Docência compartilhada na Educação Infantil: construindo contrapontos no diálogo com a narrativa de uma experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1980-4512.2020v22n42p726

Palavras-chave:

Docência compartilhada, Professora de bebês, Estágio docente, Pesquisa narrativa, Experiência

Resumo

Este artigo tem por objetivo trazer elementos de reflexão sobre a importância da relação de parceria entre professora e estagiário no compartilhamento do trabalho docente realizado na educação de bebês, construindo contrapontos a partir da narrativa de uma experiência que se constituiu em uma creche universitária. Tais aspectos estão presentes na construção de quatro contrapontos, sendo eles: a experiência da docência compartilhada potencializa a ressignificação do trabalho pedagógico; a constituição do professor homem na educação infantil fortalecido na formação pelo e com o outro; o reconhecimento da infância como centralidade do trabalho pedagógico; e o encontro entre pares como espaço do diálogo possível na docência compartilhada. O estudo, de cunho narrativo, convida a ressignificar práticas a partir de relações dialéticas, que por sua vez são capazes de gerar transformações nos diferentes atores sociais.

Referências

ABRAMOWICZ, Anete. O direito das crianças à educação infantil. Pro-Posições. v.14, n. 3 (42) - set./dez. 2003.

BAKTHIN, Mikhail Mikhailovich. Estética da criação verbal. 4. ed. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; HORN, Maria da Graça Souza. Projetos Pedagógicos na Educação Infantil. Porto Alegre: Artmed, 2008.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas sobre a Experiência e o Saber de Experiência. Revista Brasileira de Educação. Campinas/SP, n.19, p.20-28, jan/fev/mar/abr. 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782002000100003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 31 Jan. 2020.

BUSS-SIMÃO, Márcia; ROCHA, Eloisa Acires Candal. Docência na educação infantil: uma análise das redes municipais no contexto catarinense. Revista Brasileira de Educação. Campinas/SP, v. 3. 2018. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782018230021>. Acesso em: 31 Jan. 2020.

CASTRO, Joselma Salazar de. A constituição da linguagem e as estratégias de comunicação dos e entre os bebês no contexto coletivo da educação infantil. [Dissertação de Mestrado] Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação - Florianópolis, SC, 2011.

DRUMOND, Viviane. Formação de Professoras e Professores de Educação Infantil: Por uma Pedagogia da Infância. Revista Zero-a-seis. v. 20, n. 38 p. 288-302| jul-dez 2018. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5007/1980-4512.2018v20n38p288> Acesso em 28 Jan. 2020.

FARIA, Ana Lúcia Goulart. O espaço físico nas instituições de educação infantil. In: Subsídios para credenciamento e funcionamento de instituições de educação infantil. VOL. II. Brasília, Maio de 1998. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002449.pdf>. Acesso em: 31 Jan. 2020.

FALK, Judit. (Org.). Abordagem Pikler - Educação Infantil. São Paulo, Omnisciência, 2016.

FERNANDES, Adriana Alves; VARANI, Adriana. Do trabalho coletivo docente: o conceito revisitado. Crítica Educativa, Sorocaba/SP, v. 3, n. 1, pp. 50-66, jan./jun. 2017.

FINCO, Daniela. Socialização de Gênero na Educação Infantil. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero 8: Corpo, Violência e Poder. Florianópolis, de 25 a 28 de agosto de 2008.

FRAUENDORF, Renata Barroso de Siqueira et al. Mais além de uma história: a narrativa como possibilidade de autoformação. Revista de Educação. PUC-Campinas, Campinas, 21(3): 351-361, set./dez., 2016. Disponível em:

<http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reveducacao/article/view/2908/2358> Acesso em: 22 abr. 2020.

GONÇALVES, Fernanda. A educação de bebês e crianças pequenas no contexto da creche: Uma análise da produção científica recente. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Florianópolis, SC, 2014.

LIMA, Maria Emília Caixeta de Castro; GERALDI, Corinta Maria Grisolia; GERALDI, João Wanderley. O trabalho com narrativas na investigação em educação. Educação em Revista, Belo Horizonte, v.31, n.1, p.17-44, Mar. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982015000100017&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 28 Jan. 2020.

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. In: PRIORE, Mary Del (org.); Carla Bassanezi (coord. de textos). História das mulheres no Brasil, 7. ed. – São Paulo: Contexto, 2004.

MALAGUZZI, Loris. Histórias, Ideias e Filosofia Básica. IN: EDWARDS, Carolyn (org.). As Cem Linguagens da Criança: A abordagem de Reggio Emília na Educação da Primeira Infância/Carolyn Edwards, Lella Gandini, George Forman; tradução Dayse Batista. Porto Alegre: Artmed, 1999.

PRADO, Patrícia Dias. Educação e cultura infantil em creche: um estudo sobre as brincadeiras de crianças pequenininhas em um CEMEI de Campinas/SP. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas – Faculdade de Educação. Campinas, 1998.

RODRIGUES, Silvia Maria Gasparini. Narrativas de uma professora de bebês: a prática pedagógica em foco. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação Escolar). Universidade Estadual de Campinas - Faculdade de Educação. Campinas, 2020.

TRISTÃO, Fernanda Carolina Dias. Ser professora de bebês: uma profissão marcada pela sutileza. Zero-a-Seis, Florianópolis, v. 6, n. 9, p. 1-14, jan. 2004. ISSN 1980-4512. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/9360>. Acesso em: 28 Jan. 2020.

Downloads

Publicado

2020-11-05