A compreensão de relações familiares pelas crianças em situação de brincadeira em contexto de educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2017v19n35p69

Palavras-chave:

Processos de significação, Cultura de pares, Educação infantil, Relações familiares

Resumo

O artigo discute as compreensões das relações familiares que as crianças expressam em situação de brincadeira com parceiros de mesma idade em contexto de educação infantil. Essa discussão ocorre a partir da revisitação de alguns episódios de brincadeira estudados em pesquisa de mestrado (MAYNART, 2010), que buscou compreender a importância da brincadeira para a constituição da identidade da criança na perspectiva de Henri Wallon. A revisitação dos dados da pesquisa, a partir de uma ampliação de referenciais teóricos, traz novos elementos que realçam o complexo processo de significação que ocorre na cultura de pares em contexto de educação infantil. Considerando o brincar como um espaço privilegiado para a investigação de processos de construção de significados, os episódios selecionados revelam que o processo de compreensão de relações familiares se dá no entrejogo de modos de agir, pensar e sentir individuais e o sistema de crenças e teorias do mundo simbólico-cultural e passa, necessariamente pelas interações sociais com o outro.

 

Biografia do Autor

Lenira Haddad, Universidade Federal de Alagoas

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1979), mestrado em Psicologia Escolar pelo Instituto de Psicologia da USP (1989), doutorado em Educação pela Faculdade de Educação da USP (1997) e pós-doutorado em Psicologia Social no Laboratório de Psicologia Social da Universidade Aix-Marseille, França (2011). É professora-associada da Universidade Federal de Alagoas, pesquisadora associada da Fundação Carlos Chagas, membro do conselho consultivo da Revista Pátio Educação Infantil e líder do Grupo de Pesquisa “Educação Infantil e Desenvolvimento Humano”, vinculado ao Programa de Pós-graduação em Educação da UFAL.

Renata da Costa Maynart, Universidade Federal de Alagoas

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Alagoas. Mestra em Educação pela mesma Universidade. Professora-Assistente da Universidade Federal de Alagoas, Campus Arapiraca. Membro do Grupo de Pesquisa Educação Infantil e Desenvolvimento Humano - UFAL.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010.

BRUNER, J. Actos de significação. Tradução Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. Originalmente publicado em 1990.

CARVALHO, A. M. A. & PEDROSA, M. I. Cultura no grupo de brinquedo. Estudos de Psicologia. Natal, 7: 1, p. 181-188, 2002.

COELHO, M. T. F. & PEDROSA, M. I. Faz-de-conta: construção e compartilhamento de

significados. In: OLIVEIRA, Z. M. R. (Org.) A criança e seu desenvolvimento: perspectivas para se discutir a educação infantil. São Paulo: Cortez, 2012.

CORSARO, W. Reprodução Interpretativa e cultura de Pares. In: Fernanda Müller, Ana Maria Almeida Carvalho (orgs.)Teoria e Prática na pesquisa com crianças: diálogos com Willian Corsaro. São Paulo: Cortez, 2009.

CORSARO, W. Sociologia da infância. Tradução de Lia Gabriele Regius Reis. Porto Alegre: Artmed, 2011.

MÜLLER, F. Entrevista com Willian Corsaro. Educação & Sociedade, ISSN 0101-7330, vol.28 no.98 Campinas Jan./Apr. 2007.

OLIVEIRA, Z. M. R. Jogos de papéis: um olhar para as brincadeiras infantis. São Paulo: Cortez, 2011.

WALLON, H. Psicologia e educação da infância. In: ______. Psicologia e educação da infância. Tradução Ana Rabaça. Lisboa: Estampa, Lda., p. 9-21, 1975.

WALLON, H. O brincar. In: ______. A evolução psicológica da criança. Tradução Claudia Berliner; revisão técnica Izabel Galvão. São Paulo: Martins Fontes, p. 54-70, 2007.

Downloads

Publicado

2017-05-29