A propósito da tradução da novela "A D´ócil", de Dostoiévski

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e73529

Palavras-chave:

Dostoiévski, A Dócil, Literatura Russa, Tradução

Resumo

O presente artigo procura apresentar, a partir de uma breve contextualização da recepção da literatura russa no Brasil, com destaque à obra de Dostoiévski, algumas das características e detalhes que se sobressaem em sua novela A dócil. Para transmitir espontaneidade ao discurso do narrador de A dócil e representar sua perturbação, confusão e espanto diante de um acontecimento inesperado em sua vida, Dostoiévski utiliza amplamente alguns recursos sintáticos, como partículas expletivas, repetições, travessão, reticências, itálico, dois pontos, diminutivos, que anotam como que o processo, ou o próprio ritmo da composição, e constituem verdadeiros desafios ao tradutor para a recriação de seu estilo em português.

Biografia do Autor

Maria de Fatima Bianchi, Universidade de São Paulo

Doutora pelo Departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da Universidade de São Paulo. Professora da Área de Língua e Literatura Russa do Departamento de Letras Orientais da USP. Tradutora de literatura russa.

Referências

Aksakov, K. S. “Tri kritítcheskie statii g-na Imrek”. Moskóvski literatúrnii i utchenii sbornik na 1847 god (Coleção literária e acadêmica de Moscou para o ano de 1847). Crítica, p. 1-44. Moscou: 1847. 05/12/2019. http://az.lib.ru/a/aksakow_k_s/text_0140.shtml

Bottman, Denise. “Bibliografia Russa Traduzida no Brasil (1900-1950). Breves notas complementares”. RUS Revista de Literatura e Cultura Russa. 5.5 (2015): 60-65. Portal de Periódicos da USP. 07/02/2019. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rus/article/view/108342/106636

Broca, Brito. “Introdução”. O romance russo, Melchior de Vogüé. (org), Rio de Janeiro: Editora A Noite, s./d. s/p

Dolínin, A. S. “Krótkaia” (A dócil). F. M. Dostoiévski. Statii i materiali (F. M. Dostoiévski. Artigos e Materiais). 2: 423–508. Leningrado-Moscou: Ed. Misl, 1924. 01/11/2019. Disponível em: https://yadi.sk/a/MDm3sCKB3WUECU/5b06ca058d77d407ea2c9245

Dostoiévski, F. M. “A propósito da exposição” (Po pôvodu vystavki). Pólnoe Sobrânie Sotchiniênii v tridtsati tomakh (Obras Completas Reunidas em trinta volumes). Vol. 21. Leningrado: Ed. Naúka, 1980.

Dostoiévski, F. M. “Krótkaia”. Pólnoe Sobrânie Sotchiniênii v tridtsati tomakh (Obras Completas Reunidas em trinta volumes). Vol. 24. Leningrado: Ed. Naúka, 1982.

Ferrari, Márcio. “Globalização no século XIX”. Revista Pesquisa FAPESP. São Paulo: 2016.

Grossman, L. Dostoiévski artista. Tradução de Boris Schnaiderman. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

Ivántchikov, E. A. Análiz khudójestvennogo tieksta (Análise do texto artístico). Leningrado: Ed. Naúka, 1976.

Rónai, Paulo. A tradução vivida. 2ª ed. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira,1981.

Slonímski, A. L. “‘Vdrug’ u Dostoevskogo” (O ‘de repente’ em Dostoiévski). Kniga i revoliútsya (Livro e revolução). 8: 9-16. Petrograd: Petrogosizdat, 1922.

Schnaiderman, Boris. Dostoiévski. Prosa e poesia. São Paulo: Editora Perspectiva,1982.

Vogüé, Melchior de. (Org). O romance russo. Rio de Janeiro: Editora A Noite, s./d. s/p

Downloads

Publicado

2021-05-25