As dificuldades de traduzir para teatro: o prólogo das Eumênides de Ésquilo

Autores

  • Ana Ribeiro Grossi Araújo Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria Clara Xavier Leandro Universidade Federal de Minas Gerais
  • Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Teatro grego, Tradução, Tradução poética, Eumênides, Ésquilo

Resumo

Neste artigo, descrevemos o processo de pesquisa que culminou na tradução do prólogo das Eumênides, de Ésquilo. Em nossa pesquisa, refletimos sobre a viabilidade de encenação de textos teatrais gregos antigos na atualidade, partindo de uma discussão sobre a teatralidade nas traduções preexistentes desses textos. Com base num estudo de teoria da tradução, identificamos alguns problemas nas traduções e debruçamo-nos sobre o prólogo das Eumênides, de Ésquilo, almejando alcançar uma tradução apta à encenação. Nessa busca, tivemos que refletir também sobre um caminho que nos levasse ao nosso objetivo: essa tradução do prólogo das Eumênides. Esse caminho se deu pela associação de teorias da criação de texto traduzido com métodos próprios da criação teatral, o que gerou uma prática de tradução com particularidades que discutimos neste trabalho.

Biografia do Autor

Ana Ribeiro Grossi Araújo, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação com abilitação em bacharel em Letras-Latim (2004) pela Universidade Federal de Minas Gerais. Possui experiência na área de Artes, com ênfase em Interpretação Teatral e Literatura, atuando principalmente nos seguintes temas: contação de histórias, escrita literária, língua e literatura latina, literatura grega, atuação teatral.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Maria Clara Xavier Leandro, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduanda em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais. Habilitação: Grego: bacharelado.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Tereza Virgínia Ribeiro Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Português-Grego pela Universidade Federal de Minas Gerais (1980), mestrado em Estudos Lingüísticos pela UFMG (1990) e doutorado em Lingüística e Língua Portuguesa pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1997). Realizou Pós-Doutorado pela Universidade de São Paulo, com pesquisa sobre drama satírico grego. Atualmente é professora associada da UFMG. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Tragédia Grega, atuando principalmente nos seguintes temas: teatro antigo, épica grega, drama satírico, mitologia, estudo do riso na Antiguidade, literatura clássica e outras literaturas, tradição e renovação no teatro e tradição clássica na Literatura Brasileira. Participou da elaboração do Dicionário Grego-Português e desenvolve trabalhos também nas áreas de Lexicografia, Semântica e Análise do Discurso. Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2007-05-05

Edição

Seção

Artigos