Sala de referência ideal para as crianças e para as profissionais da educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n41p175

Palavras-chave:

Espaço educacional, Educação infantil, Seleção visual

Resumo

Este artigo tem como objetivo principal compreender os anseios e as idealizações das crianças e dos profissionais, em relação ao espaço da sala de referência, na Educação Infantil. A pesquisa, de abordagem qualitativa, envolveu discussões sobre espaço, ambiente e lugar, com ênfase na Educação Infantil. Enquadrou-se nas características do estudo de caso e teve como campo de investigação uma sala de pré-escola II de uma instituição pública em Presidente Prudente (SP). Os sujeitos foram dezoito crianças e três profissionais que atuavam na instituição. O procedimento de recolha de dados foi a observação do espaço, com registro escrito e fotográfico, e a seleção visual. As conclusões apontaram que os anseios das crianças divergem em alguns aspectos dos educadores. Constata-se, também, que as profissionais têm conhecimentos alinhados às concepções apontadas por teóricos que estudam a organização do espaço das instituições de Educação Infantil, porém, esses saberes são pouco materializados na prática.

Biografia do Autor

Ariadne de Sousa Evangelista, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Pedagoga, Mestre e Doutoranda em Educação pela Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT/UNESP). Tutora do curso de Pedagogia da Universidade Anhanguera - Polo de Presidente Prudente (SP). Professora Mediadora à distância do curso de Pedagogia da IFSP.

Referências

ALDERSON, Pricilla. As crianças como pesquisadoras: os efeitos dos direitos de participação sobre a metodologia. Educ. Soc., Campinas, v. 26, n. 91, p. 419-442, maio/ago. 2005.

BARBOSA, Maria Carmen. Silveira. Por amor e por força: rotinas na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; HORN, M. G. S. Organização do espaço e o tempo na escola infantil. In: CRAIDY, C. M; KAERCHER, G. E. P. S. (Org.). Educação Infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 67-79.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira Projetos Pedagógicos na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BAÚ DE ATIVIDADES. 2015. Disponível em: https://bau-de-atividades.com/. Acesso em: 05 maio 2015.

BLANC, Claudine; LESANN, Janine. Propostas para o cotidiano da Educação Infantil. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

BLOWER, Hélide Cristina Steenhagen. O lugar do Ambiente na Educação Infantil: Estudo de Caso na Creche Doutor Paulo Niemeyer, 2008. 180f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

BOCCANERA, Nélio Barbosa. A utilização das cores no ambiente de internação hospitalar. 2007. 95f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Básicos de Infraestrutura para Instituições de Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010.

CAMPOS, Maria Malta. Porque é importante ouvir a criança? A participação das crianças pequenas na pesquisa científica. In: CRUZ, S.H.V. (Org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008. p. 35-42.

CAMPOS-DE-CARVALHO, Maria Ignez. Arranjo Espacial. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. (Org.). Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis: Vozes, 2011. p.70-82.

CARVALHO, Maria Ignez Campos de; RUBIANO, M. R.B. Organização do espaço em instituições pré-escolares. In: OLIVEIRA, Z. M. R. de O. (Org.) Educação Infantil: muitos olhares. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

COLÉGIO CENE. 2012. Disponível em: http://www.colegiocene.com.br/. Acesso em: 29 abr. 2015.

COLÉGIO DISCERE LABORATUM. 2011. Disponível em: http://www.discerelaboratum.com.br. Acesso em: 29 abr. 2015.

CORSARO, William. Reprodução Interpretativa e Cultura de pares. In: MÜLLER, F.; CARVALHO, A. M. A. Teoria e prática na pesquisa com crianças. São Paulo, Cortez, 2009, p. 31-50.

CORSARO, William. Sociologia da Infância. 2. ed. Tradução de Lia Gabriele Regius Reis. Revisão Técnica de Maria Leticia B. P. Nascimento. Porto Alegre: Artmed, 2011.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. As imagens na Educação Infantil: uma abordagem a partir da Cultura Visual. Zero-a-Seis. Florianópolis, n.19, jan./jul. 2009.

