Formação de professores e ensino de química: reflexões a partir do livro Serões de Dona Benta de Monteiro Lobato e da pedagogia de Paulo Freire

Marcelo Pimentel da Silveira, João Zanetic

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2016v9n2p61

O trabalho discute a veia pedagógica de Monteiro Lobato, a partir da leitura da sua obra infantil, particularmente os Serões de Dona Benta, buscando identificar trechos onde apareciam abordagens específicas de conhecimentos químicos interpretados à luz da pedagogia de Paulo Freire, com destaque às noções de pedagogia da pergunta, curiosidade epistemológica e saberes necessários à formação de um professor crítico e reflexivo, na perspectiva de evidenciar as contribuições que as relações entre literatura e ciências podem trazer para o ensino da química. Nossa análise expõe que a ciência apresentada por Dona Benta exemplifica um professor que vai além de uma discussão estritamente centrada na especificidade da ciência ou dos conceitos químicos, por meio da pedagogia da pergunta, revelando que os Serões apresentam um potencial para problematizar questões a respeito da prática docente.  Dona Benta, por exemplo, deixa evidente que formar não é treinar; ensinar não é transferir conteúdos e utiliza o diálogo, a problematização e a curiosidade como opção metodológica.


Palavras-chave


Literatura; Curiosidade; Ensino de química; Pergunta

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5007/1982-5153.2016v9n2p61

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Alexandria: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1982-5153

Licença Creative Commons

Está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.