Contribuições para o debate em torno dos aspectos consensuais em natureza da ciência a partir da teoria da atividade cultural-histórica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1982-5153.2021.e75663

Palavras-chave:

Teoria da atividade cultural-histórica, Educação em Ciências, Natureza da ciência, Aspectos consensuais

Resumo

A relevância da discussão sobre Natureza da Ciência na Educação em Ciências tem sido apontada nos últimos anos e diversas têm sido as abordagens que tomam a construção do conhecimento científico como objeto educacional. No presente artigo trazemos contribuições para o debate em torno daquela abordagem que ficou conhecida como a dos aspectos consensuais. Fazemos por meio da Teoria da Atividade Cultural-Histórica, apontando, que o caráter contraditório e contencioso é o que move a atividade humana, e, consequentemente, a produção do conhecimento científico. Nesse sentido, uma exagerada ênfase nos consensos, e não no contraditório, pouco contribuiria para promover, na Educação em Ciências, uma análise crítica da ciência e da sociedade na qual está inserida.

Biografia do Autor

João Otavio Garcia, Universidade Federal de Santa Catarina

Licenciado em Ciências da Natureza com Habilitação em Física pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) Câmpus Jaraguá do Sul (2016) e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) (2020). Membro do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar CEUCI (CNPq) do Centro de Ciências da Educação (CED/UFSC) nas linhas de pesquisa de Epistemologias e Educação e Filosofias e Ciências. Possui interesse de pesquisa em Natureza da Ciência, Teoria da Atividade Cultural-Histórica e Filosofia da Educação em Ciências.

Juliano Camillo, Universidade Federal de Santa Catarina

Licenciado em Física pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) (2007), Mestre (2011) e Doutor (2015) pelo Programa de Pós-Graduação Interunidades em Ensino de Ciências - Modalidade Física da Universidade de São Paulo (USP). Atualmente professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no Departamento de Metodologia de Ensino (MEN) e do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT/UFSC). Líder do Grupo de Pesquisa CEUCI (CNPq) e integrante do Grupo ECCo (CNPq). Possui interesse de pesquisa em Linguagem e Cognição, Teoria da Atividade, Educação em Ciências e Desenvolvimento Humano e Filosofia da Educação em Ciências.

Referências

ACEVEDO, J.A.; VÁZQUEZ, A.; PAIXÃO, M. F.; ACEVEDO, P.; OLIVA, J. M.; MANASSERO, M. A. Mitos da didática das ciências acerca dos motivos para incluir a Natureza da Ciência no ensino das ciências. Ciência & Educação, v. 11, n. 1, p. 1-15, 2005.

ALFAYA-SANTOS, J. V.; ROSA, M. D.; HOFFMANN, M. B. Concepções acerca da natureza da ciência e da ética científica em estudantes e egresso de um curso de Ciências Biológicas. Ensino de Ciências e Tecnologia em Revista, v. 8, n. 1, p. 43-58, 2018.

ALLCHIN, D. Should the Sociology of Science be Rated X? Science Education, v. 88, n. 6, p. 934-946, 2004.

ALLCHIN, D. Beyond the consensus view: Whole Science. Canadian Journal of Science, Mathematics and Technology Education, v. 17, n. 1, p. 18-26, 2017.

ARIEVITCH, I. M.; STETSENKO, A. The “magic of signs”: developmental trajectory of cultural mediation. In: YASNITSKY, A.; VAN DER VEER, R.; FERRARI, M. (Orgs.) The Cambridge Handbook of Cultural-Historical Psychology, Cambridge University Press, 2014. p. 217–244.

ARTHURY, L. H. M. O ensino da Natureza da Ciência na escola por meio de um material didático sobre a gravitação. Tese de doutorado em Educação Científica e Tecnológica – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

AZEVEDO, N. H.; SCARPA, D. L. Decisões envolvidas na elaboração e validação de um questionário contextualizado sobre concepções de Natureza Da Ciência. Investigações em Ensino de Ciências, v. 22, n. 2, p. 57-82, 2017.

CACHAPUZ, A.; GIL PÉREZ, D;, CARVALHO, A. M.; VILCHES, A. A Necessária Renovação do Ensino das Ciências. São Paulo: Cortez Editora, 2005.

CAMILLO, J.; MATTOS, C. Educação em Ciências e a Teoria da Atividade Cultural-Histórica: contribuições para a reflexão sobre tensões na prática educativa. Revista Ensaio - Pesquisa em Educação em Ciências, v. 16, n. 1, 2014.

CAMILLO, J. Contribuições iniciais para uma filosofia da Educação em Ciências. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação, Instituto de Física, Instituto de Química e Instituto de Biociências, 2015.

CAMILLO, J. On the Possibility of Authorship in Science Education. In: BAZZUL, J.; SIRY, C. (Org.). Critical Voices in Science Education Research: Narratives of Hope and Struggle. Cultural Studies of Science Education, v. 17, Springer, 2019.

