Gramática e cultura contrastiva: a alternância das formas verbais na interação tempo, modo, aspecto em estudos de tradução

Mônica Maria Guimarães Savedra, Marina Dupré Lobato

Resumo


Em estudos com base na temática de línguas em/de contato, o processo de aquisição de línguas é tratado como um processo relativo, que envolve muitos fatores determinados pelo contexto de aquisição e do uso tópico e dinâmico das línguas em diferentes ambientes comunicativos. Nestes estudos é possível identificar que ao lado de fatores sociolinguísticos e socioculturais, outros fatores, estabelecidos por dimensões conceituais e estruturais, também emanam como relevantes durante o processo de aquisição e uso das línguas. Neste projeto reunimos ao lado do paradigma de tradição sociolinguista o paradigma da Linguística Contrastiva (Kontrastive Linguistik), mais precisamente o da Gramática Contrastiva, em interação com a Cultura Contrastiva (Kulturkontrastive Grammatik). O objeto de nosso estudo é a forma e a funcionalidade das formas verbais em língua alemã e em língua portuguesa. O objetivo deste estudo é identificar e analisar a escolha das formas verbais em traduções de textos literários contemporâneos no par de línguas selecionado com base na alternância dessas formas na interação Tempo, Modo e Aspecto, com especial atenção ao aspecto verbal e a distinção entre aspecto gramatical (Aspekt) e aspecto lexical (Aktionsart).


Palavras-chave


Tradução; Linguística Contrastiva; Usos de formas verbais

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2014v3nespp299



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.