Textos Silenciados e Textos Traduzidos: Os Exílios de Hilda Siri da Literatura Brasileira de Expressão Alemã

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e83241

Palavras-chave:

Brasil Alemão, Literatura de Imigração, Literatura de Minorias

Resumo

A palavra exílio, no âmbito da literatura, conduz de imediato a imaginação para o período nazista. No entanto, houve exílios anteriores e posteriores. Igualmente, quando se ouve a palavra, o horizonte da explícita perseguição política se impõe. A pergunta que se faz é se não haveria outras causas, outras circunstâncias para o ser/sentir-se exilado? Se o conceito não atravessaria as fronteiras da e(i)migração? Se, por exemplo, os imigrantes de língua alemã no Brasil (e descendentes) e sua produção literária silenciada não poderiam testemunhar esse modo de estar no mundo? O projeto “Literatura brasileira de expressão alemã” vem se empenhando em organizar esses textos e traduzi-los para o português para que pesquisas possam germinar sobre o assunto. Hilda Siri é um exemplo.

Palavras-chave: Brasil alemão, literatura de imigração, literatura de minorias.

 

Biografia do Autor

Celeste Henrique Marquês Ribeiro de Souza, Universidade de São Paulo

Celeste H. M. Ribeiro de Sousa holds an M.A. (1979) and a Ph.D. in German Literature from the University of São Paulo (1988). She conducted her Post-Doctoral research on Literary Theory and Comparative Literature at the University of São Paulo and at the University of Cologne, in Germany. She is the founder and coordinator of the research group RELLIBRA (Linguistic and Literary Relations Brazil-Germany). She was awarded with four DAAD fellowships to carry out research in Köln, Berlin, Bielefeld, and Marbach. She teaches at the Graduate Course of German Language and Literature at the University of São Paulo. She is the author of Retratos do Brasil: heteroimagens literárias alemãs (1996), Do cá e do lá: introdução à imagologia (2004), the editor of Poéticas da violência. Da bomba atômica ao 11 de setembro (2008), O sósia: Problemas de teatro Friedrich Dürrenmatt (2007). She has published articles on German Literature and on Comparative Literature in Brazilian and international journals. "

Referências

Agamben, Giorgio. Quel che resta di Auschwitz. L'archivio e il testimone, Torino, Bollati Boringhieri, 1998. Impresso.

Agamben, Giorgio. O que resta de Auschwitz. O arquivo e a testemunha (Homo Saccer III). Trad. Selvino Assmann. São Paulo: Boitempo, 2008. Impresso.

Brecht, Bertolt. Gesammelte Werke 9. Gedichte 2. Frankfurt a.M.: Suhrkamp, 1967, p. 718. Impresso.

Brecht, Bertolt. “Acerca do termo imigrantes”. Trad. Tercio Redondo. Traulito, nº 2, julho/agosto de 2010, p. 14. Impresso.

Brecht, Bertolt. “Sobre a designação de emigrantes”. Trad. André Vallias. Vallias, André. Bertolt Brecht: poesia. São Paulo: Perspectiva, 2019, p. 326. Impresso.

Edschmid, Kasimir. Deutsches Schicksal. Berlin, Zsolnay, 1932. Impresso.

Grellert, Otto. “Jedem sein Paradies”. Serra-Post-Kalender. Ijuí: Ulrich Löw, 1954, p. 173-182. Impresso.

Grellert, Otto. “A cada um seu paraíso”. Gregory, Alceu João. Otto Grellert (1908-1993): vida e obra. São Paulo: Instituto Martius-Staden, 2012. Disponível em http://www.martiusstaden.org.br/files/conteudos/0000001-0000500/118/ce12156180565ff561943fdc9389cd76.pdf.

Harari, Yuval Noah. Homo Deus. Trad. Paulo Geiger. São Paulo: Comp. Letras, 2016. Impresso.

Indursky, Alexei Conte e Oliveira, Luiz Eduardo Prado de. “Sobre a melancolização do exílio”. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental. 19 (2), jun. 2016: 242-258. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/rlpf/v19n2/1415-4714-rlpf-19-2-0242.pdf.

Kristeva, Julia. Étrangers à nous mêmes. Paris: Gallimard, 1991. Impresso.

Kristeva, Julia. Estrangeiros para nós mesmos. Trad. Maria Carlota Carvalho Gomes. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. Impresso.

Miranda, Wander Melo. Nações literárias. São Paulo: Ateliê, 2009. Impresso.

Neto, Manuel Domingos. “A destruição da sacrossanta”. Disponível em https://aterraeredonda.com.br/a-destruicao-da-sacrossanta/?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=a-destruicao-da-sacrossanta&utm_term=2020-09-01.