CAMILLO, J.; MATTOS, C. Ensaio sobre as relações entre Educação, Ciência e Sociedade a partir da perspectiva do desenvolvimento humano. Linhas Críticas, v. 25, p. 94-123, 2019.

COFRÉ, H.; NÚÑEZ, P.; SANTIBÁÑEZ, D.; PAVEZ, J. M.; VALENCIA, M.; VERGARA, C. A Critical Review of Students’ and Teachers’ Understandings of Nature of Science. Science & Education, v. 28, p. 205-248, 2019.

DAMASIO, F; PEDUZZI, L. O. Q. História e Filosofia da Ciência na educação científica: para quê? Revista Ensaio - Pesquisa em Educação em Ciências, v.19, 2017.

DELIZOICOV, N.C; DELIZOICOV, D. História da Ciência e a Ação Docente: a perspectiva de Ludwik Fleck. In: PEDUZZI, L. O. Q.; MARTINS, A. F. P.; FERREIRA, J. H. M. (Org.). Temas de História e Filosofia da Ciência no Ensino. Editora da UFRN: Natal, Rio Grande do Norte, 1ª ed, 2012. p. 229-260.

DUARTE, N. Formação do indivíduo, consciência e alienação: o ser humano na psicologia de A. N. Leontiev. Caderno Cedes, v. 24, n. 62, p. 44-63, 2004.

DUARTE, N. Crítica ao Fetichismo da Individualidade. Campinas: Autores Associados, 2012.

ERDURAN, S. Revisiting the Nature of Science in science education: Towards a holistic account of science in science teaching and learning. Proceedings of the Frontiers in Mathematics and Science Education Research Conference, p. 14-25, 2014.

ERDURAN, S; KAYA, E.; DAGHER, Z. R. From lists in pieces to coherent wholes: Nature of Science, scientific practices, and science teacher education. In: YEO, J.; TEO, T. W.; TANG, K.-S. (Org.) Science Education Research and Practice in Asia-Pacific and Beyond. Springer Nature, Singapore, 2018. p. 3-24.

ENGESTRÖM, Y. Expansive Learning at Work: toward an activity theoretical reconceptualization. Journal of Education and Work, v. 14, n. 1, P. 133-156, 2001.

FERNÁNDEZ, I.; GIL-PÉREZ, D.; CARRASCOSA, J.; CACHAPUZ, A.; PRAIA J. Visiones deformadas de la ciência transmitidas por la enseñanza. Enseñanza de las Ciencias, v. 20, n. 3, p. 477-488, 2002.

GARCIA, J. O. A imaginação como recurso heurístico na construção do conhecimento científico e algumas implicações para o ensino de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 36, n. 3, p. 660-674, 2019.

GIL-PÉREZ, D.; MONTORO, I. F.; ALÍS, J. C.; CACHAPUZ, A.; PRAIA, J. Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Revista Ciência e Educação, v. 7, n. 2, p. 125-153, 2001.

HARRES, J. B. S. Uma revisão de pesquisas nas concepções de professores sobre a natureza da ciência e suas implicações para o ensino. Investigações em Ciências, v. 4, n. 3, p. 197-211, 1999.

HODSON, D. Nature of Science in the Science Curriculum: Origin, Development, Implications and Shifting Emphases. In: MATTHEWS, M. R. (Org.). International Handbook of Research in History, Philosophy and Science Teaching. Springer, 2014. p. 911-970.

HODSON, D.; WONG, S. L. Going Beyond the Consensus View: Broadening and Enriching the Scope of NOS-Oriented Curricula. Canadian Journal of Science, Mathematics and Technology Education, v. 17, n. 1, p. 3-17, 2017.

HÖTTECKE, D.; SILVA, C. C. Why Implementing History and Philosophy in School Science Education is a Challenge: An Analysis of Obstacles. Science and Education, v. 20, n. 3, p. 293-316, 2011.

IRZIK, G.; NOLA, R. A family resemblance approach to the nature of science for science education. Science & Education, v. 20, p. 591-607, 2011.

JORGE, L.; PEDUZZI, L. O. Q. A exemplificação da não neutralidade da observação científica por meio dos desenhos lunares retratados no século XVII. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 11, n. 2, p. 179-200, 2018.

KAMPOURAKIS, K. The “general aspects” conceptualization as a pragmatic and effective means to introducing students to Nature of Science. Journal of Research in Science Teaching, v. 35, n. 5, p. 667-682, 2016.

KINCHELOE, J. L.; TOBIN, K. The much exaggerated death of positivism. Cultural Studies of Science Education, v. 4, n. 3, p. 513-528, 2009.

KÖHNLEIN, J.; PEDUZZI, L. O. Q. Uma discussão sobre a natureza da ciência no ensino médio: um exemplo com a teoria da relatividade restrita. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 22, n. 1, p. 36-70, 2005.

