Práticas docentes pós-formação pelo programa PDE de matemática

Autores

  • Fábio Alexandre Borges Universidade Estadual do Paraná
  • Talita Secorun dos Santos Universidade Estadual do Paraná
  • Amauri Jersi Ceolim Universidade Estadual do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2020v13n2p167

Palavras-chave:

Formação docente continuada, Programa de Desenvolvimento Educacional, Professores de Matemática.

Resumo

O Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE) configura-se como uma política pública de formação continuada para os professores da rede pública estadual paranaense, promovendo parceria entre a Educação Básica e o Ensino Superior. Tal programa contempla todas as áreas de atuação, sendo que, no presente artigo, nosso enfoque foram professores de Matemática. No presente texto, objetivou-se investigar as percepções de professores de Matemática acerca de sua prática docente anterior e posterior à sua participação no PDE. Na coleta de dados, foi utilizada uma entrevista semiestruturada aplicada a 5 (cinco) professoras de Matemática, todas elas tendo cursado o PDE em parceria com a Universidade Estadual do Paraná, Campus de Campo Mourão. Para a análise dos dados, recorreu-se a elementos da Análise Textual Discursiva, de Roque Moraes. Como delineamento teórico, foram utilizadas tanto a Teoria da Atividade quanto pesquisas que enfocaram o papel da formação inicial e continuada do professor de Matemática. Nos resultados, destacam-se cinco categorias, quais sejam: 1. Movimento dos motivos; 2. Olhares críticos; 3. Novos aprendizados; 4. Movimentos na prática; 5. O indivíduo na coletividade.

Biografia do Autor

Fábio Alexandre Borges, Universidade Estadual do Paraná

Possui Doutorado em Educação para a Ciência e a Matemática pela Universidade Estadual de Maringá (2013) e Pós-doutorado pelo Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática da Universidade Estadual de Londrina (2019). Docente da Universidade Estadual do Paraná-Campus de Campo Mourão, atuando no Mestrado em Ensino: Formação Docente Interdisciplinar (PPIFOR) - Campus de Paranavaí e Programa de Pós-graduação em Educação Matemática (PRPGEM). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Surdez e Educação Matemática.

Talita Secorun dos Santos, Universidade Estadual do Paraná

Possui Doutorado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos. Docente da Universidade Estadual do Paraná-Campus de Campo Mourão, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Matemática, geometrias não-euclidianas, geogebra, ensino de geometria e formação de professores.

Amauri Jersi Ceolim, Universidade Estadual do Paraná

Doutor em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2015). Docente da Universidade Estadual do Paraná-Campus de Campo Mourão. Tem experiência na área de Educação Matemática, na Formação continuada de professores da Educação Básica, atuando principalmente com a Modelagem na Educação Matemática.

Referências

CARVALHO, A. M. P.; PEREZ, D. G. O saber e o saber fazer dos professores. In: CASTRO, A. D.; CARVALHO, A. M. P. (Orgs.). Ensinar a ensinar: didática para a escola fundamental e média. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001, p. 107-124.

FIORENTINI, D.; OLIVEIRA, A. T. C. C. O Lugar das Matemáticas na Licenciatura em Matemática: que matemáticas e que práticas formativas? Bolema, v. 27, n. 47, p. 917-938, dez. 2013.

FIORIN, R. Investigação da proposta de implementação do Programa de Desenvolvimento Educacional (PDE) no estado do Paraná: aspectos positivos e negativos. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática), Universidade Estadual de Londrina. Londrina, 154p., 2009.

GRILLO, M. C. Prática docente: referência para formação do educador. In: Helena Noronha Cury. (Org.). Formação de Professores de Matemática - Uma Visão Multifacetada. Porto Alegre: Edipucrs, 2001, v. 01, p. 29-47.

JACOMINI, M. A.; PENNA, M. G. O. Carreira docente e valorização do magistério: condições de trabalho e desenvolvimento profissional. Pro-Posições, v.27, n.2, p.177-202, 2016.

LEONTIEV, A. N.; VIGOSTSKY, L. S.; LURIA, A. R. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 10. ed. São Paulo: Ícone, 2006.

MANZINI, E. J. A entrevista na pesquisa social. Didática, São Paulo, v. 26/27, p.149-158, 1990/1991.

MIZUKAMI, M. G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, v. 9, n. 2, p.191-211, 2003.

MORETTI, V. D.; MOURA, M. O. O sentido em movimento na formação de professores de matemática. Zetetiké, Campinas, v. 18, n. 34, p.155-180, 2010.

MOURA, M. O. et al. A atividade orientadora de ensino como unidade entre o ensino e aprendizagem. In: MOURA, M. O. (org.). A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília: Liber Livro, 2010.

NESI, E. R.; ZANELLA, J. L. PDE/PR: os limites e as possibilidades de uma formação teórico-metodológica do professor de matemática em um programa de formação continuada. Educação Matemática Pesquisa, v. 18, n. 2, p. 975-987, 2016.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Programa de Desenvolvimento Educacional - PDE. Documento-Síntese: Uma Nova Política de Formação Continuada e Valorização dos Professores da Educação Básica da Rede Pública Estadual. Curitiba: SEED, 2009.

PARANÁ. Casa Civil. Lei Complementar nº 103 de 15 de março de 2004. Institui e dispõe sobre o Plano de Carreira do Professor da Rede Estadual de Educação Básica do Paraná e adota outras providências. 2004. Disponível em: http://www.legislacao.pr.gov.br/legislacao/pesquisarAto.do?action=exibir&codAto=7470&indice=1&totalRegistros=1. Acesso em: 25 de maio de 2017.

PARANÁ. Casa Civil. Lei Complementar nº 130 de 14 de junho de 2010. Regulamenta o Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE. 2010. Disponível em: http://www.legislacao.pr.gov.br/legislacao/pesquisarAto.do?action=exibir&codAto=56184&indice=1&totalRegistros=2. Acesso em: 25 de maio de 2016.

PÓLYA, G. Como resolver problemas (Tradução do original inglês de 1945). Lisboa: Gradiva, 2003.

SILVA, A. F. G.; SERRAZINA, M. L.; CAMPOS, T. M. M. Formação Continuada de Professores que Lecionam Matemática: desenvolvendo a prática reflexiva docente. Bolema, Rio Claro (SP), v. 28, n. 50, p. 1505-1524, dez. 2014.

Arquivos adicionais

Publicado

2020-11-25

Edição

Seção

Artigos