DRUMOND, José Cosme. Hibridismos nas decorações de ambiente escolares. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 30. Anais. Caxambu, 2007, p. 1-14.

ELALI, Gleice Azambuja. O ambiente da escola - o ambiente na escola: uma discussão sobre a relação escola-natureza em Educação Infantil. Estudos de Psicologia, v. 8, n. 2, p. 309-319, 2003.

EVANGELISTA, Ariadne de Sousa. O espaço na educação infantil: análise para a qualificação. 2014. 40f. Presidente Prudente. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Psicopedagogia) – Programa de Pós-Graduação, UNIVEL, 2014.

EVANGELISTA, Ariadne de Sousa. Concepções e expectativas de crianças e de profissionais sobre o espaço educacional na Educação Infantil. 2016. 264 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2016.

FORNEIRO, Lina Eglesias. A organização dos espaços na Educação Infantil. In: ZABALZA, M. A. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998. p. 229-281.

FOUCAULT, Michael. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 8. ed. Tradução de Ligia M. Pondé Vasallo. Petrópolis: Vozes, 1991.

FRAGO, Antonio Vrao; ESCOLANO, Austin. Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. Rio de Janeiro: DP&A, 1998.

GANDINI, Lella. Espaços educacionais e de envolvimento pessoal. In: EDWARDS, C.; GANDINI, L.; FORMAN, G. As cem linguagens da criança: A abordagem de Reggio Emilia na Educação da primeira infância. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999. p. 145-158.

HORN, Maria da Graça Souza. Sabores, cores, sons, aromas: a organização dos espaços na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

KISHIMOTO, Tisuko Morchida. Brinquedos e materiais pedagógicos nas escolas infantis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 2, p. 229-245, jul./dez. 2001

KRAMER, Sonia; GUIMARÃES, Daniela. Nos espaços e objetos das creches: concepções de educação e práticas com as crianças de zero a três anos. Caderno de Pesquisa em Educação PPGE – UFES. v. 13, n. 16. Vitória, p. 9-45, jul./dez. 2007.

KRAMER, Sonia. (Org.) Com a pré-escola nas mãos: uma alternativa curricular para a Educação Infantil. 14. ed. São Paulo: Ática, 2009.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmaso Afonso de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MENEGHINI, Renata; CAMPOS-DE-CARVALHO, Maria Ignez. Arranjo espacial na creche: espaços para interagir, brincar isoladamente, dirigir-se socialmente e observar o outro. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.2, n. 16, p. 367-378, 2003.

OLIVEIRA, Chistiane. A organização do ambiente: um estudo com as professoras de Educação Infantil de Corupá. 2008. 122f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação) – Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2008.

OLIVEIRA, Zilma Moraes Ramos de. et al. (Org.). O trabalho do professor na Educação Infantil. São Paulo: Biruta, 2012.

RHEINGANTZ, Paulo Afonso et al. Observando a qualidade do lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Pós-Graduação em Arquitetura, 2009.

ROSSETTI-FERREIRA, Maria Clotilde et al. (Org.) Os fazeres na Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 1998.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Imaginário e culturas da infância. Cadernos de Educação, Pelotas, v. 12, n. 21, p. 51-69, 2003.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Visibilidade social e estudo da infância. In: VASCONCELLOS, V. M. R.; SARMENTO, M. J. Infância (in)visível. Araraquara: Junqueira & Marin, 2007. p. 25-49.

SOUZA, Solange Jobim e; CASTRO, L.R. Pesquisando com crianças: subjetividade infantil, dialogismo e gênero discursivo. In: CRUZ, Silvia Helena Vieira (Org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008. p.52-78.

TIRIBA, Léa. Seres humanos e natureza nos espaços da Educação Infantil. Presença Pedagógica. v. 13, n. 76, p. 44-51, jul./ago. 2007.

TUAN, Yi-fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Tradução de Lívia de Oliveira. Londrina: EDUEL, 2012.

TUAN, Yi-fu. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. Tradução de Lívia de Oliveira. Londrina: EDUEL, 2013.

Downloads

Publicado

2020-04-24