McCOMAS, W. F.; ALMAZROA, H.; CLOUGH, M. P. The Nature of Science in Science Education: An Introduction. Science & Education, v. 7, n. 6, p. 511-532, 1998.

MARTINS, A. F. P. Natureza da Ciência no ensino de ciências: uma proposta baseada em “temas” e “questões”. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 32, n. 3, p. 703-737, 2015.

MATTHEWS, M. R. História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 12, n. 3, p.164-214, 1995.

MATTHEWS, M. R. Teaching the Philosophical and Worldview Components of Science: Some Considerations. In: KOKKOTAS, P. V.; MALAMITSA, K. S.; RIZAKI, A. A. Adapting Historical Knowledge Production to the Classroom. National and Kapodistrian University of Athens, Greece, Sense Publishers, 2011. p. 3-16.

MATTHEWS, M. R. Changing the Focus: From Nature of Science (NOS) to Features of Science (FOS). In: KHINE, M. S. (Org). Advance in Nature of Science Research: Concepts and Methodologies. Springer, 2012. p. 3-26.

MOURA, B. A. O que é Natureza da Ciência e qual sua relação com a História e Filosofia da Ciência? Revista Brasileira de História da Ciência, v. 7, n. 1, p. 32-46, 2014.

OSBORNE, J.; COLLINS, S.; RATCLIFFE, M.; MILLAR, R.; DUSCHL, R. What “Ideas-about-Science” Should be Taught in School Science? A Delphi Study of the Expert Community. Journal of Research in Science Teaching, v. 40, n. 7, p. 692-720, 2003.

PEDUZZI L. O.; RAICIK, A. C. Sobre a natureza da ciência: asserções comentadas para uma articulação com a história da ciência. Abril, 2019, 57 p. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: www.evolucaodosconceitosdafisica.ufsc.br

PEDUZZI, L. O. Q.; SILVEIRA, F. L. Três episódios da descoberta científica: da caricatura empirista a uma outra história. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 23, n. 1, p. 26-52, 2006.

PRAIA, J.; GIL-PÉREZ, D.; VILCHES, A. O papel da Natureza da Ciência na educação para a cidadania. Ciência & Educação (Bauru), v. 13, n. 2, 141-156, 2007.

RAICIK, A. C.; ANGOTTI, J. A. P. A Escolha Teórica em Controvérsias Científicas: Valores e seus juízos à luz de Concepções Kuhnianas. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v. 12, n. 1, p. 331-349, 2019.

RODRIGUES, A. M.; CAMILLO, J.; MATTOS, C. R. Cultural-Historical Activity Theory and Science Education: Foundational Principals and Potentialities. In: VII IOSTE Symposium for Central and Eastern Europe, 2011, Riga. Latvia: University of Latvia, v. 778, p. 191-200, 2011.

ROCHA, M. N.; GURGEL, I. Descriptive Understandings of the Nature of Science: Examining the Consensual and Family Resemblance approaches. Interchange, v. 48, p. 403-429, 2017.

STETSENKO, A. Activity as Object-Related: Resolving the Dichotomy of Individual and Collective Planes of Activity. Mind, Culture and Activity, v. 1, n.12, p. 70-88, 2005.

STETSENKO, A. From relational ontology to transformative activist stance: Expanding Vygosky’s (CHAT) project. Cultural Studies of Science Education, v. 3, n. 2, p. 471-491, 2008.

TEIXEIRA, E. S.; GRECA, I. M.; FREIRE JR, O. Uma revisão sistemática das pesquisas publicadas no Brasil sobre o uso didático de história e filosofia da ciência no ensino de física. In: PEDUZZI, L. O. Q.; MARTINS, A. F. P.; FERREIRA, J. M. H. (Orgs.) Temas de História e Filosofia da Ciência no Ensino. Editora da UFRN: Natal, Rio Grande do Norte, 1ª ed, 2012. p. 9-40.

TABER, K. S. Knowledge, beliefs and pedagogy: how the Nature of Science should inform the aims of science education (and not just when teaching evolution). Cultural Studies of Science Education, v. 12, n. 1, p. 81-91, 2017.

VILLACAÑAS DE CASTRO, L. S. Critical Pedagogy and Marx, Vygotksy and Freire: Phenomenal Forms and Educational Action Research. Palgrave Macmillan, New York, 2018.

ZEMPLÉN, G. Á. History of science and argumentation in science education: join forces? In: KOKKOTAS, P. V.; MALAMITSA, K. S.; RIZAKI, A. A. Adapting Historical Knowledge Production to the Classroom. National and Kapodistrian University of Athens, Greece, Sense Publishers, 2011. p. 129-140.

Arquivos adicionais

Publicado

2021-11-16

Edição

Seção

Artigos