Transcriação, transconceituação e poesia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2016v36n2p142

Palavras-chave:

Tradução de Literatura, Transcriação, Haroldo de Campos, Octavio Paz

Resumo

Transcriação é um termo bastante utilizado no campo da tradução; surgiu em um determinado contexto cultural, desenvolvido principalmente a partir do Movimento da Poesia Concreta, em vista de uma aplicação específica, condizente às reinvindicações do mesmo. Este trabalho tem como principal objetivo delimitar um matiz conceitual de transcriação, pautado nas teorizações de Haroldo de Campos, e aplicá-lo numa análise da tradução do poema “Blanco”, de Octavio Paz.

Biografia do Autor

Ricardo Gessner, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (2013). Professor colaborador na Universidade Estadual do Norte do Paraná – UENP, campus Jacarezinho, atuando na área de Literatura. Jacarézinho, Paraná, Brasil. E-mail: rigessner@yahoo.com.br

Referências

CAMPOS, Haroldo de; PAZ, Octavio. Transblanco. São Paulo: Siciliano. 1994

CAMPOS, Haroldo de. Da Tradução como Criação e como Crítica. In: Metalinguagem e outras metas. São Paulo: Perspectiva. 2004

FREITAS FILHO, Armando. Máquina de escrever: poesia reunida e revista. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2003

JAKOBSON, Roman. Linguística e comunicação. São Paulo: Cultrix, 1971

LEMINSKI, Paulo. Vida. São Paulo: Editoria Sulinas. 1990

ORTEGA, Julio. Uma Hipótese de Leitura. In: CAMPOS, Haroldo de; PAZ, Octavio. Transblanco: São Paulo: Siciliano. 1994

PAZ, Octavio. Traducción: literatura y literaridad. Barcelona: Tusquets. 1990

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 2011

Downloads

Publicado

2016-05-09