA, Marli Marlene Moraes; LEAL, Monia Clarissa Hennig (Orgs.). Direitos Sociais e Políticas Públicas: Desafios Contemporâneos. Tomo 15. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2015

CUSTÓDIO, André Viana; VERONESE, Joseane Rose Petry. Trabalho Infantil Doméstico. São Paulo: Saraiva, 2013.

CUSTÓDIO, André Viana; MOREIRA, Rafael Bueno da Rosa. Exploração Sexual Comercial de Crianças e Adolescentes: Reflexões Contemporâneas no Contexto do Brasil, da Argentina e do Uruguai. Curitiba: Multideia, 2015.

CUSTÓDIO, André Viana; MOREIRA, Rafael Bueno da Rosa. A garantia do direito à educação de crianças e adolescentes no contexto das políticas públicas brasileiras. Revista Brasileira de Políticas Públicas, Brasília, n. 01, v. 5, p. 224-245, jan./jun. 2015.

CUSTÓDIO, André Viana; MOREIRA, Rafael Bueno da Rosa. A influência do direito internacional no processo de erradicação do trabalho infantil no Brasil. Revista Direitos Fundamentais e Democracia, Curitiba, n. 02, v. 23, p. 178-197, mai./ago. 2018.

INTERNATIONAL LABOR ORGANIZATION. Convenção 138 sobre a idade mínima de admissão ao emprego. 1973a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/ 2002/d4134.htm. Acesso em: 10 abr. 2019.

INTERNATIONAL LABOR ORGANIZATION. Convenção 182 sobre a proibição as piores formas de trabalho infantil e ação imediata para sua eliminação. 1999a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3597.htm. Acesso em: 10 abr. 2019.

INTERNATIONAL LABOR ORGANIZATION. Recomendação 146 sobre a idade mínima de admissão ao emprego. 1973b. Disponível em: http://white.oit.org.pe/ipec/documentos/ r146.pdf. Acesso em: 11 abr. 2019.

INTERNATIONAL LABOR ORGANIZATION. Recomendação 190 sobre a proibição das piores formas de trabalho infantil e ação imediata para sua eliminação. 1999b. Disponível em: http://www.ilo.org/dyn/normlex/es/f?p=NORMLEXPUB:12100:1849585729961720::NO :12100:P12100_INSTRUMENT_ID:312528:NO. Acesso em: 11 abr. 2019.

LIMA, Fernanda da Silva. Crise humanitária internacional e os direitos das crianças migrantes ou refugiadas: uma análise da opinião consultiva nº 21 da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Revista do Direito: Revista do Programa de Pós-graduação do Mestrado e Doutorado, Santa Cruz do Sul, v.1, n. 51, p. 87-107, jan./abr. 2017.

LIMA, Miguel Moacyr Alves. O Direito da Criança e do Adolescente: Fundamentos para uma abordagem principiológica. 2001. 479 f. Tese (Doutorado em Direito), Programa de Pós-graduação em Direito, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

LORENZETTI, Ricardo Luis. Fundamentos do Direito Privado. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1998.

PROGRAMA INTERNACIONAL PARA LA ERRADICACIÓN DEL TRABAJO INFANTIL - IPEC. Cuadro de ratificaciones de los Convenios núm. 138 y núm. 182 en América Latina y el Caribe. Organización Internacional del Trabajo – OIT. [s.d.]. Disponível em: http://white.lim.ilo.org/ipec/pagina.php?pagina=158. Acesso em: 25 abr. 2019.

RUIZ, Floriberta Aguilar. Reseña de la “Explotación sexual comercial infantil” de Erick Gómez Tagle-López y Miguel Ontiveros Alonso. Revista Venezolana de Ciencias Sociales, Cabimas-Venezuela, v. 8, n. 2, p. 357-370, jul./set. 2004.

SARMENTO, Daniel. Livres e Iguais: Estudos de Direito Constitucional. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

SOUZA, Jadir Cirqueira de. A efetividade dos direitos da criança e do adolescente. São Paulo: Pillares, 2008.

TOURAINE, Alain. Um novo Paradigma: Para compreender o mundo de hoje. Petrópolis: Vozes, 2006.

UNITED NATIONS ORGANIZATION. A convenção sobre direitos das crianças. 1989. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/D99710.htm. Acesso em: 10 abr. 2019.

URUGUAY. Código de la Niñez y adolescencia. 2004. Disponível em: http://archivo.presidencia.gub.uy/ley/2004090801.htm. Acesso em: 11 mai. 2019.

URUGUAY. Constitución de la República. 1967. Disponível em: http://www.oas.org/juridico/mla/sp/ury/sp_ury-int-text-const.html. Acesso em: 14 mai. 2019.

VERONESE, Josiane Rose Petry. Adolescente autor de ato infracional sob a perspectiva da intersetorialidade. Revista do Direito: Revista do Programa de Pós-graduação do Mestrado e Doutorado, Santa Cruz do Sul, n. 47, p. 125-143, set./dez. 2015.

VERONESE, Josiane Rose Petry. Introdução. In: VERONESE, Josiane Rose Petry (Coordenadora). Direito da Criança e do Adolescente: Novo Curso – Novos Temas. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2017.

Publicado

2022-07-04