O Perfect Existencial e suas realizações morfológicas e adverbiais no inglês americano

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8026.2020v73n3p37

Palavras-chave:

Aspecto, Perfect Existencial, Realizações Morfológicas, Realizações Adverbiais, Inglês Americano

Resumo

O aspecto perfect revela um intervalo existente entre dois pontos no tempo. Um dos tipos do perfect é o existencial (PE), que pode estar relacionado a uma situação do passado com efeitos no presente. O objetivo deste estudo é investigar as realizações morfológicas e adverbiais compatíveis com o PE, associado ao tempo presente, no inglês americano (IA). A metodologia consistiu em análises de corpora – entrevistas da TV americana e do Santa Barbara Corpus of Spoken American English – e de dados obtidos por teste linguístico. A hipótese é a de que a realização do PE associado ao tempo presente no IA ocorre só pela perífrase have + particípio, com ou sem apagamento do verbo auxiliar. A hipótese foi refutada, pois o passado simples também foi encontrado veiculando esse aspecto. Discutiu-se sobre a contribuição da forma verbal, dos advérbios de perfect e da pluralidade dos eventos na expressão do PE.

Biografia do Autor

Fernanda Costa da Silva Machado, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Linguística na Faculdade de Letras - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Adriana Leitão Martins, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Associada do Departamento de Linguística e Filologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nessa mesma instituição, atua ainda no Programa de Pós-Graduação em Linguística e no Programa de Mestrado Profissional em Letras.

Referências

ALEXIADOU, A.; RATHERT, M.; VON STECHOW, A. Introduction: the modules of perfect constructions. (Eds.). Perfect Explorations. Berlin: Mouton de Gruyter, 2003. p. v-xxxviii.

CINQUE, G. Adverbs and functional heads: a cross-linguistic perspective. New York: Oxford University Press, 1999.

COMRIE, B. Aspect: an introduction to the study of verbal aspect and related problems. New York: Cambridge University Press, 1976.

IATRIDOU, S.; ANAGNOSTOPOULOU, E.; IZVORSKI, R. Observations about the form and meaning of the perfect. In: ALEXIADOU, A.; RATHERT, M.; VON STECHOW, A. (Eds.). Perfect Explorations. Berlin: Mouton de Gruyter, 2003. p. 153-205.

GUILFOYLE, E.; NOONAN, M. Functional categories and language acquisition. Canadian Journal of Linguistics/Revue canadienne de linguistique, v. 37, n. 2, p. 241-272, 1992.

JESUS, J. L. O aspecto perfect no inglês dos Estados Unidos (IEU) e no português do Brasil (PB): uma análise do perfect do tipo universal. In: 7ª SIAC, 2016, Rio de Janeiro, UFRJ.

LOPES, T. L. A realização morfológica do aspecto perfect no português do Brasil e no inglês da Inglaterra – uma análise comparativa. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Faculdade de Letras, UFRJ. Rio de Janeiro, 2016.

NESPOLI, J. B. Representação mental do perfect e suas realizações nas línguas românicas: um estudo comparativo. Tese (Doutorado em Linguística) - Faculdade de Letras, UFRJ. Rio de Janeiro, 2018.

RODRIGUES, N. Aquisição de perfect no português do Brasil. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2019.

Aquisição de perfect no inglês americano. In: ABRALIN 50 Anos, 2019, Maceió.

Downloads

Publicado

2020-10-22