O altruísmo e a busca de sentido na motivação de alunos

Autores

  • Alcides Goya Universidade Tecnológica Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2019v12n2p195

Palavras-chave:

Modelos motivacionais, Motivação de alunos, Ensino de física, Busca de sentido, Altruísmo

Resumo

Nesta pesquisa busca-se uma alternativa para melhorar a motivação de alunos para aprender ciências conforme dois modelos motivacionais, pouco explorados no âmbito de ensino, especialmente no Brasil. O primeiro modelo considera três níveis de motivações: extrínsecas, intrínsecas e transcendentes. O segundo modelo analisa a pessoa em quatro dimensões. Ambos modelos apresentaram resultados positivos no contexto empresarial, foram testados em algumas instituições de ensino e possuem, em comum, dois traços centrais: a busca de sentido e o altruísmo. Os dados desta pesquisa foram coletados, sobretudo, por meio de dois questionários, aplicados a um grupo de 102 alunos de três áreas de Engenharia de uma faculdade pública. As análises dos resultados dão indícios de que a busca de sentido e o altruísmo, traços centrais dos dois modelos motivacionais, foram considerados relevantes pelos estudantes, que cursavam a disciplina de Física.

Biografia do Autor

Alcides Goya, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, câmpus Londrina, e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Humanas, Sociais e da Natureza. Possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1981), pós-graduação em Astrofísica pela Universidade de São Paulo (1984), mestrado em Física pela Universidade de Brasília (1994), doutorado em Física pela Universidade de Brasília (2002) e pós-doutorado em Ensino de Física pela Universidade Estadual de Londrina (2013). Desenvolve pesquisa na área de ensino de ciências da natureza.

Referências

AMES, C. Classrooms: Goals, structures, and student motivation. Journal of Education Psychology, v. 84, n.3, p. 261-271, 1992.

ANDERSEN, S.M.; CHEN, S.; CARTER, C. Fundamental human needs: Making social cognition relevant. Psychological Inquiry, v. 11, n.4, p. 269-318, 2000.

ANGOTTI, J. A.P. Fragmentos e Totalidades no conhecimento científico e no ensino de ciências. Tese de doutorado, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 1991.

ATKINSON, J.W. Motivational determinants of risk-taking behavior. Psychological Review, v. 64, p 359-72, 1957.

BARBETTA, P.A. Estatística aplicada às ciências sociais. Florianópolis: Editora da UFSC, 2012.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BOGDAN, R., BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Porto: Editora Porto, 1994.

BORGES, A.T. Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. 3, p. 291-313, 2002.

BRAGA, M.; GUERRA, A.; REIS, J.C. Breve história da ciência moderna vol.1: Convergência de saberes (Idade Média). Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

BROPHY, J. Conceptualizing student motivation. Educational Psychologist, v. 18, n.3, p. 200-15, 1983.

BZUNECK, J. A. A Motivação do Aluno: A motivação do aluno orientado a metas de realização. In: BORUCHOVITCH, E.; BZUNECK, J. A (orgs). A Motivação do Aluno: Contribuições da Psicologia Contemporânea. Petrópolis: Vozes, 2004. p. 58-77

CARRASCO, J. B.; BAIGNOL, J.B. Técnicas y recursos para motivar a los alumnos. Madrid: Rialp, 2000.

CLEMENT, L.; CUSTÓDIO, J. F.; RUFINI, S. E.; ALVES FILHO, J. de P. Motivação Autônoma de Estudantes de Física: Evidências de Validade de uma Escala. Psicologia Escolar e Educacional (Impresso), v. 18, n. 1, p. 45-56, 2014.

CLEMENT, L.; CUSTÓDIO, J. F.; ALVES FILHO, J. de P. Potencialidades do Ensino por Investigação para Promoção da Motivação Autônoma na Educação Científica. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.8, n.1, p. 101-129, 2015.

CNE/CEB Nº:7/2010. Publicado no D.O.U. de 9/7/2010, Seção 1, Pág.10. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=5367-pceb007-10&Itemid=30192. Último acesso em 09/05/2018.

COVEY, S. R. O 8º Hábito: da eficácia à grandeza. Rio de Janeiro: Campus, 2005.

COVEY, S. R. Leading in the knowledge worker age. Leader to leader, v. 2006, n. 41, p. 11-15, 2006. Disponível em: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/ltl.184/full. Último acesso em: 28/05/2018.

COVEY, S. R. A school for leadership: at leadership-themed schools, students learn the key habits they need to succeed. Educational Leadership, v. 67, n. 2, p. 61-66, 2009.

COVEY, S. R. Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes. Rio de Janeiro: Best Seller, 2014.

COVEY, S. R. A terceira alternativa: resolvendo os problemas mais difíceis da vida. Rio de Janeiro: Best Seller, 2015.

DE VOLDER, M. L.; LENS, W. Academic achievement and future time perspective as a cognitive-motivational concept. Journal of Educational Psychology, v. 42, n.3, p. 566-571, 1982.

DECI, E.L.; RYAN, R. M. The “what” and “why” of goal pursuits: Human needs and self-determination of behavior. Psychological Inquiry, v. 11, n. 4, p 227-268, 2000.

DECI, E.L.; RYAN, R. M. Facilitating optimal motivation and psychological well-being across life´s domains. Canadian Psychology, v. 49, n. 1, p. 12-23, 2007.

