Metáforas na representação de ações e políticas públicas dirigidas à população em situação de rua na Folha de S. Paulo: o caso da representação da assistência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8026.2022.e86412

Palavras-chave:

análise de discurso crítica, metáfora, ação e políticas públicas, situação de rua, jornalismo online

Resumo

Com aporte teórico dos estudos críticos do discurso (VAN DIJK, 2009; FAIRCLOUGH, 2010; RESENDE, 2019) e da análise interdiscursiva de políticas públicas (RESENDE, 2018; FISCHER, 2016), o projeto “Representação de políticas públicas para população em situação de rua como gestão do território: metáforas espaciais na Folha de S. Paulo” (CAPES 88881.172032 / 2018-01) respondeu ao objetivo de, em um corpus de 105 textos da Folha de S. Paulo (FSP) pautando ações e políticas públicas (APP) dirigidas à população em situação de rua (PSR), investigar, por meio de análise subsidiada por software, as recorrências e padrões de representação metafórica de APP dirigidas à PSR nesses textos jornalísticos. No recorte do corpus que neste artigo se discute, a análise restringe-se à representação de ações e políticas de assistência. Tomando como chave epistemológica as categorias de metáforas propostas por Charteris-Black (2004), as análises apresentadas apontam que os textos da FSP privilegiam sentidos que relacionam políticas públicas a guerra, e coerentemente associam pessoas em situação de rua a perigo; ou que objetificam pessoas em situação de rua, o que é coerente com a representação de seus deslocamentos forçados; ou que associam pessoas em situação de rua a sujeira, coerente com as políticas higienistas noticiadas no jornal.

Biografia do Autor

Viviane Resende

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Referências

ACOSTA, M. P. T. Metáfora como categoria epistemológica e analítica. In: RESENDE, V. M.; ARAÚJO, C. L. (Org.) Discurso e pobreza. Campinas: Pontes, 2018. p. 13-44.

ÁVILLA, H.; MOLINA, L. A situação de rua como problemática social estrutural nas cidades. In: RESENDE, V. M.; SILVA, R. B. (Org.) Diálogos sobre mobilização e polí-ticas públicas: academia e movimentos sociais. Campinas: Pontes, 2017. p. 59-86.

BRASIL. Sumário Executivo da Pesquisa Nacional sobre a População em Situação de Rua. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; São Paulo: Me-ta Instituto de Pesquisa de Opinião, 2008.

BRASIL. Decreto nº 7.053 de 23 de dezembro de 2009. Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Mo-nitoramento, e dá outras providências. Disponível na Internet. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d7053.htm Acesso em 27 dez 2018.

BRASIL. Ministério de Direitos Humanos. Material do curso Promoção dos direitos da população em situação de rua. Módulo 1: Política Nacional para a População em Situa-ção de Rua. 2018. Disponível na Internet. https://mooc.escolavirtual.gov.br/mod/book/view.php?id=75861&chapterid=114494 Acesso em 2 jan 2019.

BUSCAGLIA, V.; PARDO, M.L. Señalados por el lenguaje: una historia de pobres y de locos. Análisis crítico de la deixis en el discurso de personas delirantes. In: L. Monte-cino (org.) Discurso, pobreza y exclusión en América Latina. Santiago: Cuarto Próprio, 2010; 51-68

CHARTERIS-BLACK, J. Corpus approaches for critical metaphor analysis. London: Palgrave, 2004.

COLIN, D. Olhares sobre a construção da Política Nacional para a população em situa-ção de rua. Comunicação apresentada no “Seminário Brasil – União Europeia para Pro-moção e Proteção dos Direitos da População em Situação de Rua”. Brasília, julho de 2013.

COLLINS, Patricia Hill. Aprendendo com a outsider within: a significação sociológica do pensamento feminista negro. Sociedade e Estado, 31 (1), 2016, vol.31, n.1, pp. 99-127.

D’SOUZA, R. As prisões do conhecimento: pesquisa ativista e revolução na era da “globalização”. In: B. S. Santos; M.P. Meneses. Epistemologias do Sul. São Paulo; Edi-tora Cortez. 2010.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Brasília: Editora UnB, 2001.

FAIRCLOUGH, N. Critical discourse analysis: the critical study of language. 2ed. New York: Longman, 2010.

FANON, Frantz. Pele negra máscaras brancas. Tradução Renato da Silveira. Salvador: UFBA, 2015

FISCHER, F. “Where does the argumentation in the design processes of policy instru-ments”. Conferência, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, Sociedade e Cooperação Internacional, Universidade de Brasília, 2016.

FRÚGOLI JR., H; CAVALCANTI, M. Territorialidades da(s) cracolândia(s)em São Paulo e no Rio de Janeiro. Anuário Antropológico, v.38 n.2, 2013, p. 73-97.

HALLIDAY, M. A. K. Introduction to Functional Grammar. 3.ed. Revised by C. Mat-thiessen. London: Hodder Arnold, 2004.

LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Metaphors we live by. Chicago: The University of Chica-go Press, 1980.

