Tradução de teatro grego: Édipo Rei, de Sófocles.

Autores

  • Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2008v2n22p89

Resumo

Tendo em vista a especificidade do texto teatral, debatemos quais os elementos desse gênero devem ser preservados na tradução; discutimos a importância de algumas metáforas-base e das materializações no texto poético teatral como fios condutores da tradução. Finalmente, focalizamos as aparições da metáfora da terra (gê) na peça de Sófocles, Édipo Rei e suas eventuais substituições por outros termos.

Biografia do Autor

Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Português-Grego pela Universidade Federal de Minas Gerais (1980), mestrado em Estudos Lingüísticos pela UFMG (1990) e doutorado em Lingüística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997). Realizou Pós-Doutorado pela Universidade de São Paulo, com pesquisa sobre drama satírico grego. Atualmente é professora associada da UFMG. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Tragédia Grega, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro antigo, épica grega, drama satírico, mitologia, estudo do riso na Antiguidade, literatura clássica e outras literaturas, tradição e renovação no teatro e tradição clássica na Literatura Brasileira. Participou da elaboração do Dicionário Grego-Português e desenvolve trabalhos também nas áreas de Lexicografia, Semântica e Análise do Discurso.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2009-02-06

Edição

Seção

Artigos