Texto jornalístico sobre ciência: uma análise do discurso sobre a natureza da ciência

Autores

  • Danilo Cardoso Universidade de São Paulo
  • André Noronha Universidade de São Paulo
  • Graciella Watanabe Universidade de São Paulo
  • Ivã Gurgel Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2015v8n3p229

Palavras-chave:

análise do discurso, natureza da ciência, texto jornalístico

Resumo

A presente pesquisa busca utilizar alguns instrumentos metodológicos da área de Análise do Discurso para refletir sobre aspectos relacionados à Natureza da Ciência presentes em textos jornalísticos. Para isso, elegemos como principal referência metodológica a análise polifônica de Ducrot e analisamos artigos de divulgação científica que abordavam a detecção do Bóson de Higgs e cujo discurso foi produzido a partir de uma imagem ingênua do desenvolvimento científico. A partir da análise foi possível identificar que, de maneira subentendida, há uma imagem de ciência como um desvelar da realidade, como um empreendimento que alcança gradativamente as verdades da natureza. Apontamos que tais concepções relacionadas à Natureza da Ciência produzidas fora do ambiente escolar têm influência sobre os estudantes na produção de seus discursos sobre a Natureza da Ciência e, portanto, a análise dos discursos produzidos pelos jornalistas deve estar presente nas aulas de ciências. Elas permitem que os estudantes lidem, de maneira crítica, com uma possível tensão entre os discursos sobre ciência dentro e fora da escola.

Biografia do Autor

Danilo Cardoso, Universidade de São Paulo

É doutorando no Programa Interunidades em Ensino de Ciências pela Universidade de São Paulo. Possui interesse pela temática linguagem e ensino de física, em especial, dedica-se ao papel das narrativas na construção do conhecimento científico

André Noronha, Universidade de São Paulo

É doutorando no Programa Interunidades em Ensino de Ciências pela Universidade de São Paulo. Leciona no ensino superior no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Trabalha com História e Filosofia da Ciência, em especial, interessa-se pela temática da relatividade.

Graciella Watanabe, Universidade de São Paulo

É doutora em Ensino de Física pelo Programa Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo. Pesquisa na área de divulgação científica e sociologia da ciência, em especial, na abordagem de Pierre Bourdieu e a teoria de campos e capital cultural.

Ivã Gurgel, Universidade de São Paulo

É professor no Instituto de Física da Universidade de São Paulo. Atualmente dedica-se à pesquisa em epistemologia da ciência e teoria crítica de currículo. Orienta no Programa de Pós Graduação Interunidades em Ensino de Ciência na USP. 

Downloads

Publicado

2015-11-26

Edição

Seção

Artigos