Nouss, Alexis. La condition de l’éxile. Paris: Editions de La Maison des Sciences de l’Homme, 2015. Impresso.

Nouss, Alexis. Pensar o exílio e a migração hoje. Trad. Ana Paula Coutinho. Porto: Edições Afrontamento, 2016. Impresso.

Said, Edward. Reflexões do exílio e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2003. Impresso.

Siri, Hilda. “Die alte Truhe”. Serra-Post Kalender. Ijuí: Ulrich Löw, 1952, p.81-92. Impresso. Também: Zwanziger, Iris. Die alte Truhe. 2ª ed. Campinas, edição da autora, 2000, p. 23-31. Impresso. Também: Ribeiro-de-Sousa, Celeste. Hilda Siri (1918-2007): vida e obra. São Paulo: Instituto Martius-Staden, 2008. Disponível em http://www.martiusstaden.org.br/files/conteudos/0000001-0000500/102/971611078859cf0d64c1d13068f3c13a.pdf.

Siri, Hilda. “O velho baú”. Trad. Celeste Ribeiro-de-Sousa e Maria António Hörster. Ribeiro-de-Sousa, Celeste. Hilda Siri (1918-2007): vida e obra. São Paulo: Instituto Martius-Staden, 2008. Disponível em: http://www.martiusstaden.org.br/files/conteudos/0000001-0000500/102/08395d1b29ae12bca4f21e7f664b4d6f.pdf.

Siri, Hilda. “Die Rache des Urwalds”. Serra-Post Kalender. Ijuí: Ulrich Löw, 1955, p. 107-110. Impresso. Também: Zwanziger, Iris. Die alte Truhe. 2ª ed. Campinas: edição da autora, 2000, p. 31-34. Impresso. Também: Ribeiro-de-Sousa, Celeste. Hilda Siri (1918-2007): vida e obra. São Paulo: Instituto Martius-Staden, 2008. Disponível em http://www.martiusstaden.org.br/files/conteudos/0000001-0000500/102/a275f4787654b3e58342983aff2da77d.pdf.

Siri, Hilda. “A vingança da floresta virgem”. Trad. Maria Antônio Hörster. Ribeiro-de-Sousa, Celeste. Hilda Siri (1918-2007): vida e obra. São Paulo: Instituto Martius-Staden, 2008. Disponível em http://www.martiusstaden.org.br/files/conteudos/0000001-0000500/102/88dab2b7d02225dbcef769c833a2d409.pdf.

Vergueiro, Paola Vieitas. “Jung, entrelinhas: reflexões sobre os fundamentos da teoria junguiana com base no estudo do tema individuação em Cartas”. Psicologia: teoria e prática. V.10. Nº1. Jun. 2008: 125-143. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/ptp/v10n1/v10n1a10.pdf.

Wiesel, Elie. “For some measure of humility”. Sh´ma: a journal of jewish responsibility. 31 oct. 1975: 314. Impresso.

Zwanziger, Iris (Siri, Hilda). “Kleinigkeiten IV”. Zwanziger, Iris. Die alte Truhe. 2ª ed. Campinas: edição da autora, 2000, p. 141-143. Impresso. Também: Ribeiro-de-Sousa, Celeste. Hilda Siri (1918-2007): vida e obra. São Paulo: Instituto Martius-Staden, 2008. Disponível em http://www.martiusstaden.org.br/files/conteudos/0000001-0000500/102/a15f1c1dad726c30e75549402d145b03.pdf.

Zwanziger, Iris (Siri, Hilda). “Du kannst ja heimkehren”. Zwanziger, Iris. Die alte Truhe. 2ª ed. Campinas: edição da autora, 2000, p. 106. Impresso. Também: Ribeiro-de-Sousa, Celeste. Hilda Siri (1918-2007): vida e obra. São Paulo: Instituto Martius-Staden, 2008. Disponível em http://www.martiusstaden.org.br/files/conteudos/0000001-0000500/102/0eac0d0f6ea993b9750c38b5bb4effd3.pdf.

Zwanziger, Iris (Siri, Hilda). Die Parade. Die alte Truhe. 2ª ed. Campinas, edição da autora, 2000, p. 156-158. Impresso. Também: Ribeiro-de-Sousa, Celeste. Hilda Siri (1918-2007): vida e obra. São Paulo: Instituto Martius-Staden, 2008. Disponível em http://www.martiusstaden.org.br/files/conteudos/0000001-0000500/102/609e695f275acb3a9aee93eb49b623be.pdf

Downloads

Publicado

2021-09-30