A representação da alteridade num contexto pós-colonial: A costa dos murmúrios de Lídia Jorge em tradução inglesa e francesa

Dominique Faria

Resumo


O presente artigo analisa duas traduções de A costa dos murmúrios (1988) de Lídia Jorge, uma publicada em França (1989) e outra nos Estados Unidos da América (1995). Traduzido de uma língua periférica para línguas centrais e sistemas culturais dominantes, o romance sobre a guerra colonial portuguesa em África teve receções contrastantes naqueles países, as quais revelam diferentes abordagens à tradução. Este estudo visa identificar os principais agentes e fatores externos envolvidos no processo de tradução, assim como determinar o papel que questões como mecenato, tradição nacional de tradução e história nacional de ambas as culturas recetoras desempenham nesse processo. Com base nesta discussão, refletir-se-á então sobre o modo como o povo colonizado e a sua cultura são representados no romance, de forma a verificar se existe ou não uma tendência, ao traduzir, para substituir referências estranhas à cultura ocidental por formas de representação mais generalizadas.


Palavras-chave


Lídia Jorge; Pós-colonialismo; Tradução; Literatura portuguesa; Guerra colonial

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2017v37n1p46



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.