A reconfiguração da identidade cultural em Precisamos de Novos Nomes, Noviolet Bulawayo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8026.2019v72n1p145

Palavras-chave:

Imigração, Identidade, Aculturação

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar a reconfiguração da identidade cultural da protagonista de Precisamos de novos nomes, de Noviolet Bulawayo. Nesse romance de formação, a autora narra a história de Darling, desde a sua infância, em Harare, no Zimbábue, até tornar-se adulta, na condição de imigrante nos Estados Unidos.  O romance tem como pano de fundo a crise econômica, política e social que assolou o país no período pós-independência, agravada pela disseminação da AIDs. Como muitos compatriotas, a protagonista constrói uma imagem utópica da América, que, anos mais tarde, se desfaz ante as dificuldades enfrentadas pelos imigrantes em solo americano.

Biografia do Autor

Shirley de Souza Gomes Carreira, UERJ- Departamento de Letras- FFP

Doutora em Literatura Comparada. Professora Adjunta de Literaturas de Língua Inglesa da UERJ.

Referências

ADATIYA, CHIRAG, R. Chapter- 2 The Origin and Development of Bildungsroman Novels. In: CHIRAG, R. Adatiya. A study of Sudhindra Nath Ghose’s tetralogy of novels as bildungsroman. Gujarat: 2016. p. 39-64. Disponível em: http://shodhganga.inflibnet.ac.in/handle/10603/125836. Acesso em: 02 maio 2018.

AUGÉ, Marc. Não-lugares: introdução a uma antropologia da sobremodernidade. Trad. Lúcia Mucznik, Bertrand Editora, 1994.

BERRY, J. W. Migração, Aculturação e Adaptação. In: Psicologia, E/Imigração e Cultura. SP: Casa do Psicólogo, 2004, p.29-45.

BULAWAYO, Noviolet. Precisamos de novos nomes. Trad. Adriana Lisboa. São Paulo: Biblioteca Azul, 2014.

______. Zimbabwean author NoViolet Bulawayo: 'I like to write from the bone'. [15 jul 2015]. Entrevista concedida a Sabine Peschel. Disponível em: https://www.dw.com/en/ zimbabwean-author-noviolet-bulawayo-i-like-to-write-from-the-bone/a-18572543 Acesso em: 12 mai. 2018.

CANCLINI, Néstor G. Diferentes, desiguais e desconectados. Rio de Janeiro: Editora da URFJ, 2007.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mille plateaux: Capitalisme et schizophrénie 2. Paris: Minuit, 1980.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. SP: DP&A Editora, 2003.

HARTSELLE, Christian (2015) Interview with NoViolet Bulawayo. Manuscripts: v. 80, n. 1, Art. 53. Disponível em: <https://digitalcommons.butler.edu/manuscripts/ vol80/iss1/53/> Acesso em 05 de jun. 2018.

NGOSHI, Hazel T. Carnivalising Postcolonial Zimbabwe: The Vulgar and Grotesque Logic of Postcolonial Protest in NoViolet Bulawayo's We Need New Names, UK, Journal of Literary Studies, V. 32, p. 53-69, 2016.

RUSHDIE, Salman. Imaginary Homelands. Essays and criticism 1981-1991.Londres: Granta Books, 1991.

SAID, Edward. Reflexões sobre exílio e outros ensaios. Trad. Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SPIVAK, Gayatri C. Pode o subalterno falar? Trad. Sandra Regina Goulart de Almeida, Marcos P. Feitosa, André P. Feitosa. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010.

Downloads

Publicado

2019-02-01