LI, Wei. Rethinking Critical Metaphor Analysis. International Journal of English Lin-guistics, 6 (2), 2016, 92-96.

MONTECINO, L. (org.) Discurso, pobreza y exclusión en América Latina. Santiago: Cuarto Próprio, 2010.

NATALINO, M. A. C. Estimativa da População em Situação de Rua no Brasil. Texto para Discussão, 2246, 2016. Disponível na Internet: http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=28819. Acesso em 2 de jan de 2019.

PARDO ABRIL, N. Qué nos dicen? Qué vemos? Qué es pobreza?. Bogotá: UNC, 2007.

PARDO ABRIL, N. G. Discurso multimodal e multimídia: explorações analíticas In: RESENDE, V. M.; ARAÚJO, C. L. (Org.) Discurso e pobreza. Campinas: Pontes, 2018. p. 145-190.

RAMALHO, I. S.; RESENDE, V. M. Representação midiática da violação de direitos e da violência contra pessoas em situação de rua no Correio Web. Calidoscópio, 15 (3), 2017, p. 529-541.

RAMALHO, I. S.; RESENDE, V. M. O caso Edvan Lima e a corporeidade de pessoas em situação de rua em casos de violência: análise de dados do jornal Correioweb. Ca-dernos de Estudos Linguísticos, 60 (3), 2018, p. 808-827.

RAMOSE, Mogobe. Palestra no Painel 2 “Pensar o contemporâneo”. Colóquio pelos 40 anos do CES. A imaginação do futuro. Saberes, experiências, alternativas. Coimbra, novembro de 2018.

RESENDE, V. M. A violação de direitos da população em situação de rua e a violência simbólica: representação discursiva no jornalismo on-line. Revista Latinoamericana de Estudios del Discurso, 15, 2015, 71-92.

RESENDE, V. M. Representação de pessoas em situação de rua no jornalismo on-line: quais são as vozes convocadas para falar sobre a situação de rua? Revista de Estudos da Linguagem, 26, 2016, 955-988.

RESENDE, V. M. Gestão policial da pobreza: vulnerabilidade de pessoas em situação de rua aos rigores da ordem pública - um estudo do caso de Samir Ali Ahmed Sati. Re-vista Cis (Fundación Techo Chile), 23, 2017, p. 15-31.

RESENDE, V. M. Análise interdiscursiva de políticas públicas. Reflexão epistemológi-ca. Revista Ámbitos, 39, 2018, s/p.

RESENDE, V. M.; GOMES, M. C. A. Representação da situação de rua no jornalismo eletrônico em textos verbo-visuais – a violência em discurso no Correio Braziliense (2011-2013). Linguagem em (Dis)curso, 18 (1), p. 165-191, 2018.

RESENDE, V. M.; MENDONÇA, D. G. População em situação de rua e políticas pú-blicas: representações na Folha de São Paulo. Revista DELTA, no prelo (aceito para pu-blicação).

RESENDE, V. M.; SILVA, R. B. Critical discourse analysis: voice, silence and memory - one case about public sphere. Critical Discourse Studies, 13, 2016, 397-410.

ROSA, A. S.; SANTANA, C. L. A. Consultório na Rua como boa prática em Saúde Coletiva. Rev Bras Enferm, 71 (Suppl 1), 2018, p. 465-6.

SANTOS, G. P. A voz da situação de rua na agenda de mudança social no Brasil - um estudo discursivo crítico sobre o Movimento Nacional da População em Situação de Rua (MNPR). Tese (Doutorado em Linguística). Brasília: Universidade de Brasília, 2017.

SÃO PAULO. Plano Municipal de Políticas para a População em Situação de Rua do Município de São Paulo, 2016. Disponível na Internet. https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/direitos_humanos/Plano%20PopRua.pdf. Acesso em 2 de janeiro de 2019.

VAN DIJK, T. Critical discourse analysis. In: TANNEN, D.; SCHIFFRIN, D.; HAM-ILTON, H. (Orgs.). Handbook of discourse analysis. Oxford, Blackwell, 2001, pp. 352-371.

VAN DIJK, T. Nuevo racismo y noticias: un enfoque discursivo. In: NASH, M., TEL-LO, R., BENACH, N. (Orgs.) Inmigración, género y espacios urbanos. Los retos de la diversidad. Barcelona: Edicions Bellaterra, 2005, pp. 33-55.

VAN DIJK, T. A. Society and Discourse. How social contexts influence text and talk. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

VAN DIJK, T. A. Discourse-Cognition-Society. Current state and prospects of the so-cio-cognitive approach to discourse. In: HART, C.; CAP, P. (Orgs.) Contemporary criti-cal discourse studies. London; New York: Bloomsbury, 2014, pp. 121-146.

VAN LEEUWEN, T. Discourse and practice: new tools for critical discourse analysis. Oxford: Oxford University Press, 2008.

VIEIRA, V. C.; RESENDE, V. M. Análise de discurso (para a) crítica: o texto como material de pesquisa. Campinas: Pontes, 2016.

Downloads

Publicado

2022-09-27