Sala de referência ideal para as crianças e para as profissionais da educação

Ariadne de Sousa Evangelista

Resumo


Este artigo tem como objetivo principal compreender os anseios e as idealizações das crianças e dos profissionais, em relação ao espaço da sala de referência, na Educação Infantil. A pesquisa, de abordagem qualitativa, envolveu discussões sobre espaço, ambiente e lugar, com ênfase na Educação Infantil. Enquadrou-se nas características do estudo de caso e teve como campo de investigação uma sala de pré-escola II de uma instituição pública em Presidente Prudente (SP). Os sujeitos foram dezoito crianças e três profissionais que atuavam na instituição. O procedimento de recolha de dados foi a observação do espaço, com registro escrito e fotográfico, e a seleção visual. As conclusões apontaram que os anseios das crianças divergem em alguns aspectos dos educadores. Constata-se, também, que as profissionais têm conhecimentos alinhados às concepções apontadas por teóricos que estudam a organização do espaço das instituições de Educação Infantil, porém, esses saberes são pouco materializados na prática.


Palavras-chave


Espaço educacional; Educação infantil; Seleção visual

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALDERSON, Pricilla. As crianças como pesquisadoras: os efeitos dos direitos de participação sobre a metodologia. Educ. Soc., Campinas, v. 26, n. 91, p. 419-442, maio/ago. 2005.

BARBOSA, Maria Carmen. Silveira. Por amor e por força: rotinas na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; HORN, M. G. S. Organização do espaço e o tempo na escola infantil. In: CRAIDY, C. M; KAERCHER, G. E. P. S. (Org.). Educação Infantil: pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 67-79.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira Projetos Pedagógicos na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BAÚ DE ATIVIDADES. 2015. Disponível em: https://bau-de-atividades.com/. Acesso em: 05 maio 2015.

BLANC, Claudine; LESANN, Janine. Propostas para o cotidiano da Educação Infantil. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.

BLOWER, Hélide Cristina Steenhagen. O lugar do Ambiente na Educação Infantil: Estudo de Caso na Creche Doutor Paulo Niemeyer, 2008. 180f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

BOCCANERA, Nélio Barbosa. A utilização das cores no ambiente de internação hospitalar. 2007. 95f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Básica. Parâmetros Básicos de Infraestrutura para Instituições de Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010.

CAMPOS, Maria Malta. Porque é importante ouvir a criança? A participação das crianças pequenas na pesquisa científica. In: CRUZ, S.H.V. (Org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008. p. 35-42.

CAMPOS-DE-CARVALHO, Maria Ignez. Arranjo Espacial. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. A. (Org.). Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis: Vozes, 2011. p.70-82.

CARVALHO, Maria Ignez Campos de; RUBIANO, M. R.B. Organização do espaço em instituições pré-escolares. In: OLIVEIRA, Z. M. R. de O. (Org.) Educação Infantil: muitos olhares. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

COLÉGIO CENE. 2012. Disponível em: http://www.colegiocene.com.br/. Acesso em: 29 abr. 2015.

COLÉGIO DISCERE LABORATUM. 2011. Disponível em: http://www.discerelaboratum.com.br. Acesso em: 29 abr. 2015.

CORSARO, William. Reprodução Interpretativa e Cultura de pares. In: MÜLLER, F.; CARVALHO, A. M. A. Teoria e prática na pesquisa com crianças. São Paulo, Cortez, 2009, p. 31-50.

CORSARO, William. Sociologia da Infância. 2. ed. Tradução de Lia Gabriele Regius Reis. Revisão Técnica de Maria Leticia B. P. Nascimento. Porto Alegre: Artmed, 2011.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. As imagens na Educação Infantil: uma abordagem a partir da Cultura Visual. Zero-a-Seis. Florianópolis, n.19, jan./jul. 2009.

DRUMOND, José Cosme. Hibridismos nas decorações de ambiente escolares. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 30. Anais. Caxambu, 2007, p. 1-14.

ELALI, Gleice Azambuja. O ambiente da escola - o ambiente na escola: uma discussão sobre a relação escola-natureza em Educação Infantil. Estudos de Psicologia, v. 8, n. 2, p. 309-319, 2003.

