(Re)pensando o conceito de tradução indireta em obras literárias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8026.2019v72n2p9

Palavras-chave:

Tradução Indireta, Tradução Literária, Teoria da Tradução

Resumo

Apesar da recente expansão e consolidação dos Estudos da Tradução enquanto campo do saber, há ainda poucos estudos nesta área voltados à tradução indireta. Considerando esta lacuna, o presente texto aborda o conceito de tradução indireta tomando como base três contextos tradutórios diferentes, e objetiva refletir sobre a noção tradicional do que pode ser considerado uma tradução literária indireta, visando expandi-la.

Biografia do Autor

Vanessa Lopes Lourenço Hanes, Universidade Federal Fluminense

Professora de Língua Inglesa e Tradução do Departamento de Letras Estrangeiras Modernas

Referências

AMORIM, Sônia Maria de. Em busca de um tempo perdido: edição de literatura traduzida pela editora Globo (1930-1950). São Paulo: EDUSP, 2000.

CHRISTIE, Agatha. O assassinato de Roger Acrkoyd. Tradução de Heitor Berutti. Porto Alegre: Livraria do Globo, 1933.

CHRISTIE, Agatha. And then there were none. Adaptação de François Rivière. Tradução de David Brawn. London: Harper Collins, 2009.

CHRISTIE, Agatha. Dix petits nègres. Adaptação de François Rivière. Brussels: Claude Lefrancq Editeur, 2002.

CHRISTIE, Agatha. O caso dos dez negrinhos. Adaptação de François Rivière. Tradução de Alexandre Boide. Porto Alegre: L&PM, 2010.

HANES, Vanessa L. L. The language of translation in Brazil: written representations of oral discourse in Agatha Christie. 2015. 308 f. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução) – Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/158404?show=full>. Acesso em: 30 maio 2018.

______. The retitling of Agatha Christie's Ten Little Niggers in Anglophone and Lusophone markets. Translation and Literature, v. 27, n. 2, p. 184-194, 2018.

LARSSON, S. Os homens que não amavam as mulheres. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

LI, Wenjie. The complexity of indirect translation. Orbis Litterarum, v. 72, n. 3, p. 181-208, 2017.

LOPES, José Reinaldo. Tradução de 'Beowulf' revela maestria narrativa de Tolkien. Folha de São Paulo, 14 jun.2014. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2014/06/1470039-critica-traducao-de-beowulf-revela-maestria-narrativa-de-tolkien.shtml>. Acesso em: 29 set. 2018.

KOSKINEN, Kaisa; PALOPOSKI, Outi. Retranslation. In: DOORSLAER, Luc van; GAMBIER, Yves (Ed.). Handbook of translation studies. Amsterdam: Benjamins, 2010. v. 1, p. 294-298.

PIETA, Hanna. Patterns in (in) directness: An exploratory case study in the external history of Portuguese translations of Polish literature (1855–2010). Target. International Journal of Translation Studies, v. 24, n. 2, p. 310-337, 2012.

ROBINSON, Douglas. Pseudotranslation. In: BAKER, Mona (Ed.). Routledge encyclopedia of translation studies. London: Routledge, 2005, p. 183- 185.

SCHÄFFNER, Christina. Norms in Translation. In: DOORSLAER, Luc van; GAMBIER, Yves (Ed.). Handbook of translation studies. Amsterdam: Benjamins, 2010. v. 1, p. 235-244.

TOLKIEN, John R. R. Beowulf: uma tradução comentada. Tradução de Ronald Eduard Kyrmse. Rio de Janeiro: WMF Martins Fontes, 2014.

VENUTI, Lawrence. The translator’s invisibility: a history of translation. New York: Routledge, 1995.

Downloads

Publicado

2019-05-31