Tornar-se fisiologista vegetal: potencialidades educacionais de uma controvérsia entre cientistas do século XIX sob o ponto de vista de Bruno Latour

Vanessa Cappelle, Francisco Ângelo Coutinho

Resumo


Nesse trabalho, analisamos uma controvérsia entre Charles Darwin e Julius Sachs a partir da perspectiva de Bruno Latour. As ideias desse autor a respeito da profissionalização dos cientistas, da literatura e das translações de interesses são apresentadas e discutidas. Os aportes metodológicos são desenvolvidos a partir das regras metodológicas para o estudo da ciência em ação. A reinterpretação desta controvérsia evidencia o esforço de Sachs para consolidar a Fisiologia Vegetal como área de estudos frente à comunidade acadêmica e a sociedade em geral. Em uma inscrição, sintetizamos as translações de interesse que indicam os actantes mobilizados a favor dessas alegações. Diante de sua idade avançada, Darwin reconheceu o poder do ataque a ele dirigido e se declarou incapaz de sustentar esse debate.  Com o intuito de fomentar a discussão, destacamos as potenciais contribuições do trabalho de Latour para o campo de pesquisa em Educação em Ciências.


Palavras-chave


teoria ator-rede; Charles Darwin; Julius von Sachs; educação em ciências

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1982-5153.2015v8n3p181

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.