O Mundo de Oz de L. Frank Baum: conto de fadas modernizado, utopia norte-americana ou alta fantasia avant la lettre?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8026.2021.e76109

Palavras-chave:

Maravilhoso, Utopia, Fantasia, L. Frank Baum, Oz

Resumo

Na introdução de O Maravilhoso Mágico de Oz (1900), L. Frank Baum declara sua intenção de inaugurar um novo tipo de conto de fadas, ao mesmo tempo mais moderno e mais americano. O resultado de seu projeto se traduz pela criação de um universo complexo, que se expande ao longo de treze sequências e obras derivadas, alcançando imenso sucesso midiático. Desde então, muito se especula sobre o gênero ou modo narrativo ao qual a série de Oz se enquadra, pois, embora Baum a aponte como um conto de fadas, e, portanto, associado ao maravilhoso, logo sua obra foi lida como uma utopia norte-americana e como uma precursora da fantasia. A partir desse contexto e de tais questionamentos, o presente estudo propõe uma leitura do universo criado por Baum buscando elementos dessas três categorias para entender seu lugar no cânone da fantasia, ao mesmo tempo em que procura entender a importância do uso de mapas na construção de mundos secundários, elemento que ao longo do século XX se popularizou em obras dessa vertente.

Biografia do Autor

Bruno Anselmi Matangrano, Universidade de São Paulo - USP

Doutor em Letras (Literatura Portuguesa) pela Universidade de São Paulo (USP, 2019), Mestre em Letras (Literatura Portuguesa) (USP, 2013), Bacharel em Letras (Português-Francês) (USP, 2011). Membro do Grupo de Pesquisa "Poem - Poéticas e Éticas da Modernidade" (USP), do "LEPEM - Laboratório de Estudos de Poéticas e Ética na Modernidade" (USP), do grupo Nós do Insólito - vertentes da ficção, da teoria e da crítica" (UERJ) e do LÉA-Lire en Europe Aujourd'hui, rede de pesquisa internacional da Universidade de Lisboa (FLUL, Portugal). Autor de diversos artigos relativos às vertentes do insólito ficcional e dos livros "Contos para uma Noite Fria" (Llyr Editorial, 2014) e "Fantástico Brasileiro: o insólito literário do romantismo ao fantasismo", com Enéias Tavares (Arte e Letra).

Referências

BAUDOU, Jacques. La Fantasy. Paris : PUF, 2005.

BAUM, L. F. A Maravilhosa Terra de Oz. Trad. Carol Chiovatto. Rio de Janeiro: Vermelho Marinho, 2014a.

BAUM, L. F. Centennial Edition. The Annotated Wizard of Oz. Nova York: Norton & Co., 2000.

BAUM, L. F. Dorothy e o Mágico em Oz. Trad. Carol Chiovatto. Rio de Janeiro: Vermelho Marinho, 2015.

BAUM, L. F. O Maravilhoso Mágico de Oz. Trad. Carol Chiovatto. Rio de Janeiro: Vermelho Marinho, 2014b.

BAUM, L. F. Ozma de Oz. Trad. Carol Chiovatto. Rio de Janeiro: Vermelho Marinho, 2014c.

BERTRAND, J-M. “Platão”. In: RIOT-SARCEY, M.; BOUCHET, T. ; PICON, A. (dirs.). Dicionário das Utopias. Trad. Carla Gamboa e Tiago Marques. Lisboa; Texto & Grafia, 2009, pp. 205-207.

BESSON, Anne. La Fantasy. Paris: Klincksieck, 2007.

CAVEE, Christophe. “Viagem”. In: In: RIOT-SARCEY, Michèle; BOUCHET, Thomas ; PICON, Antoine (dirs.). Dicionário das Utopias. Trad. Carla Gamboa e Tiago Marques. Lisboa; Texto & Grafia, 2009, pp. 258-259.

CHIOVATTO, Ana Carolina L. A Representação do Feminino no Mundo de Oz, de L. Frank Baum. São Paulo: USP, 2017 (Dissertação de Mestrado).

CHIOVATTO, Ana Carolina L. Duas formas de representar o Feminino na literatura infantil: Narizinho, de Monteiro Lobato, e Dorothy, de L. Frank Baum. Revista Estudos Semióticos, v. 11, n. 2. São Paulo: USP, 2015, pp. 72-79. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/esse/article/view/111037. Acesso em 05.07.2020.

