As crianças na escola de samba: o saber-fazer da Etnografia em contextos locais de educação

Fabiana Duarte, Patrícia de Moraes Lima

Resumo


Este texto reflete acerca da etnografia como metodologia que permite a construção de saberes locais com e sobre as crianças. Problematiza, a partir das práticas culturais e locais no contexto da escola de samba, a etnografia com crianças como uma metodologia útil e uma epistemologia que permite a produção de conhecimentos que reconhecem as crianças como sujeitos de direitos que participam de convívio coletivo marcado pela intergeracionalidade. Parte-se da pesquisa realizada sobre o carnaval na cidade de Florianópolis/SC e, especificamente, do “projeto mirim de casais de mestre sala e porta bandeira” da Escola de Samba Embaixada Copa Lord, localizada na comunidade do Morro da Caixa, região central da cidade, em que a proximidade com as crianças e adultos permitiu conhecer o lugar das crianças na interioridade das práticas ali existentes. Nesse texto escolhemos refletir sobre o aprimoramento do fazer etnográfico, identificando de que forma o tempo, as relações e as escolha das “técnicas” e recursos ocorrem no processo da pesquisa com crianças, em um esforço de interseccionar a etnografia pelo campo da Antropologia, colocando-a em diálogo com os Estudos da Infância e procurando conhecer as crianças a partir dos contextos locais onde constituem seus modos de vida. 


Palavras-chave


Crianças; Etnografia; Proximidade; Saber-fazer

Texto completo:

PDF/A

Referências


BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A Educação como Cultura. Editora Brasiliense: SP, 1985.

CHRISTENSEN, Pia; JAMES, Allison. (orgs). Investigação com crianças: perspectivas e práticas. Porto: Edições Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti, 2005.

COHN. Clarice. Antropologia da Criança. São Paulo: Jorge Zahar, 2005.

DORNELLES, Leni Vieira. Infâncias que nos escapam: da criança na rua à criança cyber. Petrópolis, RJ: Vozes, 2. ed. 2008.

FERREIRA, Manuela. “- ela é nossa prisioneira!”: questões teóricas, epistemológicas e ético-metodológicas a propósito dos processos de obtenção da permissão das crianças pequenas numa pesquisa etnográfica. Reflexão e ação, v. 18, n. 2, p. 151-182, 2010.

GEERTZ, Clifford. O saber local. Novos ensaios em antropologia interpretativa. Petrópolis: Vozes, 2000.

GERBER, Rose Mary. Mulheres e o mar: pescadoras embarcadas no litoral de Santa Catarina, sul do Brasil. Florianópolis: editora da UFSC, 2015.

LIMA, Patrícia de Moraes. O governo da infância e a arte do cuidado de si. In: SOUZA. Ana Maria Borges de. BARBOSA, Isabella Benfica. Cuidar da Educação, Cuidar da Vida. Florianópolis: UFSC – CED – NUVIC. 2011.

LOPES, Jader Jader Moreira e VASCONCELLOS Tânia de. Geografia da Infância: Territorialidades Infantis. Currículo sem Fronteiras, v.6, n.1, p.103-127, Jan/Jun 2006.

LOPES, Jader Jader Moreira. Geografia da Infância: contribuições aos estudos das crianças e suas infâncias. In: Educação Pública. Cuiabá, v. 22, n. 49/1, p. 283-294, maio/ago. 2013.

MALINOWSKI, Bronisław. Os argonautas do Pacífico ocidental: um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da Nova Guiné melanésia. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

MUNANGA, Kabengele. Mestiçagem como símbolo de identidade brasileira. In: SANTOS, Boaventura de Sousa, MENEZES, Maria Paula (orgs.) Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

PRATT, Mary Louise. Trabalho de campo em lugares comuns. In: CLIFFORD, James; MARCUS, George. A escrita da cultura. Rio de Janeiro: edUERJ, 2016.

RIBEIRO. Ana Paula Pereira da Gama Alves. Novas conexões, velhos associativismos: projetos sociais em escolas de samba mirins. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. 2009.

SARMENTO, Manuel Jacinto e PINTO, Manuel. As crianças e a infância: definindo conceitos, delimitando o campo. In: SARMENTO, Manuel Jacinto e PINTO, Manuel. As crianças, contextos e identidades. Braga, Portugal. Universidade do Minho. Centro de Estudos da Criança. Ed. Bezerra, 1997.

SKLIAR, Carlos. Palabras de la normalidade. Imágenes de la anormalidade. IN: DUSSEL, I; Gutierrez, D. Educar la mirada: políticas y pedagogias de la imagens. 1 ed. Buenos Aires, Manantial: FLACSO, OSDE, 2006.

SODRÉ, Muniz. Pensar Nagô. Petrópolis, RJ: Editora Vozes. 2017.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2019v21n40p276

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.