FRANKL, V. E. The concept of Man in Psychotherapy. Proceedings of the Royal Society of Medicine, v. 47 n. 11, p. 975-980, 1954. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1918996/. Último acesso em: 28/05/2018.

FRANKL, V. E. Psicoterapia e Sentido da vida. São Paulo: Quadrante, 1989a.

FRANKL, V. E. Um sentido para a vida: psicoterapia e humanismo. Aparecida: Santuário, 1989b.

FRANKL, V. E. O sofrimento de uma vida sem sentido: caminhos para encontrar a razão de viver. São Paulo: Realizações, 2015.

GALIAZZI, M.C.; ROCHA, J.M.B; SCHMITZ, L.C.; SOUZA, M.L.; GIESTA, S.; GONÇALVES, F.P. Objetivos das atividades experimentais no Ensino Médio: a pesquisa coletiva como modo de formação de professores de Ciências. Ciência & Educação, Bauru, v.7, n.2, p. 249-263, 2001.

GAVIOLI, E. S. A motivação humana sob a perspectiva do pensamento complexo. In: XX SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 2013, Bauru. Disponível em: http://www.researchgate.net/publication/263927246. Ultimo acesso em: 27/05/2018.

GOLEMAN, D. The Emotional Intelligence of leaders. Leader to leader, v. 1998(10), p. 20-26, 1998.

GUIMARÃES, S.E.R; BORUCHOVITCH, E. O Estilo Motivacional do Professor e a Motivação Intrínseca dos Estudantes: Uma Perspectiva da Teoria da Autodeterminação. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 7, n 2, p.143-150, 2004.

HUSMAN, J.; LENS, W. The Role of the future in student motivation. Educational Psychologist, v. 34, n.2, p. 113-125, 1999.

KOZUKI, M.B.O. Metas futuras como fonte motivacional de adolescentes e jovens para aprender. Dissertação de mestrado em Educação - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

LABURÚ, C.A.; MAMPRIN, M.I.L.L.; SALVADEGO, W. N. C. Professor das ciências naturais e a prática de atividades experimentais no ensino médio: uma análise segundo Charlot. Londrina: Eduel, 2011.

LORENZ, K. The comparative method in studying innate behavior patterns Symposia of the Society for Experimental Biology 4 (Physiological Mechanisms in Animal Behavior): 221-254, 1950. Disponível em: http://klha.at/papers/1950-InnateBehavior.pdf. Último acesso em: 13/01/2018.

MALKA, A.; COVINGTON, M. V. Perceiving school performance as instrumental to future goal attainment: Effects on graded performance. Contemporary Educational Psychology, v. 30, n. 1, p. 60-80, 2005.

MASLOW, A.H. Motivation and personality. New York: Harper e Row, 1954.

MATTHEWS, M.R. História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 12, n. 3,: p. 164-214, 1995.

MAYER, J. D.; SALOVEY, P.; CARUSO, D. R. Emotional Intelligence: Theory, Findings, and Implications. Psychological Inquiry, v. 15, n.3, p. 197-215, 2004.

McGREGOR, D. The Human Side of Enterprise. New York: McGraw Hill, 1960.

McGREGOR, D. Leadership and Motivation. Cambridge: The M.L.T. Press, 1966.

NIETZSCHE, F. El Ocaso de los Ídolos. Proyecto Espartaco 2000 – 2002, n.12, pg 4, 2002. Disponível em: http://juango.es/files/El-Ocaso-de-los-Idolos.pdf. Último acesso em: 24/01/2018.

PAIVA, F. F.; BARBATO, D. M. L.; PAIVA, F. M. L. M.; JOÃO, H. A.; MUNIZ, S. R. Orientações motivacionais de alunos do ensino médio para física: considerações psicométricas. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 40, n. 3, e3404, 2018.

PÉREZ LOPEZ, J. A. Fundamentos da Direcção de Empresas. Lisboa: AESE, 1996.

PUIG, M.L.; CASACUBERTA, G.G. Elegir ensenar: propuesta del modelo antropológico de la motivación de Pérez López aplicada al ámbito de la educación. Estudios sobre educación, v. 24, p. 125-147, 2013.

RESENDE, F.; OSTERMANN, F. O protagonismo controverso dos mestrados profissionais em ensino de ciências. Ciência & Educação (online), v. 21, n. 3, p. 543-558, 2015.

SENKO, C.; HULLEMAN, C.S. The role of goal attainement expectations in achievement goal pursuit. Journal of Educational Psychology, v. 105, n. 2, p. 504-521, 2013.

WATT, H. M. G.; RICHARDSON, P.W. Motivational Factors Influencing Teaching as a Career Choice: Development and Validation of the FIT-Choice Scale. The journal of experimental education, v. 75, n.3, p. 167-202, 2007.

YEAGER, D. S.; BUNDICK, M. J.; JOHNSON, R. The role of future work goal motives in adolescent indentity development: A longitudinal mixed-methods investigation. Contemporary Educational Psychology, v. 37, n.3, p. 206-217, 2012.

ZANETIC, J. Física e Arte: uma ponte entre duas culturas. Pro-Posições (Unicamp), v. 17, n. 1, p. 39-58, 2006.

Downloads

Publicado

2019-11-29

Edição

Seção

Artigos