EVANGELISTA, Ariadne de Sousa. O espaço na educação infantil: análise para a qualificação. 2014. 40f. Presidente Prudente. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Psicopedagogia) – Programa de Pós-Graduação, UNIVEL, 2014.

EVANGELISTA, Ariadne de Sousa. Concepções e expectativas de crianças e de profissionais sobre o espaço educacional na Educação Infantil. 2016. 264 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2016.

FORNEIRO, Lina Eglesias. A organização dos espaços na Educação Infantil. In: ZABALZA, M. A. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 1998. p. 229-281.

FOUCAULT, Michael. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 8. ed. Tradução de Ligia M. Pondé Vasallo. Petrópolis: Vozes, 1991.

FRAGO, Antonio Vrao; ESCOLANO, Austin. Currículo, espaço e subjetividade: a arquitetura como programa. Rio de Janeiro: DP&A, 1998.

GANDINI, Lella. Espaços educacionais e de envolvimento pessoal. In: EDWARDS, C.; GANDINI, L.; FORMAN, G. As cem linguagens da criança: A abordagem de Reggio Emilia na Educação da primeira infância. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999. p. 145-158.

HORN, Maria da Graça Souza. Sabores, cores, sons, aromas: a organização dos espaços na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

KISHIMOTO, Tisuko Morchida. Brinquedos e materiais pedagógicos nas escolas infantis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 27, n. 2, p. 229-245, jul./dez. 2001

KRAMER, Sonia; GUIMARÃES, Daniela. Nos espaços e objetos das creches: concepções de educação e práticas com as crianças de zero a três anos. Caderno de Pesquisa em Educação PPGE – UFES. v. 13, n. 16. Vitória, p. 9-45, jul./dez. 2007.

KRAMER, Sonia. (Org.) Com a pré-escola nas mãos: uma alternativa curricular para a Educação Infantil. 14. ed. São Paulo: Ática, 2009.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmaso Afonso de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MENEGHINI, Renata; CAMPOS-DE-CARVALHO, Maria Ignez. Arranjo espacial na creche: espaços para interagir, brincar isoladamente, dirigir-se socialmente e observar o outro. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.2, n. 16, p. 367-378, 2003.

OLIVEIRA, Chistiane. A organização do ambiente: um estudo com as professoras de Educação Infantil de Corupá. 2008. 122f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Educação) – Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2008.

OLIVEIRA, Zilma Moraes Ramos de. et al. (Org.). O trabalho do professor na Educação Infantil. São Paulo: Biruta, 2012.

RHEINGANTZ, Paulo Afonso et al. Observando a qualidade do lugar: procedimentos para a avaliação pós-ocupação. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Pós-Graduação em Arquitetura, 2009.

ROSSETTI-FERREIRA, Maria Clotilde et al. (Org.) Os fazeres na Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 1998.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Imaginário e culturas da infância. Cadernos de Educação, Pelotas, v. 12, n. 21, p. 51-69, 2003.

SARMENTO, Manuel Jacinto. Visibilidade social e estudo da infância. In: VASCONCELLOS, V. M. R.; SARMENTO, M. J. Infância (in)visível. Araraquara: Junqueira & Marin, 2007. p. 25-49.

SOUZA, Solange Jobim e; CASTRO, L.R. Pesquisando com crianças: subjetividade infantil, dialogismo e gênero discursivo. In: CRUZ, Silvia Helena Vieira (Org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008. p.52-78.

TIRIBA, Léa. Seres humanos e natureza nos espaços da Educação Infantil. Presença Pedagógica. v. 13, n. 76, p. 44-51, jul./ago. 2007.

TUAN, Yi-fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Tradução de Lívia de Oliveira. Londrina: EDUEL, 2012.

TUAN, Yi-fu. Espaço e Lugar: a perspectiva da experiência. Tradução de Lívia de Oliveira. Londrina: EDUEL, 2013.




DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n41p175

Zero-a-Seis, ISSN 1980-4512 Florianópolis, Brasil.