Davis, Lydia. Nem vem. Tradução de Branca Vianna. São Paulo: Companhia das Letras, 2017, 126 p.

Marta Freitas Mendes

Resumo


Nem vem (Companhia das Letras, 2017), traduzido por Vianna, é o terceiro livro da autora traduzido no Brasil. Publicado pela primeira vez em 2014, em Nova Iorque, pela editora Farrar, Straus & Giroux, é uma antologia de textos lançados anteriormente, com poucas alterações, em importantes periódicos, como Harper’s Magazine, The New York Times e The Paris Review. A norte-americana Lydia Davis, nascida em 1947, é uma escritora, tradutora e professora de escrita criativa da Universidade de Albany, NY.  Especialista na tradução da literatura francesa para o inglês, traduziu Flaubert, Proust e Jouve, além de ter ganhado o French-American Foundation Translation Prize de 2003, por sua tradução de No caminho de Swann, de Proust. Entre suas obras ficcionais estão o romance O fim da história (José Olympio, 2016) e quatro antologias de histórias curtas, dentre as quais está Tipos de perturbação (Companhia das Letras, 2013). Em 2013, ganhou o Man Booker Prize, pelo conjunto de sua obra. Davis é apontada como uma renovadora da prosa de língua inglesa e uma das precursoras da escrita de narrativas curtas (as chamadas flash fictions) e inclassificáveis, próximas da poesia e da reflexão metafísica. Branca Vianna é linguista, tradutora, intérprete e professora da PUC-Rio. Bacharel em Letras e especialista em Interpretação Simultânea (ambos pela PUC-Rio), mestre em Linguística (University College London) e mestre em Formação de Intérpretes (Université de Genève). Traduziu duas obras de Lydia Davis para a Companhia das Letras (Tipos de Perturbação e Nem vem).

Palavras-chave


Tradução; Crítica; Lydia Davis

Texto completo:

PDF/A

Referências


Aslanov, Cyril. A tradução como manipulação. Col. Debates. São Paulo: Perspectiva, 2015.

Bakhtin, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Rio de Janeiro: Editora Forense Universitária, [1929] 2005.

Camargo, D. C. As modalidades de tradução e o texto literário. TradTerm, São Paulo, n. 3, 1996, p. 27-33.

Clarke, A. Can’t and won’t by Lydia Davis. The Times, 12 abr. 2014. Disponível em: https://www.thetimes.co.uk/article/cant-and-wont-by-lydia-davis-5lt7pt922rg.

Davis, Lydia. Can’t and won’t. New York: Farrar, Straus & Giroux, 2014.

Davis, Lydia. Nem vem [Can’t and won’t]. Trad. Branca Vianna. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2017.

Davis, Lydia. Não posso nem quero [Can’t and won’t]. Trad. Inês Dias. Lisboa: Relógio d’Água, 2015.

Hofstadter, A. The American Reader, v. 2, n. 2, 2014. Disponível em: http://theamericanreader.com/review-on-lydia-davis-cant-and-wont/.

Kidd, J. Can’t and won’t by Lydia Davis, book review: short stories aspire to the condition of poetry in this pithy and witty collection. Independent, 3 abr. 2014. Disponível em: https://goo.gl/Jq41Tq.

Orner, P. Illuminations. The New York Times, 4 abr. 2014. Disponível em: https://www.nytimes.com/2014/04/06/books/review/cant-and-wont-by-lydia-davis.html.

Oyemi, H. The Guardian, 4 abr. 2014. Disponível em: https://www.theguardian.com/books/2014/apr/04/cant-wont-stories-lydia-davis-review.

Skidelsky, W. Can’t and won’t review: Lydia Davis drops her guard. The Guardian, 20 abr. 2014. Disponível em: https://www.theguardian.com/books/2014/apr/20/cant-and-wont-review-lydia-davis.

Smith, Ali. My Hero: Lydia Davis by Ali Smith. The Guardian, 24 mar. 2013. Disponível em: https://www.theguardian.com/books/2013/may/24/my-hero-lydia-davis-smith.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39n3p409



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.