O cuidado e educação das (os) bebês em contexto coletivo: a construção da experiência da auxiliar de apoio à educação infantil na interação com bebês e professoras

Laís Caroline Andrade Bitencourt, Isabel de Oliveira e Silva

Resumo


Este artigo tem por objetivo analisar como a Auxiliar de Apoio à Educação Infantil constrói sua experiência na interação com bebês e professoras, durante as atividades de cuidado e educação em contexto coletivo. Dentre a complexidade de ações que constituem as atividades com bebês no berçário, destacamos as práticas de cuidado. Focalizar tais práticas justifica-se: a) porque o cuidado está no cerne da definição da Educação Infantil; b) na atuação com bebês, as práticas de cuidado têm uma centralidade ainda maior; e c) sendo as ações de apoio às professoras a atribuição das Auxiliares, focalizar tais práticas nos permite compreender os sentidos por elas construídos. O método de construção e instrumento de registro dos dados utilizados foram, respectivamente, a observação participante e o diário de campo. Os resultados permitem identificar elementos da relação entre as Professoras para a Educação Infantil e a Auxiliar de Apoio à Educação Infantil que influenciam a compreensão sobre a indissociabilidade entre as práticas de cuidar e educar bebês em contexto coletivo.


Palavras-chave


Docência na educação infantil; Professor para a educação infantil; Auxiliar de apoio à educação infantil; cuidado e educação de bebês

Texto completo:

PDF/A

Referências


AMORIM, Ana L. N. de. Sobre educar na creche: é possível pensar em currículo para crianças de zero a três anos? 2011. 338f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2011.

BARBOSA, Maria C. As especificidades da ação pedagógica com os bebês. Anais do Seminário Nacional: Currículo em Movimento – Perspectivas atuais. Belo Horizonte, 2010.

______. Por amor e por força: rotinas na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BECKER, Scheila M. da S; MARTINS, Gabriela Dal F. Práticas e crenças de educadoras de berçário sobre cuidado. Psicologia em Estudo. V. 18, n. 3, p. 551-560, jul./set., 2013.

BELO HORIZONTE. Gerência de Coordenação da Educação Infantil. Ofício nº 277/2015.

BRASIL. Senado Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

______. Senado Federal. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: nº 9394/96. Brasília, 1996.

CAMPOS, Maria Malta. A formação de professores para crianças de 0 a 10 anos: modelos em debate. In: Educação & Sociedade. Ano XX, nº 68, p. 126-142, Dez/1999.

______. Educar e cuidar: questões sobre o perfil do profissional de Educação Infantil. In: BRASIL. MEC/SEF/COEDI, Por uma política de formação do profissional de Educação Infantil. Brasília, 1994.

CERISARA, Ana B. Educar e cuidar: por onde anda a Educação Infantil. Perspectiva, Florianópolis, v. 17, n. Especial, p. 11-21, jul./dez., 1999.

______. Professoras de educação infantil: entre o feminino e o profissional. São Paulo: Cortez, 2002.

CORDEIRO, Angélica M. A. O Sentido e o significado das práticas de cuidar e educar das educadoras de creche: as condições subjetivas e objetivas. [Mestrado] Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005.

COUTINHO, Ângela M. S. As crianças no interior da creche: a educação e o cuidado nos momentos de sono, higiene e alimentação. 2002. 165f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Ilha de Santa Catarina, 2002.

DUMONT-PENA, Érica. Cuidar. Relações sociais, práticas e sentidos no contexto da Educação Infantil. 2015. 154f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, 2015.

FARIA, Ana Lúcia Goulart. Políticas de regulação, pesquisa e pedagogia na Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica. Educação & Sociedade. Campinas, v. 26, n. 92, p. 1013-1038, Especial, Out., 2005.

GUIMARÃES, Daniela de O. Relações entre crianças e adultos no berçário de uma creche pública na cidade do Rio de Janeiro: técnicas corporais, responsividade, cuidado. 2008. 222f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

GUIMARÃES, Nadya Araújo; HIRATA, Helena; SUGITA, Kurumi. Cuidado e cuidadoras: o trabalho do care no Brasil, França e Japão. In: HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. (org.).Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Atlas, 2012.

HADDAD, Lenira. A ecologia da Educação Infantil: construindo um modelo de sistema unificado de cuidado e educação. 1997. 336f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação – Universidade de São Paulo. São Paulo, 1997.

HIRATA, Helena; GUIMARÃES, Nadya Araújo. Introdução. In: HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. (org.). Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Atlas, 2012.