CHIOVATTO, Ana Carolina L. O imbricamento de flashbacks na adaptação do romance O Maravilhoso Mágico de Oz para HQ. Revista Literartes, n. 8. São Paulo: USP, 2018, pp. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/literartes/article/view/141831/148714. Acesso em 05.07.2020.

CHIOVATTO, Ana Carolina L. O mágico de Oz: a construção do fantástico nas linguagens verbal e audiovisual. Anais do III CIELI - Colóquio de Estudos Linguísticos e Literários. Maringá: UEM, 2014, pp. 1-15. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/328792638_O_MAGICO_DE_OZ_A_CONSTRUCAO_DO_FANTASTICO_NAS_LINGUAGENS_VERBAL_E_AUDIOVISUAL. Acesso em 05.07.2020.

CUNHA, Maria Zilda da. “Ozma de Oz: a experiência da aventura nas tramas do imaginário”. In: BAUM, L. Frank. Ozma de Oz. Trad. Carol Chiovatto. Rio de Janeiro: Vermelho Marinho, 2014, pp. 204-215.

FONSTAD, Karen Wynn. O Atlas da Terra-Média. Trad. Ronald Kyrsme. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

GAREL-GRISLIN, Julie. Les coordonnées de la fiction : ce que la carte fait au récit. Revue de la Bibliothèque Nationale de France, n. 59. Dossier : World-building : création de mondes et imaginations contemporains. Paris : Éditions BNF, 2019, pp. 22-30.

HEARN, Michael Patrick. “Introduction to The Annotated Wizard of Oz”. In: BAUM, L. Frank. Centennial Edition. The Annotated Wizard of Oz. Nova York: Norton & Co., 2000, pp. xiii-cii.

LE GUIN, Ursula K. Le langage de la nuit : essais sur la science-fiction et la fantasy. Trad. Francis Guévremont. Paris: Aux Forges de Vulcain, 2016.

MANGUEL, Alberto; GUADALUPI, Gianni. Dicionário de lugares imaginários. Trad. Carlos Vaz Marques e Ana Falcão Bastos. Lisboa: Tinta da China, 2014.

MANGUEL, Alberto. “Prefácio à edição portuguesa”. In: MANGUEL, Alberto; GUADALUPI, Gianni. Dicionário de lugares imaginários. Trad. Carlos Vaz Marques e Ana Falcão Bastos. Lisboa: Tinta da China, 2014, pp. xi-xxxi.

MARQUES, Mirane Campos. Uma história que não tem fim: um estudo sobre a fantasia literária. São José dos Campos: IBILCE-UNESP, 2015 (Tese de Doutorado).

MATANGRANO, Bruno Anselmi; TAVARES, Enéias. Fantástico Brasileiro: o insólito literário do romantismo ao fantasismo. Curitiba: Arte & Letra, 2018.

MATANGRANO, Bruno Anselmi. Ordem vermelha: filhos da degradação, entre a alta fantasia e a distopia. Revista Estud. Lit. Bras. Contemp. N. 56. Brasília: UnB, 2019, pp. 1-14. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/elbc/n56/2316-4018-elbc-56-e5620.pdf. Acesso em 05.07.2020.

MATANGRANO, Bruno Anselmi. “Reinventando um gênero: o conto de fadas moderno de L. Frank Baum”. In: BAUM, L. Frank. O Maravilhoso Mágico de Oz. Trad. Carol Chiovatto. Rio de Janeiro: Vermelho Marinho, 2014, pp. 195-203.

MENDLESOHN, Farah; JAMES, Edward. A short history of fantasy. Londres: Middlesex University Press, 2009.

PROPP, Vladimir I. Morfologia do conto maravilhoso. Trad. Jasna Paravich Sarhan. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

TODOROV, Tzvetan. Introdução à literatura fantástica. Trad. Maria Clara C. Castello. São Paulo: Perspectiva, 2008.

RUAUD, André-François. Cartographie du merveilleux. Paris : Denoël, 2001.

SÁNCHEZ-ESCALONILLA, Antonio. Fantasía de aventuras: claves creativas en novela y cine. Barcelona: Arial, 2009.

TOLKIEN, J. R. R. Sobre histórias de fadas. Trad. Ronald Kyrmse. São Paulo: Conrad, 2006.

TUERK, Richard. Oz in perspective: Magic and Myth in the L. Frank Baum Books. Jefferson, Carolina do Norte: McFarland & Co, 2007.

Downloads

Publicado

2021-01-28

Edição

Seção

Contextos literários: releituras e intertextos