A perspectiva sócio-histórica de Vygotsky e suas relações com a prática da experimentação no ensino de Química

Autores

  • Jane Raquel Silva de Oliveira

Palavras-chave:

Atividades experimentais, Ensino de química, Teoria sócio-histórica, Vygotsky

Resumo

Este trabalho discute algumas relações entre a teoria sócio-histórica de Vygotsky e as atividades experimentais no ensino de química, tais como a relação entre a afetividade e a aprendizagem, o papel da linguagem e do uso dos instrumentos na organização do pensamento, a importância dos problemas em sala de aula, as relações entre significado e sentido e entre conceitos científicos e cotidianos, a formação de pseudoconceitos, e as interações dos alunos em sala de aula com o professor e com os demais colegas. A análise
de tais aspectos demonstrou que as atividades experimentais devem propiciar aos estudantes mais que a abordagem fenomenológica do conhecimento químico. Estas devem ser um espaço para a (re)construção do conhecimento químico, para a internalização dos conceitos científicos, com e pela linguagem, e principalmente para estímulo às interações sociais nesse processo.

Biografia do Autor

Jane Raquel Silva de Oliveira

bacharel em Farmácia-Bioquímica pela Universidade Federal do Maranhão. Mestre em Química pelo Instituto de Química de São Carlos da Universidade de São Paulo (IQSC/USP), no qual desenvolveu pesquisas na área de Educação Química com ênfase em linguagem científica. Autora de artigos em periódicos nacionais e internacionais da área de ensino de ciências e do livro Comunicação e Linguagem Científica: guia para estudantes de química (2007, Editora Átomo).

Downloads

Publicado

2010-11-01

Edição

Seção

Artigos