Educação CTS e Educação Ambiental: ações na formação de professores

Autores

  • Roseline Beatriz Strieder Universidade de Brasília
  • Graciella Watanabe Universidade de São Paulo
  • Karolina Martins Almeida e Silva Universidade Federal do Tocantins – Campus Araguaína
  • Giselle Watanabe Universidade Federal do ABC

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2016v9n1p57

Palavras-chave:

Educação científica, CTS, Educação ambiental, Formação de professores

Resumo

Neste artigo são traçadas reflexões sobre a formação de professores de ciências no âmbito da Educação Ciência-Tecnologia-Sociedade (ECTS) e da Educação Ambiental (EA). Por um lado, a partir da análise da produção sobre ECTS e EA, discutem-se ações voltadas à formação de professores no que se refere tanto à natureza e contexto de desenvolvimento das mesmas, quanto aos elementos e/ou recomendações que têm sido enfatizados por pesquisadores. Por outro lado, são apresentados exemplos de propostas em desenvolvimento no contexto do Ensino de Ciências, em três universidades brasileiras: Universidade de Brasília (UnB), na Universidade Federal do ABC (UFABC) e na Universidade Federal do Tocantins - campus Universitário de Araguaína (UFT-Araguaína). À medida que são traçadas considerações sobre esses dois universos, da pesquisa e das universidades, discutem-se elementos para a formação de professores preocupados com o exercício crítico para a cidadania.

Biografia do Autor

Roseline Beatriz Strieder, Universidade de Brasília

É licenciada em Física pela Universidade Federal de Santa Maria, mestre e doutora pelo Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo. É professora do Instituto de Física e do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências da Universidade de Brasília, trabalhando nas linhas de pesquisa CTS, Abordagens Temáticas, Educação Científica e Cidadania.

Graciella Watanabe, Universidade de São Paulo

É licenciada em Física pela Universidade de São Paulo, mestre e doutora pelo Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo. Atualmente é mestranda em Educação e Tecnologias Digitais da Universidade de Lisboa. Trabalha com temáticas sobre cultura, questões sóciocientíficas e a sociologia da ciência de Pierre Bourdieu.

Karolina Martins Almeida e Silva, Universidade Federal do Tocantins – Campus Araguaína

É licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Goiás – Campus Jataí, mestre em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Goiás e doutoranda do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade de Brasília. É professora do curso de Licenciatura em Biologia da Universidade Federal do Tocantins – Campus Araguaína e coordenadora de área do PIBID-Biologia. Trabalha com pesquisas voltadas à Educação CTS e Questões Sociocientíficas.

Giselle Watanabe, Universidade Federal do ABC

É licenciada em Física pela Universidade de São Paulo, mestre e doutora Ciências/Ensino de Física pela Universidade de São Paulo, e pós-doutora pela Universidad de Sevilla. É docente na Universidade Federal do ABC, trabalhando nas linhas de pesquisa Ensino-aprendizagem em Ciências e Formação de Professores de Ciências, com a perspectiva da complexidade.

Downloads

Publicado

2016-05-25

Edição

Seção

Artigos