Ser professora de bebês: uma profissão marcada pela sutileza

Autores

  • Fernanda Carolina Dias Tristão Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Palavras-chave:

Infância, Educação Infantil, Educação da criança de 0 a 3 anos, Prática pedagógica em creches.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar algumas reflexões a respeito da educação de bebês em espaços coletivos, tomando como base uma pesquisa realizada em uma creche do município de Florianópolis/SC. Partindo da análise do material coletado neste berçário pude perceber que o trabalho pedagógico realizado com meninas e meninos pequenos está marcado pela sutileza das ações presentes nas relações entre professoras e crianças, que muitas vezes não são percebidas dentro da rotina diária, mas que são determinantes na caracterização dessa profissão. Esta sutileza está imbuída de uma complexidade que implica na percepção de cada uma das crianças, tendo como pano de fundo o papel da educação e das docentes para a humanização desses pequenos seres humanos.

Biografia do Autor

Fernanda Carolina Dias Tristão, Universidade Federal de Santa Catarina

Psicóloga, Mestre em Educação, Professora do Departamento de Metodologia do Ensino da Universidade Federal de Santa Catarina.

Downloads

Publicado

2004-01-01