KISHIMOTO, T. M. Política de formação profissional para a educação infantil: Pedagogia e Normal Superior. Educação & Sociedade. Campinas: nº 68, p. 61-79, 1999.

KRAMER, Sônia. Formação de profissionais de educação infantil: questões e tensões. In: MACHADO, A. L. de A. (org.). Encontros e desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

MARANHÃO, Damaris G. O cuidado como elo entre a saúde e a educação: um estudo de caso no berçário de uma creche. 1998. 150f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

______. O Cuidado como ele entre a saúde e a educação. Cadernos de Pesquisa, nº III, p. 115-133. Dez, 2000.

______. O cuidado de si e do outro. Revista Educação. Número Temático: Educação Infantil, out. 2011, pp.14-29.

MARANHÃO, Damaris G.; SARTI, Cynthia A. Cuidado compartilhado: negociações entre famílias e profissionais em uma creche. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, v. 11, n. 22, p. 257-270, mai./ago., 2007.

MARANHÃO, D. G.; SANTOS, T. M.; COIMBRA, R. S. R.; CLEMENTE, D. R.; BARROS, E. M. Observar as crianças para integrar saúde e educação. Revista Veras, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 133-147, julho/dezembro, 2015.

MINAYO, Maria C. de S. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Revista Ciência e Saúde Coletiva. Nº 17; p. 621-626, 2012.

MOLINIER, Pascale. Ética e trabalho do care. In: HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. (org.) Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Atlas, 2012.

MONTENEGRO, Thereza. Educação Infantil: a dimensão moral da função de cuidar. Psicologia da Educação. Nº 20, jun., 2005.

NASCIMENTO, Sandra J. do. Cuidar e educar: concepções de professoras de um centro de Educação Infantil na cidade de São Paulo. 2009. 162f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

NAZARIO, Roseli. A “boa creche” do ponto de vista das professoras da Educação infantil. 2002. 102f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. O desenvolvimento profissional das educadoras de infância: entre os saberes e os afectos, entre a sala e o mundo. In: MACHADO, A. L. de A. (org.). Encontros e desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

OLIVEIRA, Zilma M. R. A Universidade na formação dos profissionais de educação infantil. In: Por uma política de formação do profissional de Educação Infantil. MEC/SEF/COEDI – Brasília, p. 64-68, 1994.

OLIVEIRA, D. A. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação & Sociedade, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, dez., 2004.

PIMENTA, Selma Garrido. Saberes pedagógicos e atividade docente. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2006.

PINTO, M. G. N.; DUARTE, A. M. C.; VIEIRA, L. M. F. O trabalho docente na educação infantil pública de Belo Horizonte. Revista Brasileira de Educação. V. 17, n. 51, set./dez., 2012.

SILVA, Isabel de O. e. Profissionais de creche no coração da cidade: a luta pelo reconhecimento profissional em Belo Horizonte. 2004. 297f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2004.

______. Educação Infantil no Brasil. Pensar a Educação em Revista. Curitiba/Belo Horizonte, v. 2, n. 1, p. 03-33, jan-mar, 2016.

______. Professoras da Educação Infantil: formação, identidade e profissionalização. In: Docência na Educação Infantil. Ano XXIII, Boletim 10, p. 28-35, Jun/2013.

______. O trabalho docente na educação infantil: dilemas e tensões. In: Anais da 30ª Reunião Anual da Anped, Caxambu –MG, p. 1-18, 2007..

SILVA, Isabel de Oliveira e.; VIEIRA, Lívia M. Fraga. Educação Infantil: bases históricas, políticas e sociais. Belo Horizonte: FAE/UFMG/UAB, 2008.

SOARES, Ângelo. As emoções do care. In: HIRATA, H.; GUIMARÃES, N. A. Cuidado e Cuidadoras: as várias faces do trabalho do care. São Paulo: Atlas, 2012.

TARDIF, M; LESSARD, C. Trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 9 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

VIEIRA, Lívia Maria Fraga. O perfil das professoras e educadoras da Educação Infantil no Brasil. In: Docência na Educação Infantil. Ano XXIII, Boletim 10, p. 16-27, Jun/2013.

VIEIRA, L. M. F.; OLIVEIRA, T. G. As condições do trabalho docente na educação infantil no Brasil: alguns resultados de pesquisa (2002-2012). Revista Educação em Questão. Natal: RN, v. 46, n. 32, p. 131-154, maio/ago., 2013.

VITTA, Fabiana C. F. de. Cuidado e educação nas atividades do berçário e suas implicações na atuação profissional para o desenvolvimento e inclusão da criança de 0 a 18 meses. 2004. 177f. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, 2004.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2017v19n36p379

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.